quinta-feira, agosto 04, 2005

CDS/PP exige explicações sobre a CGD

O presidente do CDS, José Ribeiro e Castro, exige ao ministro das Finanças explicações sobre as alterações na administração da CGD.

De facto, com a diminuição de dois administradores, não se compreende a manutenção de Celeste Cardona que, sem experiência no sector bancário, foi premiada por Bagão Félix com a sinecura.

8 Comments:

At sexta ago 05, 03:11:00 da tarde, Blogger André Pereira said...

Concordo inteiramente com o CDS! COmo é possível mecher na Administração da CGD e manter em funções a Dr.a Celeste?!?!
Acredito agora que há um bloco central (alargado) de interesses instalado e que se vai governando!!!

 
At sexta ago 05, 04:00:00 da tarde, Blogger Mano 69 said...

Toda a gente que seja militante/simpatizante (riscar o que não interessa) do partido no governo está em condições de exercer um cargo, seja ele qual for.
E pelos vistos não era só Celeste Cardona que não tinha habilitações, depois dela veio o Fernando Gomes… Ou já se esqueceu?

Ó André Pereira o que é preciso é mexer na coisa!

 
At sábado ago 06, 09:42:00 da tarde, Anonymous Carlos Esperança said...

Mano 69:

Talvez por desconhecimento, não acredito em má fé, não saiba que Fernando Gomes é um economista com alta classificação académica.

É, de resto pessoa com quem não simpatizo pois parece-me a Alberto João em versão urbana.

Todavia foi presidente da Câmara de Vila do Conde (se não me engano), eurodeputado e veio de Bruxelas para afastar a direita da Câmara do Porto onde ainda hoje estaria se não fosse a sua ambição de se perfilar para primeiro-ministro.

Será assim uma besta incapaz de desempenhar um lugar que até uma Celeste Cardona podia desempenhar?

Ou o facto de ter sido ministro é uma lepra que impede funções de gestão?

 
At sábado ago 06, 10:23:00 da tarde, Blogger Mano 69 said...

Não. Tem toda a razão à partida dado os predicados estarem todos lá! No entanto o problema é outro e mais complexo pois trata-se da ideia de que os partidos quando estão no poder – sejam eles de direita ou de esquerda – colocarem ou arranjarem lugares para os seus membros ou simpatizantes.
Quando muda o partido muda tudo outra vez e não me venha com a conversa que o partido a ou b tem que ter no comando das empresas públicas ou de capitais públicos aqueles que eles consideram capazes de seguir as suas instruções…
Fernando Gomes e companhia acabam por ter o seu lugar a prazo com todas as consequências que dai advêm.
As empresas públicas, obrigatoriamente, têm que ter gestores profissionais ponto parágrafo
E aqueles tem que responder perante o ministro que os tutela de uma maneira profissional e não partidária.
Será muito difícil concordar comigo caro Carlos Esperança?

 
At domingo ago 07, 09:30:00 da tarde, Blogger Mano 69 said...

Pelos vistos e pelos contrários é!

 
At segunda ago 08, 01:45:00 da manhã, Anonymous Carlos Esperança said...

Em princípio não estou em desacordo com o mano 69.

Aliás foi o CDS que, até hoje, mais partidarizou os cargos públicos e que levou mais longe a desfaçatez.

Bagão Félix levou o despudor de despedir, de uma só vez, 18 directores e outros tantos sub-directores da Segurança Social.

Agora interrogo-me se o recém despedido Presidente da CGD que era um bom conhecedor de assuntos europeus tinha o perfil para o cargo.

As nomeações de Santana Lopes não escapam apenas à lógica, parecem o resultado de uma roleta da sorte.

 
At segunda ago 08, 04:03:00 da tarde, Blogger Mano 69 said...

Bem-haja!

Salve aleluia salve!

 
At terça dez 26, 05:38:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

This is very interesting site...
Subaru survey internet business marketing affiliate programs Repair internet connection after removing spyware prom dresses Chicago hypnosis smoking stop baseball in wv what is bontril

 

Enviar um comentário

<< Home