sábado, abril 30, 2005

Notas soltas - Abril/2005

Zimbabué – As eleições foram, como em qualquer ditadura, uma fraude; o povo morre de fome e de SIDA; o velho déspota Robert Mugabe continua a política de terror. Acontece em África como em qualquer outro continente.

Itália – A esquerda, liderada por Romano Prodi, conquistou 11 das 13 regiões em disputa e obteve 52,9% dos votos, enquanto a direita recuou a nível regional, provincial e municipal. A «Força Itália», de Berlusconi, reduziu-se a uns humilhantes 18,4%.

João Paulo II – Causou grande consternação entre católicos a morte do papa que há 26 anos dirigia a Igreja. O seu legado apostólico divide profundamente os sectores progressistas e os reaccionários que dominam a Cúria romana.

PSD – Depois de dois líderes falhados, Marques Mendes é uma solução credível. Competente, determinado e sério, tem mérito para chefiar um Governo mas os inimigos que o apoiaram já pensam em derrubá-lo. O desgaste interno começou no congresso.

António Borges – É o nado-morto de há cinco anos, que o grupo Impresa insiste em promover a salvador da Pátria. Protegido de Marcelo, Balsemão, Leonor Beleza e Manuela Ferreira Leite, tem a bênção de Cavaco mas falta-lhe densidade política.

União Europeia – O NÃO francês ao tratado constitucional ganha força. A insatisfação social, a hostilidade ao Governo e a oposição à entrada da Turquia pesam na decisão que terá consequências imprevisíveis para a Europa.

Mónaco – Faleceu Rainier III, após 55 anos de reinado. Os súbditos amavam o príncipe autoritário e vitalício, graças à segurança e bem-estar apoiados no dinheiro suspeito que aflui ao principado – paraíso fiscal e sede do casino de Monte Carlo.

Supremo Tribunal de Justiça – O Presidente, no acto de posse, ameaçou o Governo de «estar a comprar uma guerra» ao reduzir as férias judiciais. O desafio, com tiques sindicais e corporativos, compromete o prestígio e respeito do STJ.

Durão Barroso – O cruzeiro com que um milionário grego, seu amigo, o obsequiou, tal como fizera antes Pereira Coutinho, quando era primeiro-ministro, embaraça o presidente da Comissão Europeia e deteriora a sua imagem.

Bento XVI – Foi moderada a euforia dos católicos com a eleição do novo papa. A Graça do Espírito Santo recaiu, como previsto, no Prefeito do ex-Santo-Ofício. Desde 1523 que a Igreja católica não confiava a defesa da fé à guarda de um pastor alemão.

Lisboa – A luta entre Santana Lopes e Carmona Rodrigues, duas faces da mesma moeda, é mais um episódio na desastrada caminhada de quem fez de Lisboa trampolim para outros voos e partiu em S. Bento as asas para Belém.

Espanha – O apelo do Vaticano aos funcionários públicos, para que recusem a celebração de casamentos homossexuais, «mesmo que percam o emprego», é uma ingerência intolerável e a manifestação do pior clericalismo.

Timor – A luta dos bispos contra o carácter facultativo do ensino religioso nas escolas públicas e o desafio ao Governo legal, denuncia o carácter antidemocrático e a vocação totalitária da Igreja católica, a que não é alheio o contágio islâmico.

Sílvio Berlusconi – A remodelação ministerial, face à derrota eleitoral, era fatal. Buttiglione, o rejeitado comissário europeu, misógino, beato e reaccionário, é ministro da Cultura. O elenco dificilmente se mantém até às eleições de 2006.

CDS – O congresso de 23 e 24 de Abril teve valor simbólico. A data foi uma metáfora do CDS, adequada ao pensamento político e a 31 anos de saudade. O desfecho foi divertido e inesperado. A derrota de Telmo Correia arrastou Paulo Portas.

Ribeiro e Castro – A vitória do moderado eurodeputado, arrasou a estratégia de Portas, que deixou o CDS em avançado estado de desagregação e aguarda a oportunidade para um regresso que lhe permita mais altos voos.

25 de Abril – Por maior ressentimento e ingratidão que alguns manifestem, será sempre um dos feitos mais gloriosos da nossa História e o dia da Revolução em que os militares devolveram a liberdade a Portugal.

USA – A popularidade de Bush – segundo sondagem do Washington Post – está em queda, com apenas 47% dos americanos a apoiá-lo, percentagem que desce para 40% na área económica. Adivinham-se resultados piores na Europa e, sobretudo, no Iraque.

Europa – O maior avião comercial do mundo – A 380 – é uma vitória da Airbus sobre a sua rival Boeing, uma manifestação da capacidade europeia para ombrear com o gigante americano cuja supremacia é uma fatalidade perante uma Europa dividida.

Monumento ao 25 de Abril em Almeida – A reunião entre a comissão, o IPPAR e a CMA, em 27/4, mostrou a impossibilidade de implantar o monumento criado no local aprovado. O IPPAR e a CMA propuseram soluções alternativas para viabilizar um monumento ao 25 de Abril e reiteraram o empenho na busca de uma rápida solução.

sexta-feira, abril 29, 2005

As dívidas fiscais dos clubes de futebol

O infame boato posto a correr sobre a capacidade e isenção de Bagão Félix foi sofrendo sucessivos desmentidos e pondo em causa a central de intoxicação que transformava o exaltado reaccionário num homem de Estado e competente ministro.

Santana Lopes assume o ónus da incompetência e a responsabilidade pelas trapalhadas a que a sua impreparação seu azo. No entanto, era visível, para além do mérito próprio, a preciosa ajuda no descalabro de ministros cuja inaptidão para as pastas era notório.

O adiamento para 2010 do acerto das dívidas dos clubes pelo Governo de Santana foi validado pela equipa de Bagão Félix – segundo informa hoje o «Público».

Que a decisão tenha sido tomada uma semana antes da posse do actual Governo não tolheu a equipa do ministro, que sempre se importou mais com o destino dos embriões do que com o emprego dos trabalhadores, que deu mais importância à substituição dos quadros do ministério por gente de confiança do que à política de emprego e segurança social, que se preocupou mais com o nome do «Rendimento Mínimo Garantido» do que com a sorte dos desempregados. Isto foi assim no Ministério do Trabalho e Segurança Social onde, de uma vez só, demitiu por fax todos os dezoito directores e igual número de subdirectores da Segurança Social para os substituir por gente da sua confiança.

Como titular do ministério das Finanças, para além do que já se sabe sobre o desastre da sua governação, fica na memória a sinecura que arranjou na CGD para Celeste Cardona cuja qualificação a recomendava para o cargo tanto como para ministra da Justiça.

Agora, a libertação dos clubes da cobrança de dívidas até 2010, a data da deliberação e as circunstancias que precederam a decisão, com pareceres contraditórios, mostram a confusão que grassava no ministério das Finanças e indiciam uma conduta venal onde a ética e a ponderação estiveram arredadas.

PROCESSO DE BOLONHA - Baixar maioria das propinas de mestrados

O Governo começa a governar. Sem alaridos, mas com rigor e no caminho certo.
Perante a incapacidade de as Universidades aproveitarem o fôlego e a dinâmica aberta pela Declaração de Bolonha para renovarem radicalmente os seus métodos e mentalidades, vem o Ministro da tutela, Prof. Mariano Gago , um homem conhecedor da realidade universitária portuguesa e de outros países mais dinâmicos e desenvolvidos, forçar esse passo em frente. E, aparentemente, com preocupações sociais, se não permitir que as propinas do chamado 2.º ciclo assuma custos financeiros maiores para os estudantes.

É fundamental compreender que cada ano que passe sem implementar a Declaração de Bolonha, são os nossos estudantes que são prejudicados face à concorrência externa e as nossas Universidades que não seguem o rumo da internacionalização.

As Beiras -Ensino Superior

Amiguinhos...

O companheiro de Góis,vivo como é, lançou o apelo à candidatura de Gonçalo Capitão. Porque entendemos que não há melhor manifesto para o putativo candidato do que aquele em que se realçam as suas excelentes qualidades aqui as deixamos:

"Jovem de uma inteligência brutal foi aos 33 anos Vice-Presidente do Grupo Parlamentar do PSD e Vice-Presidente da Comissão Política Nacional da JSD.É, apesar de um desconhecido para Góis, alguém com visão de futuro e dinamizador.Foi durante muito tempo lider de opinião da imprensa regional, Diário de Coimbra, Jornal as Beiras.Interveio já como comentador político em vários programas televisivos."
PS. Os destaques são nossos

A educação


Posted by Hello

Nomeação

Maria Manuel Leitão Marques, professora da Universidade de Coimbra, chefia a Unidade de Coordenação da Modernização Administrativa que irá pôr em prática o Cartão Comum do Cidadão no Diário Coimbra

Mais uma boa nomeação deste governo. Com esta indigitação a Universidade de Coimbra, e em particular a nomeada, dará um importante contributo para a resolução de um dos constragimentos que afecta o desenvolvimento do país e que tem sido usado como "leit motiv" de alguns para dar privilégios ao sector privado e combater o sector público.

Incrível

"Um homem foi encontrado morto no interior de um estabelecimento que tinha arrendado há quatro meses no Shopping Golden, em Coimbra. O alerta foi dado pelos proprietários das lojas vizinhas" no Diário de Coimbra

Não há segurança no shopping?

Presunção ou subsídios para uma autobiografia?

«Posso ser mauzinho algumas vezes, mas não sou burro».
(Declarações de Alberto João Jardim, ontem, no regresso ao Funchal, após a primeira reunião com o primeiro-ministro).

Coletes retrorreflectores.

Porque é que os portugueses gostam tanto dos coletes retrorreflectores?

Será que dá um ar mais profissional terem-nos ali sempre à mão armados no banco do condutor?

quinta-feira, abril 28, 2005

Os referendos: SIM mas...

O Presidente da República, Jorge Sampaio, pretende ver referendado o Tratado da Constuição Europeia com a maior brevidade possível, preterindo, deste modo, o referendo à Interrupção Voluntária da Gravidez e sem falar num possível referendo à Regionalização (bandeira eleitoral do PS!)!
De facto, uma maior aproximação de Portugal à Europa, partilhando também, valores comuns, é importante!!! Sob peso de nos vermos cada vez mais longe do eixo central europeu e mais perto de sermos ultrapassados pelos novos membros da UE... como também, não darmos o nosso contributo para a afirmação da Europa no mundo! É verdade!!! Mas pergunto-me, se não será também de referendar com a maior brevidade possível, questões que atravessam a sociedade portuguesa hà cerca de 20 anos, como a do aborto?!! Que tantos conflitos sociais tem causado!! Não estará a democracia portuguesa já preparada para solucionar esta questão? E a regionalização? Há 7 anos foi referendada... não será pertinente primeiro "arrumar a casa" e depois ir atrás do SIM francês, (quiça com o auxílio do Chanceler alemão,à semelhança de Chirac)? Caso não seja possível, esta ordem de prioridades, que considero: Aborto, Regionalização e depois Constituição Europeia, porque não referenda-los a todos na mesma altura, depois dos cidadãos serem devidamente informados e sensiblizados, para tal?!! Poupava-se dinheiro ao Estado e aos contribuintes e... teriamos em simultâneo um lar mais estável, arrumado e rumo à Europa dos valores comuns!!!

Vejam se aguentam...

"No mundo mortífero e as vezes cruel,ajuda ter aliados,tanto para protecção como para riqueza partilhada. Muitos jogadores criaram familias,que se vigiaram mutuamente até ao fim... As familias são ricas,poderosas e podem controlar quarteirões inteiros numa cidade,portanto será sensato mante-las do seu lado. Como pode imaginar,elas não ficarão muito felizes se outro jogador ou familia rival matar um dos seus homens ou lhes tirar um dos seus casinos... " no BARAFRANCA

Como eles estão importantes!

"O Bloco de Esquerda (BE) não irá fazer qualquer coligação com o PS para as eleições autárquicas. A garantia foi dada ontem por Francisco Louçã, num encontro com jornalistas, em que assegurou também que o BE só aceitaria uma aliança de esquerda para Lisboa." no Diário de Notícias
Victor Baptista vai ter de pensar este assunto de forma diferente. Não basta dizer que a ausência de uma coligação de esquerda responsabilizará quem dela se tiver afastado. Terá de perceber, que desde há muito, há um sector ortodoxo do PCP que entende que o seu único adversário é o PS e que tudo faz para o combater. Quando a esquerda está na oposição, lamenta-se e desespera com as políticas de direita, esperando que essas políticas liberais, que vão contra os mais desfavorecidos e que põem em causa salários e políticas sociais, quanto mais duras, mais benefícios lhes tragam nas lutas, e funcionem como mecanismos de recrutamento para os sindicatos e, consequentemente, para o partido. Utiliza-se o povo como isco de sobrevivência.
Quando a esquerda chega ao poder e desenvolve políticas socias e de benefício dos mais desfavorecidos, os mesmos ortodoxos desesperam com o abandono da luta política, com a redução dos contribuintes sindicais e associam-se à direita no combate em vez de tentarem contribuir para a melhoria das políticas de esquerda.
São sempre do contra e agem como Calimero.
O Bloco de Esquerda representa alguma renovação do discurso político, toma como suas algumas medidas que respondem aos novos desafios sociais, mas estou convencido que se revelará no dia em que em chegar ao poder. Aí ou concretizam o que dizem e se verá que nem tudo que luz é ouro ou adaptam-se à necessidade de conciliar o discurso políticamente correcto e a prática e desiludem. E esse será sempre o dilema do Bloco.
E, diga-se em abono, que alguns exemplos são disso reveladores. E basta que alguns mais esclarecidos contem como funciona o Centro Estudos Sociais .
E se a irreverência é positiva ela só terá concretização se forem ouvidas as palavras de quem muito fez pela democracia e pelo povo, o Dr. Mário Soares.

A bitola da qualidade e o novo centro comercial

Como quase toda a gente, também fui ao novo centro comercial, encostado ao estádio. Como toda a gente, antes, durante e depois, fartei–me de ouvir dizer bem, mal e assim–assim. Algumas teses são apenas disparates, do tipo “Coimbra era a única cidade do país sem um shopping de dimensão aceitável”. Sem mais comentários... Outras ideias têm muito que se lhe diga - “Com a morte cívica da Praça da República e as desfuncionalidades da Baixa, Coimbra reencontrou, finalmente, um espaço de convívio público e a sua nova centralidade”; ou, mais cruamente: “O tal parque de estacionamento na Praça da República foi adiado para as calendas para dar margem, e canalizar carros e gente, para o monstro da Solum”.O que li algures, porém, deu–me que pensar: “A bitola da qualidade subiu, irreversivelmente, de nível, com este espaço”. Sou, obviamente, sensível a esta dimensão “qualidade” do quotidiano. Sou-o, ainda mais, nesta quase borbulhante e por demais desleixada cidade de Coimbra. Lembro–me, de resto, de umas quantas conversas soltas com o então vereador da Câmara Municipal Nuno Freitas sobre coisas tão elementares como a obrigatoriedade de colocar taipais em todas as obras, públicas ou privadas, que contendessem com o espaço público; a exigência de acompanhar, ao detalhe, todas as intervenções na via pública com painéis sinalizadores e brigadas tapa–buracos; a importância da colocação de floreiras na circular, na Baixa, no Vale das Flores, na Ponte de Santa Clara, etc., etc. Não digo, como alguém um dia escreveu, que Coimbra está condenada a ser eternamente a bela desmazelada, assim a modos que uma mulher que já foi bonita e apetitosa e que se deixou envelhecer sem cuidados regulares. Mas é um facto que coisas demais incomodam: o mau cheiro, em algumas ruas, na Baixa e na Alta; o lixo nas bermas e nas imediações de papeleiras e “jacós”; a terra entornada pelos camiões das grandes obras (como aquela vergonha que a toda hora “desce” do futuro Fórum Coimbra, ali na antiga Mondorel); a falta de nível de muitos empregados do comércio; o emaranhado de fios e cabos nas paredes e sobre as ruas; o escândalo que é a ocupação dos passeios, já de si estreitos e mal cuidados...Ora, pelo que vi, numa fugaz passagem sexta–feira à noite e pelo que já me contaram, a porcaria no chão e o desmazelo do espaço público ainda não chegaram ao centro comercial. Se tudo correr como o costume, hão–de chegar em pouco tempo.
Uma análise de Paulo Marques nas Beiras

quarta-feira, abril 27, 2005

Alerta

Foi recentemente descoberto pela FDA (www.fda.org) norte-americana uma substância altamente cancerígena nos bilhetes de estacionamento utilizados em centenas de milhares de máquinas em todo o mundo.

Preocupados com o facto da quase totalidade dos utilizadores de parques de estacionamento colocarem o bilhete na boca antes de estacionar o automóvel e, no regresso, desde que se sentam até à cancela de saída, a FDA instruiu dois cientistas americanos para investigarem os componentes químicos existentes nestes bilhetes.

Estes cientistas, Norbert Crashworth e Nancy Fullhausen, ficaram espantados com a quantidade de químicos presentes naqueles simples pedaços de papel, suficientes para fazerem explodir uma casa se combinados em proporções diferentes.

Mas o mais grave é o facto de alguns destes químicos serem altamente cancerígenos, como é o caso de nitroquinoline oxide;hydroxyindoleacetic acid e de omentectomy. A exposição prolongada a estes químicos tem por consequência quase certa o aparecimento de tumores na lingua e boca, muitas vezes que podem degenerar em tumores malignos. Ainda não foi possível correlacionar a presença destes químicos com a prevalência de cancro na boca em zonas urbanas, nem está ainda clinicamente provada uma relação directa entre os bilhetes e o aparecimento de cancro.

Só se sabe que estes químicos provocam o cancro, O QUE PARECE SER SUFICIENTE!!!!! Por favor, na próxima vez que se deslocar a um parque de estacionamento, NÃO COLOQUE o cartão na boca, pois pode estar a abrir as portas ao CANCRO.
Recebido por mail. Se é verdade está feito o aviso, se não é não se perde nada em não meter o cartão de estacionamento na boca.

Afinal...

"O ministro da Saúde, Correia de Campos, nomeou para o cargo de subdirector-geral de Saúde Manuel Teixeira, o antigo secretário de Estado do Orçamento de Bagão Félix. " no Diário Digital

Depois de Basílio Horta e de Carneiro Jacinto...

A cidade prometida

Além dos projectos lançados pelo anterior executivo de Manuel Machado, que Carlos Encarnação deu continuidade, aqui fica uma mostra dos que ficaram por realizar. E já nem quero falar na luta contra o encerramento de empresas e na cobertura da baixa para defesa do comercio, que foram armas de combate político e que não tiveram concretização na acção deste executivo camarário.
Como seria tão diferente Coimbra se tivesse havido capacidade para concretizar o que estava projectado e prometido.

Mexam no meu vizinho

«Pretende-se impedir a reeleição de presidentes de câmaras municipais, que são figuras públicas, conhecidas de todos os munícipes (…), mas mantém-se a reeleição de deputados, desconhecidos de quase toda a população, os quais, mandato após mandato, se sentam, silenciosos, nas cadeiras da Assembleia da República…», critica o parecer do CG/ ANMP. no Diário Coimbra

Uma reforma que todos reclamavam mas que quando passa o papel...

Vitor Baptista

"Sou uma pessoa desassossegada. Quando estive no Governo Civil, em quatro anos, tive intensa actividade junto do governo. Um dia recebi uma delegação de dirigentes do PSD. Disse–lhes da minha intenção de fazer avançar a ligação Taveiro–Montemor, de uma auto–estrada para a Figueira, da ponte. recordo–me bem das palavras do prof. Barbosa de Melo, que me disse: “se conseguir isso, é um bom passo para Coimbra”. O facto é que, quando saí, a auto–estrada estava em curso, a via rápida já estava construída até Arzila e a ponte estava em concurso. São questões simples, mas que demonstram que não sou uma pessoa sossegada. "nas Beiras

O candidato dos socialistas à Câmara Municipal de Coimbra. Aprovado por unanimidade na Comissão Política da Federação.

A camisola......

SOURE – Juntas do PSD acompanham João Gouveia na “mudança” para o PS"

João Gouveia, actual presidente do município de Soure, deverá ser o próximo candidato do PS à câmara local como independente. O DIÁRIO AS BEIRAS apurou que João Gouveia, autarca desde 1993 pelo PSD, deverá apresentar ao eleitorado do concelho de Soure a mesma equipa que o acompanha desde os dois últimos actos eleitorais. Curiosamente, a maioria dos elementos foram, no passado, "destacados" militantes do PS local. Recorde–se que, por exemplo o seu actual vice–presidente, Santos Mota foi o fundador da Juventude Socialista de Soure. O DIÁRIO AS BEIRAS apurou que as 12 Juntas de freguesia, também elas do PSD desde as autárquicas de 2001, deverão acompanhar João Gouveia nesta "mudança", segundo fontes próximas da referida candidatura socialista.A candidatura de João Gouveia como independente é encarada no concelho de Soure como um dado adquirido pelos munícipes que, contactados pelo DIÁRIO AS BEIRAS, confirmam a candidatura do autarca pelas listas do PS. Para a maioria dos cidadãos do concelho, que tradicionalmente vota PS em todos os actos eleitorais, à excepção das autárquicas, a candidatura do actual presidente da câmara do PSD é vista com alguma naturalidade.Confrontado com a notícia, Victor Baptista, presidente da distrital do PS de Coimbra, disse que "não comentava" e negou o convite ao actual autarca social–democrata para encabeçar a lista do PS à câmara de Soure. Porém, quando confrontado com a questão do convite ter surgido ao nível concelhio, Victor Baptista admitiu que os convites para as próximas eleições autárquicas estão a ser formulados a nível nacional.O DIÁRIO AS BEIRAS tentou confirmar a informação com o próprio autarca, mas este não esteve contactável durante todo o dia. Recorde–se que o concelho de Soure foi, durante muitos anos, conhecido como "o Município mais socialista da Europa". Em 1993, João Gouveia quebrou essa tradição ganhando pela primeira vez a câmara para o PSD. Nos actos eleitorais assistiu–se à mudança de autarcas do PS para o PSD, nomeadamente alguns presidentes de junta.Recorde–se que, por coincidência (ou não), João Gouveia esteve ausente no último Congresso Nacional do PSD que (até) se realizou a poucos quilómetros de "casa", mais concretamente no vizinho concelho de Pombal-in Beiras, 27/04/2005

A isto é que se chama o “pacote” completo......

Nuno Moita da Costa

terça-feira, abril 26, 2005

Assim vai a Direita

Não foi só o eleitorado que pôs termo à deriva reaccionária e populista que começou com o Governo de Durão Barroso/Paulo Portas para terminar na triste mediocridade de Santana Lopes/Paulo Portas que as últimas eleições varreram para o caixote do lixo das recordações amargas.

Aconteceu nos partidos de direita uma regeneração a que urge estar atento. No PSD, depois da deserção de Durão Barroso, quando o projecto populista parecia acelerar, o Governo desintegrou-se perante a incompetência e radicalismo da dupla que o liderava. O PSD não perdoou aos responsáveis e, no conclave social-democrata, os congressistas ignoraram Barroso e derrotaram Luís Filipe Meneses num claro repúdio de Santana Lopes e da aventura populista, dando a vitória a Luís Marques Mendes

Também no CDS as manobras de bastidores tiveram efeitos contraproducentes. A teia urdida em sigilo para que Telmo Correia assumisse a regência do partido e as derrotas que se avizinham, enquanto Paulo Portas fazia um interregno para o regresso apoteótico, à altura das suas ambições, para liderar a direita, redundou em fracasso. Os ressentidos congressistas desfeitearam Paulo Portas e humilharam o seu delfim. Elegeram Ribeiro e Castro, uma relíquia dos tempos de Freitas do Amaral e Amaro da Costa quando o CDS aspirava ser o rosto humano do conservadorismo.

O PPD e o PP entraram em convalescença, combalidos por anos de oportunismo e demagogia. O PSD e o CDS regressaram e a cassete neo-liberal vai ficar algum tempo entre parêntesis. A direita vai entrar em convulsões.

Não podendo viver sem o poder, depois de não terem sabido o que fazer com ele, os mais empedernidos reaccionários aguardam a oportunidade para cravarem farpas no lombo dos moderados que tomaram conta dos respectivos aparelhos partidários.

Metro

"A Provedora do Ambiente e Qualidade de Vida Urbana de Coimbra, Helena Freitas, remeteu um parecer para o Instituto do Ambiente, no qual alerta para o perigo ao nível dos aquíferos e linhas de água com a construção do túnel para o futuro Metropolitano Ligeiro do Mondego (MLM)." no Portal Ambiente

Olha a novidade

"Um em cada três portugueses sofre de distúrbios mentais, seja do foro psiquiátrico ou neurológico, o que custa anualmente 6,6 mil milhões de euros em cuidados de saúde, medicamentos e absentismo no trabalho, revela um estudo europeu." no Diário Digital

Fiquei esclarecido da razão de muita coisa.

Campanha autárquica.

As relações entre o futebol e a política estão para durar. Pinto da Costa esteve num jantar de apoiantes à candidatura socialista a V.N.Gaia tendo inclusivé licitado um quadro por 500 euros.
Aguardamos pelo inicío da campanha social democrata.
Em Coimbra, esperamos ver o presidente da Académica apenas nas acções de campanha do PSD.

segunda-feira, abril 25, 2005

Viva o 25 de Abril.


Trinta e um anos decorridos sobre a manhã libertadora de Abril, parecia já que a memória definhava sob a ameaça de uma dupla de estarrecer - Santana/Portas. Tinham um projecto político e um objectivo para cercear a democracia. Perdeu-os a ausência de um plano para governar Portugal.

A reabilitação da guerra colonial estava em curso, o regresso dos velhos valores tinha um discurso, uma lógica e um projecto, seguidos pelos que nunca se conformaram com a perda do Império e o descrédito da ditadura.

Era o regresso mole a uma dura forma de governo.

Em Portugal, onde a memória é curta, já se tropeça no branqueamento dos crimes da ditadura. Foi preciso que um Pide contasse, há anos, numa versão pouco credível, embora, como a Polícia assassinou o General Humberto Delgado para, de vez, destruir a cabala de que os correligionários o teriam feito para criar um mártir. Como se a liberdade precisasse de tantos mártires, como se a dignidade de um Povo precisasse de justificação, como se a democracia tivesse de pedir licença para existir.

A descolonização fez-se, o desenvolvimento aconteceu, a democracia vai-se fazendo de forma lenta, com recuos, com o agravamento obsceno das desigualdades sociais, sem o entusiasmo, a generosidade e o espírito solidário com que os capitães de Abril contagiaram Portugal. Mas nada, absolutamente nada, pode ser pior do que o Portugal beato, rural e analfabeto que o salazarismo manteve graças à repressão policial.

Acabou a PIDE, as prisões políticas, a censura, o degredo, o exílio, a tortura, a discriminação da mulher, a violação do domicílio e da correspondência. Restauraram-se os direitos cívicos, implantou-se a democracia. É pouco? Nunca tão poucos fizeram tanto por Portugal - capitães de Abril.

O País não era a casa comum dos Portugueses. Era a cela colectiva dos que não fugiam. O 25 de Abril transformou Portugal. Tanto tempo nas nossas vidas, tão pouco na história de um povo.

Viva o 25 de Abril. SEMPRE.
Carlos Esperança Posted by Hello

domingo, abril 24, 2005

O congresso do CDS


Um partido residual, onde se albergam liberais, democrata-cristãos e conservadores e se acobertam os que não são cristãos, nem democratas, nem liberais, dividiu-se ontem entre o vencedor antecipado, Telmo Correia, e o vencedor surpresa, Ribeiro e Castro.

Enquanto Paulo Portas tirou féria sabáticas para preparar um regresso, que pode levar anos, e um projecto de alteração de regime para aparecer como o D. Sebastião de um Governo autoritário e vagamente reaccionário, os congressistas confiaram ao eurodeputado Ribeiro e Castro a regência do CDS e a tarefa de o conduzir nas derrotas que se avizinham.

Paulo Portas assumiu a postura de Estado e denunciou a deserção de Durão Barroso para Bruxelas como o fim do «contrato de confiança com o eleitorado» numa confissão da legitimidade política com que Jorge Sampaio provocou eleições, sem nunca admitir o descalabro da governação de que a coligação de que fez parte foi responsável. Curiosamente não responsabilizou Santana Lopes pelo desastre, um sinal de que precisa no PSD de quem, não tendo ideias, seja conveniente para o projecto que acalenta.

Não faltou ao conclave o ar beato e as referências religiosas. O CDS/PP é um partido velho que serviu para reciclar salazaristas sob a égide de Freitas do Amaral e de Lucas Pires mas que acabou seduzido pelo passado a fechar o espaço dos que quiseram transformá-lo num partido conservador europeu de matriz democrática e indiscutível ruptura com o passado.

A data da convocação do congresso, com a eleição de Ribeiro e Castro (seria igual com Telmo Correia) no dia 24 de Abril, é uma metáfora do programa e da ideologia que anima o pessoal político do partido mais à direita com representação parlamentar em Portugal.

Há 31 anos, o dia de hoje foi o último da ditadura. O CDS ainda não era necessáro. Este congresso, além de um conclave partidário, foi uma romagem de saudade.
Carlos Esperança Posted by Hello

sábado, abril 23, 2005

SIM à Constituição Europeia


A vitória do NÃO francês, que se desenha no próximo referendo, não será a tragédia que alguns profetizam mas é uma forte decepção para os que acreditam na Europa e desejam a vitória do projecto europeu.

Vários factores se conjugam para o resultado cujas consequências são imprevisíveis: a irritação do eleitorado com o Governo, a insatisfação social, a insuficiente laicidade do texto constitucional, a objecção à entrada da Turquia e a hostilidade ao presidente da Comissão Europeia, tolerado pela França e Alemanha, com a bênção da Inglaterra e um currículo onde apenas se destaca o apoio à invasão do Iraque.

Não é verdade que o tratado da Constituição Europeia tenha sido pouco debatido nem que o desconhecimento do seu conteúdo seja geral. Penso que foi menos discutida a Constituição Portuguesa e é bem mais ignorada pelo comum dos cidadãos. Todavia o NÃO parece ser sempre mais apetecível do que o SIM numa vertigem suicida que pode conduzir a Europa à desintegração. Mesmo no aspecto social, que justamente se exige, o texto é bem mais avançado do que o da grande maioria das constituições nacionais.

A paz e prosperidade que a Europa conheceu depois da guerra de 1939/45 pode estar ameaçada por agressivos nacionalismos que a construção da União Europeia foi contendo. As forças adormecidas pelo bem-estar económico e relativa paz social podem ser despertadas para o desvario tribal que não é apanágio exclusivo da região balcânica.

Quando a política externa e a defesa comum deviam estar já a dar passos decisivos, corremos o risco de um retrocesso com danos irreparáveis, arrisca-se o colapso das pequenas economias e o desespero de enormes camadas da população disponíveis para aventuras populistas ou projectos totalitários.

A França sabe que sem ela e a Alemanha não há projecto Europeu viável. Os franceses têm o direito de decidir livremente mas, da sua opção, depende o futuro de um espaço civilizado e culto, depositário dos ideais humanistas e dos princípios democráticos onde milhões de homens e mulheres gozam o privilégio de viver num Estado de direito.

O fracasso do desígnio europeu é a renúncia a um projecto de equilíbrio com a crescente hegemonia americana e a desistência de, num clima de colaboração harmoniosa, conter os aspectos agressivos da política unilateral dos EUA onde se misturam a arrogância e o belicismo com laivos de proselitismo evangélico.

Eu digo SIM à Europa. Estou habituado a perder mas, desta vez, perdemos todos.
Carlos Esperança Posted by Hello

sexta-feira, abril 22, 2005

Eleições no Instituto Politécnico de Coimbra

Informações acabadas de chegar à Redacção do «Ponte Europa» dão conta dos seguintes resultados:

Farinha ........................... 107 votos
Páscoa .............................. 57 »
Rui Antunes ........................ 52 »
Benjamim .......................... 83 »
Brancos ou nulos ..................... 3 »

A segunda volta será disputada entre os dois candidatos mais votados.

Nota: Devido à hora tardia, não é possível confirmar os resultados que, todavia, temos por exactos.

Distracção

O Marcelo Nuno anda mesmo em baixa de forma, razão pela qual os seus amigos malosianos não param de lhe bater na cabeça.
No seu artigo de opinião de hoje vem dizer uma data de inverdades com o objectivo último de falar mal do candidato socialista.
1.ª Baptista foi o único socialista que se revelou disponível para ser candidato. Penedos recusou ser votado, Marinho é candidato na Figueira da Foz ( ainda não tem o dom da ubiquidade) e os restantes são válidos militantes mas não declararam a sua disponibilidade;
2.ªo Dr. Marinho ainda não foi votado na comissão política da Figueira da Foz;
3.ª Se o Bloco de Esquerda não tem expressão autárquica (admitindo que sim) que o preocupa?
4.º Se o vereador Gouveia fez um excelente trabalho, diga-nos o n.º de habitações sociais construídas neste mandato.
Mas faz bem o PPD/PSD ir a votos com apoio do PCP. Deviam era assumir essa coligação, bem como com o PP. Se não é um saco de lacraus será um molho de brócolos!

Todos os dias: Projecto Acabado!

Não é necessário reinventar algo que já existe: o 25 de Abril.
Mas este, tem ainda tantas potencialidades para cumprir! A solidariedade, a igualdade e mesmo a liberdade! É um projecto inacabado! Já se viveram outros tempos. Bem sei. Há que ter consciência... e que somos feitos de muitas épocas: A monarquia, a ditadura e a democracia!.. e que as conquistas de Abril são frágeis ... pois surgem dos escombros do passado as atrocidades da ditadura mesmo julgadas e aprisionadas como numa monarquia! 40 anos a tentar superar forças... que nos maltrataram, travaram, confundiram e nos mataram! E hoje... tantas vezes vencedoras!
Esquecemos o passado e tornamo-nos incapacitados face ao futuro... umas vezes adivinhado outras incerto, umas vezes esperançado outras assombrado!
A reconstrução do projecto inacabado? Este, pede a todos, antecipação ao passado, dianteira e cumprimento das suas potencialidades: a solidariedade, a igualdade e mesmo a liberdade! Estas, longe de serem património imutável, são herança de Abril sem testamento passado! Seremos nós capazes de a usufruir dignamente? Sim! Activamente! Reconstruindo a sua força! Força!!! Força: que é atitude responsável para com o desempregado, o doente, o violado, o roubado, o explorado, o excluído, o amordaçado e o perdido... que nos é confiado! Força!! Força: que é atitude de esperança de uma identidade comum: o empregado, o saudável, o não violado, o não roubado, o não explorado, o incluído, o livre e o encontrado! Um projecto acabado! É necessário reinventar algo que já existe: o 25 DE ABRIL!

Oliveira

A escolha de Maria José Freixinho para a candidatura à Câmara Municipal de Oliveira de Hospital acaba por ser uma boa solução.
Desde logo por ser um quadro com valor, tendo exercido funções no gabinete de Luís Parreirão e distinguindo-se no concelho pelo exercício da sua actividade profissional.
Mas também por se conseguir desviar alguns votos ao PP...

PS. O "Dr Horácio" é que ficou satisfeito...

Ai Jaime...

"Jaime Soares manifestou--se ontem duplamente satisfeito, não só por ter, em seu entender, “posto um ponto final” na “tensão” de Soure, mas também pelo facto de ver Zita Seabra, cabeça de lista por Coimbra nas últimas legislativas, eleita para a vice-presidência do grupo parlamentar do PSD. " no Diário de Coimbra

Se Jaime Soares está satisfeito, nós também. Sendo público que foi crítico da imposição do nome de Zita Seabra como cabeça de lista pelo PPD/PSD nas últimas legislativas e não se tendo ainda ouvido um único comentário da boca de João Gouveia, apetece perguntar como fazia o brasileiro Juca Chaves, ri de quê?

IPC

Decorrem hoje as eleições para o Instituto Politécnico de Coimbra, facto que tem merecido alguns comentários neste blog.
Torres Farinha é sem dúvida o candidato de consenso.

Concordo

" Nós gostamos de dizer mal pelas costas e bem pela frente. Nós gostamos de ser amigos de toda a gente e de não gostar de ninguém. Nós gostamos de ser manhosos e, passe a palavra (olhe, lá está a minha truculência!), gostamos de ser merdosos. E eu não gosto disso. É um lado da alma portuguesa que me irrita profundamente." José Miguel Júdice ao DNA, 22.04.05

ARS

Fernando Regateiro é o novo presidente da ARS. Já tínhamos anunciado...basta preencher os espaços.

quinta-feira, abril 21, 2005

Agora é que vamos saber

"A homenagem “Coimbra, Prestígio e Reconhecimento” encontra-se rodeada de grande expectativa, quer por ser a ocasião em que serão revelados as pessoas e/ou instituições a que é devido um reconhecimento, quer por constituir também uma surpresa para alguns dos agraciados. Seguir-se-á um convívio entre todos os convidados no decorrer do jantar servido no Centro Cultural D. Dinis, sob a responsabilidade dos Serviços Sociais da Universidade" no Campeão

Benfica

V: Ainda sonha com a guerra?
ALA: Às vezes tenho um pesadelo tremendo. Sonho que me estão a chamar para voltar para África. Tento explicar que já fui, argumentam que tenho que ir. E o sonho acaba aqui. Nunca sonhei com tiros ou com morteiros. No meio daquilo tudo havia muito humor. Havia um homem, o Bichezas, que cuidava do morteiro que estava ao pé da messe. Tínhamos mais medo dele do que do MPLA, porque o Bichezas disparava com o morteiro na vertical. Aquilo subia.... e toda a gente fugia. Apesar de tudo, penso que guardávamos uma parte sã que nos permitia continuar a funcionar. Os que não conseguiam são aqueles que, agora, aparecem nas consultas. Ao mesmo tempo, havia coisas extraordinárias. Quando o Benfica jogava, púnhamos os altifalantes virados para a mata e, assim, não havia ataques.
V: Parava a guerra?
ALA: Parava a guerra. Até o MPLA era do Benfica. Era uma sensação ainda mais estranha porque não faz sentido estarmos zangados com pessoas que são do mesmo clube que nós. O Benfica foi, de facto, o melhor protector da guerra. E nada disto acontecia com os jogos do Porto e do Sporting, que coisa que aborrecia o capitão e alguns alferes mais bem nascidos. Eu até percebo que se dispare contra um sócio do Porto, mas agora contra um do Benfica?
V: Não vou pôr isso na entrevista...
ALA: Pode pôr. Pode pôr. Faz algum sentido dar um tiro num sócio do Benfica?

Excerto de uma entrevista de António Lobo Antunes à revista Visão

Rumores?

"João Gouveia é o mais que provável candidato do PS em Soure. O “histórico” autarca do PSD, que tem somado vitórias na liderança da autarquia, estará prestes a “mudar de cor”, perfilando-se como candidato pelo Partido Socialista. Os rumores circulam “à boca cheia” e o “tabu” só deverá ser desfeito sábado, pela voz do próprio João Gouveia" no DC.
Queres ver que tínhamos razão?

Vice Campeão

No passado fim de semana a Comissão Política Concelhia do Partido Socialista escolheu o seu candidato à Câmara Municipal de Coimbra numa reunião serena, apesar do debate.
Curiosamente, o semanário local que tinha avançado com a notícia de uma sondagem para a sua primeira página, esta semana vem associar-se à pacífica eleição, reduzindo a escolha do maior partido da oposição camarária a uma notícia sobre boletins voto e declaração de voto de João Silva.
Como tudo seria diferente se a votação não fosse tão expressiva...!
PS: Saúdo a subida acentuada do Campeão nas consultas pela internet, lamentando não podermos continuar a dar o nosso contributo por a edição de hoje ainda não estar disponível.

«Independente» condenado por difamação

«O semanário Independente foi hoje condenado por difamação ao pagamento de 150 mil euros de indemnização a Ferro Rodrigues, Vieira da Silva e Paulo Pedroso. A directora, Inês Serra Lopes, foi ainda condenada ao pagamento de 4 mil euros, em substituição de 260 dias de prisão. A jornalista Adriana Vale foi condenada a 1250 euros de multa ou 160 dias de prisão» - anunciou a SIC às 21h00.

O assassinato político feito à direcção do PS, a pretexto do processo «Casa Pia», ficará para a história como um dos mais ferozes ataques desferidos contra um partido político através do linchamento moral dos seus mais destacados dirigentes.

Independentemente do veredicto dos tribunais, das responsabilidades individuais que venham a ser apuradas e da necessidade urgente de punir crimes de excepcional gravidade, o que se passou com os dirigentes do PS e, em particular, com o seu líder de então, foi um processo de destruição pessoal e política de modo a evitar que Ferro Rodrigues constituísse uma alternativa de esquerda ao medíocre e falhado Governo de Durão Barroso/Paulo Portas.

Recordarei sempre como se babavam de gozo, perante os ataques soezes, militantes dos partidos da direita e como eram benevolentes e cúmplices perante as violações cirúrgicas do segredo de justiça. Recordarei, ainda, a cobardia com que alimentavam as calúnias para esconderem o fracasso de quem, não estando à altura das tarefas da governação, beneficiou demasiado tempo do ruído mediático à volta do processo.

A ministra da Justiça de então, o director da PJ e o próprio Ministério Público deixaram um rasto de suspeição que o tempo não fará apagar e que os portugueses exigem ver esclarecido.

Deixemos que o processo «Casa Pia» transite em julgado para julgarmos os crápulas que comprometeram a honra e enlamearam um homem com a dimensão moral e cívica de Ferro Rodrigues. E não será o único a merecer reparação. Para já quero deixar aqui a minha satisfação por este primeiro acto de justiça.

Timor - Um protectorado do Vaticano


Não sei se é a influência do desvario islâmico, que grassa na região, ou a natureza da Igreja Católica Apostólica Romana (ICAR), apenas contida nos Estados laicos, que leva os dois bispos de Timor a açular as populações autóctones contra o primeiro-ministro Mari Alkatiri, a quem acusam de chefiar um «regime antidemocrático» pelo facto de pretender diminuir o peso da religião nas escolas públicas.

Terça-feira, a ICAR passou a ter como monarca absoluto e vitalício Bento XVI, até então prefeito do ex-Santo Ofício, que, tal como os bispos de Timor, defende que «só na Igreja Católica» está a salvação, visão totalitária que sobreviveu ao concílio Vaticano II, que a repudiou pela primeira vez.

No mesmo dia em que o cardeal-inquisidor se tornou Papa, os bispos de Dili e de Baucau, largaram nas ruas da capital de Timor, sob o comando do padre Benâncio Araújo, cinco mil timorenses armados de terços e imagens da Virgem, numa manifestação contra o Governo, que acusam de antidemocrático por pretender tornar facultativa a disciplina de religião e reduzir a sua carga horária.

O padre Benâncio, porta-voz da Diocese de Dili, apelou ainda a outros membros da ICAR para organizarem manifestações para «derrubar o regime antidemocrático», eleito democraticamente.

O episcopado timorense exige o ensino obrigatório da religião na escola pública. Desde há dois meses, a Igreja católica, que contribuiu corajosamente para a libertação do povo de Timor leste, não se conforma com a liberdade religiosa. Combate o Governo e quer transformar o jovem País num protectorado do Vaticano.

Portugal e a Europa poderão salvar Timor?
Carlos Esperança Posted by Hello

quarta-feira, abril 20, 2005

Esta JSD...?!

A JSD é um composto, energia nuclear, pezinhos de lã ou velha ponte?
A atentar nos comentários ao post

Dolce Vita

Na inauguração do Dolce Vita, pude ouvir um comicío de Carlos Encarnação e perceber o que sentirão os seus companheiros de partido na campanha; Constatei as relações de "amizade" entre o presidente e o vice; espantei-me ao ver a devoção com que dois socialistas se benziam.

BOAVENTURA DE SOUSA SANTOS, Difícil Libertação da Teologia

Recomendo a leitura do artigo de BOAVENTURA DE SOUSA SANTOS em http://www.andreper.blogspot.com/

Esclarecimento

Quando se tomam posições em coerência com o que se defende não se devem fazer extrapolações erradas. O jogo tem regras e a elas devemos obediência, jogando-se sempre só num campo. Querer jogar em muitos tabuleiros só dá disparate.
Apoiei Vitor Baptista a candidato à Câmara Municipal na lógica do que sempre afirmei na minha candidatura à concelhia, ou seja, que na data em que a comissão política tivesse de decidir se faria a avaliação dos candidatos disponíveis e aí faria a minha opção.
Naquela comissão, o único nome que foi submetido a votação foi o de Vitor Baptista num sinal que interpreto de unidade, que não de unicidade, do partido em torno de uma candidatura ganhadora. Nem outra coisa me passa pela cabeça!
Bem sei que Paulo Penedos mostrou no inicío da reunião disponibilidade para o seu nome ir a votos, mas retirou a candidatura com um discurso que intepretei de unidade.
Também sei que antes dessa reunião só havia um militante que tinha revelado a sua disponibilidade para ser candidato, condição indispensável para se ir a votos. Ninguém deve ser candidato à força.
Li na imprensa análises sobre candidaturas e candidatos, sondagens e estudos de opinião, mas não ouvi ninguém mais dizer que queria ser candidato.
E nem me venham falar que havia outros. Eu falo de factos, e esses são os que apresento.
Dito isto, concluo dizendo que esse apoio foi de convicção e que estamos nestas eleições para ganhar com uma equipa e não apenas com um candidato.
Não me acusem agora por ter sido coerente com os princípios que defini desde sempre.
Da mesma forma que não faço insinuações sobre quem não concorda comigo.
E não se confundam estratégias ou outros combates eleitorais. Aí sou assistente...não jogo.
A não ser que me veja obrigado.

Ratzinger: o (novo) Papa!

É verdade. Os que ainda tinham ilusões de que a Igreja católica iria usar a sua grande influência em prol da democracia política, social e económica no terceiro mundo; que iria reconhecer um estatuto às mulheres condizente com a Declaração Universal dos Direitos Humanos; uma abertura da Igreja à sociedade que aspira por valores e práticas progressistas no plano cultural e social, todos esses tiveram uma grande desilusão ao saber a verdade negra que se escondia sob o fumo branco na cidade do Vaticano na tarde de ontem.

Parece que resta agora à Igreja católica perder mais e mais seguidores na América Latina, ocupar um espaço cada vez mais radical e, naturalmente, mais marginal na Europa e nos Estados Unidos. Sim, o católico democrata de Bóston, John Karry, não se identifica com os valores de Ratzinger. Sim, o Presidente do Brasil e tantos dos seus companheiros e camaradas de Partido não acompanham o pensamento deste Papa. Sim, muitos católicos progressistas europeus sempre viram naquele Cardeal a expressão das forças reaccionárias no Vaticano que dominaram o papado de João Paulo II.

(Novo) Papa?! Sim, o ideólogo do carinhoso e carismático Papa da Polónia era desde há muito o bávaro Ratzinger. A escalada da Opus Dei no Vaticano; a (no entender de muitos) deturpação do Concílio Vaticano II; um pensamento obtuso e cerrado que cativa poucos e cada vez menos tinham uma assinatura. A que agora dá pelo nome de Bento XVI.

Estaremos atentos agora à diplomacia do Vaticano, às aspirações de certos grupos no domínio económico e às campanhas ideológicas retrógradas no domínio da Bioética.

André Pereira

Antão temos paz?

A escolha do candidato a Góis vai ocorrer na próxima sexta-feira. São positivos os sinais que chegam desta notícia, concordantes com o que já aqui tinha ontem referido.
Haverá fumo branco de certeza mas Girão precisa de calma e serenidade nas avaliações.

terça-feira, abril 19, 2005

Aos que falam sem saber

"Conhece-te a ti próprio. Não dês ouvidos a rumores Nem ajas ou fales sem pensar primeiro; Sê acessível, simples mas sem vulgaridade; Aos amigos, após experimentados, aceita-os, prende-os com arpões de aço, mas não dês primeiro a mão em demasia a qualquer estoirado camarada."
William Shakespeare, Hamlet

Uma questão

Se os candidatos às Câmaras Municipais devem merecer a aprovação das comissões políticas concelhias, como entendo, qual é a questão que ainda paira sobre os candidatos de Coimbra e Figueira da Foz?
Em Coimbra está resolvido. Na Figueira da Foz resolver-se-á e respeitar-se-á.
Em Gois também. Apesar de neste caso estarmos perante uma recandidatura e as orientações serem outras. Lembram-se de Soure? Vá lá que se calhar tudo se resolve a contento.
Cabeças saberá respeitar o partido a que pertence e o partido saberá respeitá-lo como merece.

Façam-lhe justiça

Manuel Machado, espírito que atormenta ainda muitas mentes, no final do seu mandato afirmava que para haver co-incineração era necessária uma licença e que o seu executivo não a emitiria. Carlos Encarnação, depois de fazer uma campanha para as autárquicas e para as legislativas com esse processo como arma de arremesso, vem agora dizer o que já se sabia.
E por falar em Manuel Machado, independentemente dos erros que cometeu, nunca permitiu um endividamento irresponsável da autarquia, muito menos em obra feita.
O mesmo Manuel Machado que garantiu nunca viabilizar nenhum empreendimento imobiliário caso a Estaco fosse encerrada. E é o que se vê...
Chegados aqui apetece perguntar se um homem que se afastou da vida política activa, que soube aceitar a sua derrota democraticamente, não merece que a cidade tenha para com ele uma atitude diferente?
Não nos esqueçamos que 90% das obras agora apresentadas por Carlos Encarnação foram por ele projectadas e por ele garantidas de financiamento.
Os outros 10 % são o estádio de Taveiro e o Eurostadium ( diferenciar da remodelação do Estádio Municipal de Coimbra).

Tratado da constituição europeia

Afinal de contas, para que serve o referendo se não há esclarecimentos sobre a questão?

Para que serve o tratado?

Ficamos mais ricos? Mais pobres?

O que perdemos? O que ganhamos?

Senhores políticos, façam o trabalho de casa, venham explicar para que serve tal coisa.

segunda-feira, abril 18, 2005

Lei Anti-Jardim

Mais uma vez, Alberto João, veio a terreiro bradar contra o "sistema"! É que a proposta do PS de limitação de mandatos políticos, vem pôr cobro à sua continuidade como governante, podendo apenas candidatar-se por mais um mandato, perfazendo deste modo, 37 anos no poder!!
Porém, esta proposta ao limitar - e bem - os mandatos dos detentores de cargos de topo do poder executivo parece não afectar ministros, vereadores e deputados. Não sairão estes últimos fustigados na sua legitimidade democrática?!

Casa da Música em Coimbra

Coimbra, com todo o seu passado histórico, apresenta-se como um centro cultural por excelência. No entanto, enquanto Capital Nacional da Cultura, pôs a nu o que todos já sabíamos: a ausência de espaços físicos apropriados e com capacidade para receber grandes espectáculos!
Caberá ao futuro Presidente da Câmara Municipal (acredito que será socialista... força Dr. Victor Baptista), promover a manutenção da cidade como capital da cultural a nível nacional e de sempre, criando políticas adequadas, chamando a si a colaboração das elites políticas, culturais e empresariais. É imperativo também promover um perfil de cariz internacional, num contexto de sistema global, pois a nossa urbe tem potencial para se elevar como um grande centro cultural mundial! Enquanto cidadã, gostava de ver nascer uma Casa da Música em Coimbra!!

VI FESTIVAL ESCOLAR DE TEATRO DE TEMA CLÁSSICO

ORGANIZAÇÃO: FESTEA – TEMA CLÁSSICO – ASSOCIAÇÃO PROMOTORA
LOCAIS: COIMBRA, CONIMBRIGA, VISEU, BRAGA, SINTRA
DATAS: ENTRE 20/4 e 18/05 DE 2005
Dia 20 de Abril de 2005, quarta-feira, em Conimbriga, pelas 11h
Dia 21 de Abril de 2005, quinta-feira, em Coimbra, no Colégio São Teotónio, pelas 15:30h
As Mulheres no Parlamento de Aristófanes, pelo grupo Thiasos do IEC Porque se trata, antes de mais, em As Mulheres no Parlamento, de fazer aprovar uma nova estratégia governativa que revolucione os parâmetros tradicionais, manifestamente ineficazes, da vida política ateniense, Aristófanes encontra nesta comédia uma oportunidade de parodiar de novo o símbolo máximo da vivência democrática da sua cidade: a assembleia do povo. Ao retomar uma temática que havia desenvolvido já na mais antiga das peças que conservamos da sua autoria, Acarnenses, Aristófanes permite-nos constatar, um quarto de século volvido, as mudanças profundas que se haviam operado na vida ateniense, e, do ponto de vista dramático, duas realizações distintas de um mesmo motivo paródico.
Argumento: As mulheres, por instigação de uma de entre elas, decidiram deitar mão a todo o tipo de manobra para parecerem homens e, presentes na assembleia, convencê-los a entregar-lhes o governo da cidade. Os meios de que se serviram para assumirem um aspecto masculino foram os seguintes: colocar barbas postiças, vestir roupas de homem, preparar e exercitar o corpo, de modo a darem-se ares o mais possível masculinizados. Uma delas, Praxágora, de tocha em punho, vem cá fora, de acordo com o combinado, e diz: ‘Ó olho brilhante!’

Dívida de Angola

Angola tem estado a regularizar a dívida para com as empresas portuguesas que aceitaram os termos do protocolo celebrado pelos dois governos. Dos 137 processos de reclamação créditos, entregues às autoridades angolanas, via ICEP, 84 estão conciliados e 76 já foram pagos. In Revista Câmara Comércio e Indústria Portugal Angola.
Eis um bom sinal de cooperação e um sintoma de que o gigante adormecido começa a despertar. Devemos dar atenção às relações comerciais com aquele país irmão, acompanhando os italianos e brasileiros nos grandes investimentos que ali estão a realizar.

Férias de Durão Barroso


«O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, passou férias num barco privado de um milionário grego, depois da sua nomeação para liderar o executivo da União Europeia no Verão passado. O ex-primeiro ministro português já desvalorizou a notícia» - anunciou a TSF.

O problema não reside no facto de Durão Barroso ter amigos ricos que lhe oferecem viagens de 20 mil euros, reside na suspeita que lança sobre a forma como se comporta no exercício do poder e na apreciação que os europeus façam do seu comportamento.

Depois de alguns meses de uma presidência atribulada e sem grandes rasgos, a notícia em causa não contribui para o prestígio do presidente da Comissão Europeia nem para a credibilidade de que carece para o exercício do cargo.

Depois do episódio da quinta da Falagueira, protagonizado em Portugal como primeiro-ministro, esta notícia é mais uma nódoa que escorre para o pano da sua trajectória política e não deixará de ter efeitos negativos sobre a sua imagem pessoal e a dos políticos oriundos dos países do Sul da Europa, considerada venal pelos seus colegas do Centro e do Norte.

À mulher de César não lhe basta ser séria.
Carlos Esperança Posted by Hello

Candidatura à Câmara Coimbra

Na sequência da última Comissão Política Concelhia do PS foi escolhido, com 50 votos a favor em 60 eleitores, Víctor Baptista como o candidato à Câmara Municipal de Coimbra.
Depois de um debate intenso e aberto, saude-se a expressiva votação registada no candidato bem como a disponibilidade revelada por todos os socialistas, sem excepção, de se unirem a partir de agora em torno dessa candidatura, por forma a vencer as próximas eleições autárquicas.
Esperemos que os socialistas saibam ser solidários, que cessem as polémicas entre eles e que os protagonismos cedam a projectos políticos vencedores .

Aviso à navegação...

A participação no blog dos que por aqui passam é sempre bem vinda e corresponde a um contributo positivo para os debates e comentários que aqui deixamos.
Essa participação tem ocorrido em regime aberto, sem necessidade de prévia identificação, por considerarmos que muitos dos nossos leitores não estão registados e não o queiram fazer.
Contudo, o meu colega Carlos Esperança já deixou um alerta à navegação que passo a transcrever e que gostaríamos ver como prática futura:
As acusações ganham credibilidade quando subscritas por quem se identifica.Sob a capa do anonimato são lixo que um leitor honesto deve varrer.Quem se dedica à política presta um serviço à colectividade, não pode ser enxovalhado por calúnias e acusações não provadas.A liberdade de expressão não é um direito à calúnia a que o anonimato convida.O Ponte Europa recebe com agrado todas as críticas. Pessoalmente já agradeci aos autores ataques vigorosos, porque deram a cara, ou seja, o endereço.Saibamos ser dignos da liberdade conquistada fazendo críticas fortes e denúncias certeiras mas assumindo a autoria.

Não é altura de pensar na energia nuclear para Portugal?

Ao que parece, a Natureza foi-nos pródiga no que toca às jazidas de urãnio. Toda a gente sabe que escorre até ao Mondego os resíduos das explorações abandonadas da ENU. Se já estamos a levar com os incómodos, porque é que não construímos centrais nucleares para deixarmos de ser tão dependentes do estrangeiro em termos energéticos?

Não é este o nosso único "petróleo"? A força do vento, das marés e do sol não bastam.

Os espanhóis têm as centrais deles bem perto da fronteira, portanto em caso de acidente já estavamos condenados.

É tempo de pensarmos a sério sobre isto.

sábado, abril 16, 2005

O crime compensa. Velhas calúnias do PSD

Hoje já poucos recordam o escândalo à volta da Fundação para a Prevenção e Segurança (FPS) criada por Armando Vara quando era secretário de Estado da Administração Interna e do circo mediático que o PSD montou para destruir o Governo de Guterres quando Vara era já ministro do Desporto.

O PSD não tinha então qualquer projecto de Governo mas tinha uma enorme ambição de poder. Não apresentava alternativas políticas mas esforçava-se por encontrar casos de polícia. Não tinha um líder credível e desesperava com o prestígio internacional e o mérito do Eng.º Guterres. À falta de argumentos procurou a lama com que o desonrasse.

Foi assim que, juntando o chinfrim feito pelos deputados na Assembleia da República ao alvoroço que levaram à comunicação social, abriram brechas no Governo e prepararam a vitória das autárquicas que abalou o prestígio do Governo e minou a capacidade política do primeiro-ministro para prosseguir a legislatura.

As alegadas infracções financeiras de que o PSD acusou a FPS não existiram. As transferências de verbas e os subsídios atribuídos foram justificados. As dúvidas lançadas foram esclarecidas. O processo da criação da FPS não deixou quaisquer dúvidas quanto à sua legalidade. A PGR mandou arquivar o processo não por falta de provas mas por se ter provado a falsidade das acusações.

A honra e o bom nome de Armando Vara e de Luís Patrão foram gravemente afectados. Só agora foram completamente reabilitados enquanto os deputados acusadores ficaram impunes e Durão Barroso foi primeiro-ministro antes de o PSD ter tempo de afastá-lo.

Entretanto o País suportou os Governos de Durão Barroso/Portas/Santana Lopes que continuaram a caluniar o Governo que os precedeu enquanto encheram o aparelho de Estado de amigos pessoais e procederam a uma governação medíocre.

Que diferença entre os Governos do PS e os da defunta coligação PSD/CDS!

Fonte: Expresso de 16-04-2005, 1.º caderno, pg. 7.

sexta-feira, abril 15, 2005

A dúvida

Será que o PSD local vai aguentar a guerrilha que está instalada entre Carlos Encarnação e Pina Prata ?
Ambos têm argumentos de peso para se apresentarem ao eleitorado:
- Pina Prata como principal rosto das Águas Coimbra mandou espalhar outdoors pela cidade a informar os locais por onde vai passar a água. São tantos que a cidade ainda hoje não percebe como ela lhe chega à torneira!
- Encarnação ao saber da publicidade de Pina Prata e da imagem que ele vai dando de operacionalidade, quer sossego.
Perante tudo isto, o mal está instalado e vai destruindo lentamente. De tal forma, que ainda vamos ter Carlos Encarnação a dizer aos órgãos do seu partido: Ou ele ou eu.

É já a seguir...

O meu camarada Paulo Penedos tem momentos únicos que não sei como classificar e que admito resultarem de maus conselheiros ou noites de revolta com o travesseiro.
Há pouco mais de 3 semanas surpreendeu tudo e todos numa c.p.c ao afirmar que se o Victor Baptista ou o Vilar não fossem candidatos, atenta a não candidatura de Fausto Correia, ele seria candidato.
Hoje as Beiras vem referir uma conferência de imprensa dada ontem onde ele se afirma como candidato a candidato por várias razões, entre as quais as de não ter sido equacionada a hipotese de candidatura do pai, José Penedos e outras personalidades. Supreendente é pouco!
Mas acho que a notícia no Campeão das Províncias sobre uma eventual candidatura de Luís Marinho terá tido o efeito alucinogénico.
Chegados a este ponto e se o Victor Baptista tiver um colapso, eu declaro o meu apoio ao Pato Donald.
Já agora sugeria a inclusão do Pato Donald numa sondagem...

Uma preocupação séria sobre o estado da justiça

Os senhores governantes devem, com a urgência que se impõe, tomar providências sobre o processo executivo. Esta fase processual está para a justiça como a cereja para o bolo. Não obstante, foi entregue, em exclusivo, aos solicitadores de execução.

Neste figurino, o processo tornou-se moroso, excessivamente caro e, pior de tudo, afastou o advogados da condução efectiva do processo.

Nesta area da justiça, podemos dizer que "quase" não há justiça.

Apelo a que alterem o sistema, basta criar uma lei que altere a parte inicial do nº 2 do artigo 808º do Cód. Civ., nos seguintes termos: "As funções de agente de execução podem ser exercidas pelo solicitador de execução ou por advogado, designado pelo exequente ou pela secretaria...)".

Não era preciso mais nada.

Há legisladores que nunca sentiram a prática...

Os sub 50...

…desde que milito no PS (desde os meus 14 anos… portanto há 14..) sempre me habituei aos rostos daqueles que dirigiam o PS … sempre os mesmos!!

O problema (não sei se de cultura ou geracional) não é apenas do PS mas sim de grande parte das organizações em Portugal: a eternidade das lideranças..

Vejam bem: há quantos anos andamos a aturar o Carvalho da Silva (CGTP), o Proença (UGT), o Presidente da Ass. Nacional de Farmácias, da AIP, da AEP, da CIP… o Valentim do Futebol,... o Jaime Soares, o Ruas, o Mário de Almeida das Câmaras Municipais…..?? tempo demais!!… será que as novas gerações não se interessam pelo exercício da liderança dessas organizações?? … Não me parece.

O problema reside na falta de estratégia de quem lidera as organizações: preparar as gerações seguintes para liderar, para serem novos protagonistas, transmitindo-lhes o conhecimento….

Isto a propósito do PS Coimbra: volvidos 14 anos encontro as mesmas lapas..

A questão é esta: tirando os dirigentes com + 50 anos estará a geração seguinte preparada para o exercício de cargos de liderança política ou exercício de cargos públicos?? Haverá concerteza tantos quantos os dedos de uma mão .. .demasiado pouco!! .. olhamos para o calhabé e verificamos o contrário.. inclusivamente na CMCoimbra onde colocaram muitos dos seus jovens quadros...

Talvez o problema no PS não exista .. porque talvez não seja precisa a geração seguinte.. talvez os mesmos estejam já preparados para exercer os mesmos… até que a morte os separe….

Resquícios salazaristas….

PS: sob pena de me acusarem que quero algo… poupo-lhes as ofensas… tenho mais que fazer!!….

quinta-feira, abril 14, 2005

Assim vai o PSD... em Leiria

Ao ler o Diário de Leiria, de ontem, veio-me à memória a farsa das eleições na época salazarista. Não é que o ainda presidente da Comissão Política Concelhia do PSD de Leiria, CARLOS POÇO, foi eleito num acto em que apareceram mais três votos do que o número de militantes que constavam nos cadernos eleitorais?

Curioso é o facto de Carlos Poço aceitar como válido um resultado que representa uma vergonha cívica (mais votos que votantes) e, mais surpreendente ainda, ter recorrido da decisão que anulou o acto eleitoral. Isto não é um simples caso político, é um caso de polícia.

Será por acaso que Leiria foi o único Distrito em que o PSD ganhou as últimas eleições legislativas? O facto de muitos cúmplices da ditadura fascista se terem acobertado no PSD pesará ainda na orientação eleitoral do Distrito?

Uma coisa é certa, a Sr.ª Presidente da Câmara faz parte dos órgãos dirigentes do PSD, saídos do congresso de Pombal, quando o processo « Apito dourado» lhe devia exigir alguma discrição até ao esclarecimento cabal dos factos.

Em LEIRIA, a Comissão Política Distrital e a Comissão Política Concelhia lançam sobre o PSD um manto de suspeita e de descrédito, mas é sobre a política, em geral, e os seus agentes, em particular, que tais comportamentos assumem particular gravidade.

Há anos, no Distrito de Aveiro, um deputado do PSD na AR votou em duas mesas de voto e foi apanhado. A ética era débil e a formação cívica precária. O advogado que o defendeu em tribunal afirmou que o estado de ansiedade eleitoral tinha provocado um descontrolo emocional momentâneo que levou o deputado à prática do crime, de que não teve consciência.

Interrupção voluntária da gravidez

O Presidente da República pronunciou-se ontem, em Paris, sobre o que pensa da perseguição às mulheres que recorrem ao aborto. Com o ar envergonhado de quem tem no seu país uma lei obsoleta e radicalmente persecutória em relação às mulheres, lembrou a sua posição de sempre e defendeu uma «solução equilibrada» para o problema.

A direita cavernícola, talvez para mostrar que o CDS ainda existe, resolveu criticar o PR, pela voz do inefável deputado Telmo Correio, que afirmou: «Não faz sentido que o Presidente da República anuncie ser favorável a uma posição uma vez que vai haver referendo».

Telmo Correia defende a manutenção de uma lei que permite a detenção de mulheres à saída de «clínicas», as escutas telefónicas, a violação da sua vida íntima e a ameaça constante de julgamento e prisão.

Os que hoje se opõem à liberalização do aborto são os mesmos que votaram contra a despenalização nos casos de violação, fetos com malformações graves ou risco de vida da mãe, situações que a lei contempla e que nem os mais trogloditas contestam já.

Governo decide

"Conselho de Ministros, na reunião de hoje, aprovou, na generalidade, dois diplomas que concretizam os compromissos assumidos no Programa do XVII Governo Constitucional, de modernização e credibilização global do sistema político, de qualificação da democracia e de reforço da estabilidade e eficiência da Administração Pública.

Proposta de Lei que estabelece regras para as nomeações dos altos cargos da Administração Pública
Com esta Proposta de Lei, o Governo pretende definir e clarificar as regras aplicáveis à nomeação dos dirigentes da Administração Pública, limitando a actual situação de discricionariedade política.

Nos termos da Proposta do Governo, torna-se claro na lei os cargos que cessam automaticamente por força da mudança de Governo e aqueles que se devem manter não obstante as vicissitudes eleitorais. Assim, o Governo propõe que apenas os altos cargos dirigentes de direcção superior cessem automaticamente com a mudança de Governo e que, mesmo de entre esses, tal regra não se aplique às secretarias-gerais, inspecções-gerais, ou organismos equiparados, bem como a outros serviços onde vigorem regras especiais de inamovibilidade ou cujas atribuições tenham natureza predominantemente técnica, assim reconhecida nos respectivos diplomas orgânicos ou estatutários.

Os cargos de direcção intermédia ficam, também, afastados deste regime de cessação automática, sendo eliminado o actual regime de simples nomeação introduzido pelos Governos anteriores. Assim, o provimento nesses lugares obedecerá a um procedimento adequado de concurso simplificado de selecção que, sem descurar a necessidade de imprimir celeridade no recrutamento, garantirá a transparência e a independência dessas nomeações.

Visa-se, com este novo regime, dar um passo relevante na história da Administração Pública Portuguesa, reforçando as condições de estabilidade das Administrações e de eficiência do seu funcionamento e restringindo-se os cargos sujeitos a variações de natureza eleitoral àquelas situações em que tal verdadeiramente se justifica, por motivo da boa aplicação do Programa do Governo legitimamente adoptado.
Do conjunto de alterações propostas por este diploma, é de realçar, ainda, o seguinte:

- O estabelecimento da exigência de cursos adequados de formação para dirigentes da Administração Pública;

- A criação da figura da Carta de Missão, que configura um compromisso de gestão dos dirigentes nomeados, relevante para a avaliação do modo de exercício das funções que lhes são confiadas;

- Possibilidade de, em caso de concursos desertos ou sem candidatos que preencham os requisitos exigidos, proceder ao recrutamento de chefias intermédias fora da Administração Pública;

- Condensa-se num único preceito, em alguns casos por remissão para diplomas avulsos, todo o regime de acumulação de funções, impedimentos, incompatibilidades e inibições do pessoal dirigente;

- Reafirma-se que os titulares dos órgãos e cargos dirigentes das sociedades anónimas de capitais públicos, das entidades públicas empresariais e das entidades administrativas independentes, designadamente das autoridades reguladoras independentes, se regem pelos regimes jurídicos específicos que lhes são aplicáveis, realçando-se, todavia, que os diplomas orgânicos ou estatutários das últimas devem prever a intervenção da Assembleia da República no procedimento de designação daqueles titulares e, ou, no acompanhamento do exercício das respectivas funções.” in www.portugal.gov.pt

Excelente medida que é, na minha opinião, um sinal claro do tipo de governação que o Partido Socialista pretende fazer no sentido de tornar o poder político na sua manifestação público- administrativa mais credível e séria, de acabar com alguns dos vícios e “lobbys” que tem impedido o desenvolvimento do nosso país . Era, de facto, altura de dizer basta à barafunda que tomava conta do aparelho administrativo do estado sempre que se verificava uma mudança de governo, com prejuízo claro para o desenvolvimento do país e para a necessária reforma da administração pública, é preciso garantir racionalidade e estabilidade na gestão da administração pública.
Este é um sinal claro da vontade reformadora deste Governo, que espero continue noutras áreas, cá estaremos para lutar por um Portugal mais evoluído e sério, onde o poder corporativo nas suas diversas vertentes (característico dos países menos evoluídos ) seja cada vez mais uma miragem...
Nuno Moita da Costa

O Referendo à Constituição Europeia

O referendo é uma forma de democracia participativa, uma consulta directa aos cidadãos sobre determinados assuntos. Serve para legitimar decisões politicas importantes.
Porém, quando a maioria dos portugueses desconhece o contéudo da Constituição Europeia, aspectos como: Carta dos Direitos Fundamentais, Quadro institucional da UE; regra das votações por maioria qualificada, etc e se pretende um referendo já em Outubro como é que as pessoas poderão votar com consciência? Não haverá falta de divulgação? Será que são os Novos Movimentos Sociais que mais uma vez terão de substituir o Estado nesse papel?

Ai se me vou a ele

As Águas de Coimbra organizam um evento no próximo sábado a que não deve comparecer o Presidente da Câmara, Carlos Encarnação.
O Plim de Pina Prata estará em queda na consideração do líder da autarquia, de tal forma que consta que este se prepara para não convidar aquele para a próxima lista do PPD/PSD/PP.

Ora dá cá tu...

Comentando um post do Miguel Oliveira os nossos companheiros do Porta Aviões viram um anónimo fazer o seguinte comentário:
Anonymous said...
Então deve ser mais uma das razões que o Ricardo Esteves tem para pedir a expulsão do "Guterres" (Presidente da DG/AAC) da Juventude Socialiasta (in JN quarta feira 16 de Abril de 2005)!Cheira-me que o Porco junior ainda se vai meter numa clara situação de conflito de interesses! Candidatou-se á DG com apoio de "esquerdoides"!Apoiou 1 "Xuxa" para presidente da DG/AAC!O seu nº de telefone consta das listagens da Juventude Socialista!Militantes da Juventude Socialista votaram na lista dele para a JSD!É indicado por um Xuxa para a vice presidencia da OAF!MAS ANDA TUDO DOIDO OU QUÊ?Á primeira escorregadela.....

Considerando que Ricardo Esteves fez acusações de participação na eleição para a concelhia de Coimbra da JS de elementos filiados na JSD, é caso para pensar que o sector de formação está a funcionar.

Pantanal

Prédio construído em zona verde é o título de uma notícia publicada no DC.
O PS tem que votar contra qualquer proposta que viole o licenciamento. Não há espaço para indefinições. E se há ilegalidades apurem-se os responsáveis. Sem excepções.
É tempo de se colocar um ponto final a insinuações e ilegalidades.

Recursos humanos ou familiares?

O Campeão das Províncias de hoje traz um artigo onde refere estar a Câmara Municipal de Coimbra a ser alvo de uma acção de fiscalização pelo Tribunal de Contas para apurar a legalidade de procedimentos desenvolvidos na área dos recursos humanos.
Na base terá estado uma participação do socialista João Silva, face ao aumento de encargos com pessoal, incluindo a contratação de dezenas de pessoas, em regime de prestação de serviços.
Não está na altura de iniciarmos uma discussão semelhante à que está a ocorrer no Brasil sobre o nepotismo?

Amores que matam


Estórias de candidaturas autárquicas Posted by Hello

PS: Está aí alguém ??...

Já não bastava o caricato do Presidente da JS entrar em conflito obtuso com o Presidente da Associação Académica dando um triste espectáculo da JS e de si.. como agora temos uma guerra (digo bem) entre o Baptista e Marinho..

Tudo isto era escusado... bastava Baptista ter tido habilidade política e ter acertado agulhas com Marinho... este (que não é nenhum anjinho) estaria ocupado com os seus afazeres (sim porque ser presidente de uma autarquia é muito diferente das funções de deputado europeu) ... e Baptista teria levado o seu projecto a bom porto..

Baptista insiste num Sarmento (ex-pc!!) cuja imagem enquanto director do Centro de Saúde não é a melhor .. diz-me um colega médico que ele fez tudo por tudo para ficar na direcção do Centro de Saúde com a malta do ppd....

Marinho poderá também não ser o melhor candidato... mas tem melhor perfil e prestigio comparando com Sarmento.....

Baptista deveria ter aprendido com o Fausto.... é preciso ocupar o Marinho.. que ele estará sempre à espreita..

Resultado disto tudo: Baptista tem que lidar com adversários antes do processo autárquico, distraindo-se com coisas acessórias...e o PS perde uma excelente oportunidade de derrotar o Duarte Silva...

De uma coisa Baptista não se livra.... tem adversário para a Distrital...

O casaco de uma vida....


O Rui, o tal bombeiro municipal que escapou à morte no incêndio em Mortágua, bem pode agradecer ao seu casaco o facto de lhe ter poupado a vida.

O problema para estes homens que dão tudo de si para salvar os outros é a constante falta de meios para, inclusivé, protegerem as suas vidas.

O Corpo de Bombeiros Sapadores Municipais de Coimbra sempre foi uma referência em Portugal: pelas instalações, equipamento, operacionalidade.. e a bravura dos seus homens e mulheres.

O problema é que este foi o último casaco comprado há mais de 4 anos...

quarta-feira, abril 13, 2005

Portugal com défice excessivo

É a primeira vez que a Comissão Europeia vai abrir pela segunda vez um processo por défice excessivo a um dos seus membros. Da primeira sabemos como o PSD, na ânsia de comprometer o melhor primeiro-ministro português do último meio século, se esforçou para obter a sanção de Bruxelas.

Agora, infelizmente, as notícias são piores e a situação mais dramática. O défice é maior, sem que os vencimentos congelados aos funcionários públicos ou a venda do património tenham conseguido suster o descalabro.

O comissário Joaquin Almunia, membro da comissão presidida por Durão Barroso, anunciou já os processos por défice excessivo a Portugal e à Itália, fazendo parte de um grupo que incluirá ainda a França, a Alemanha e a Grécia.

Como se sentirá o presidente da União Europeia a castigar um País pelos desmandos do Governo a que ele próprio presidiu, depois de ter sobrevivido à custa da permanente censura ao Governo que o precedeu?

O pior de tudo é a herança desgraçada que coube ao Governo do PS e que Portugal tem de suportar.

Autarquias e sinecuras

A decisão do Tribunal Constitucional de considerar legal a impossibilidade de os autarcas acumularem os seus vencimentos na íntegra com o desempenho de outras funções, públicas ou privadas, é uma medida de higiene pública que merece aplauso.

A permanente campanha, injusta e caluniosa, contra as regalias dos deputados, titulares do órgão da soberania onde reside a legitimidade democrática, por excelência, tem servido de nevoeiro para encobrir as sinecuras que, à sombra do poder local, beneficiam autarcas de obscuros concelhos.

As Empresas Públicas Municipais proliferam como cogumelos e vão-se transformando num expediente para colocar amigos e aumentar os proventos dos autarcas.

Cabe ao PS pôr cobro aos desmandos e mostrar coragem política para moralizar os interesses pantanosos que grassam no bloco central.

Apostila – Não duvido das boas intenções do projecto de lei eleitoral autárquico que o PS apresentou ontem na AR. Gostava de partilhar o optimismo aqui demonstrado em «Autarquias: Refrescante...», por Miguel Oliveira.
Se, já agora, quase não existe fiscalização nas Câmaras de menor dimensão, temo que a oposição se torne ainda mais difícil e ineficiente.

Jorge Sampaio


A deslocação a França do Presidente da República portuguesa transformou uma simples visita de Estado numa recepção apoteótica que teve o seu apogeu na Assembleia Nacional francesa, com os deputados a renderem-se a um homem cuja cultura, sensibilidade e inteligência foi devidamente apreciada e aplaudida.

Jorge Sampaio soube ser o embaixador do Portugal de Abril na França da Revolução de 1789, no País que comemora este ano o centenário da separação da Igreja e do Estado, na grande nação que acolheu os trabalhadores portugueses fugidos à miséria e os democratas proscritos pela ditadura.

Quanto custará ao espírito pusilânime de ressentidos trânsfugas socialistas, que se acolheram no regaço da direita, a dimensão política, cívica e moral de homens como Jorge Sampaio ou António Guterres, que prestigiam Portugal e são internacionalmente admirados pelas qualidades que os exornam!?

É nestas alturas que me ocorrem os nomes das figuras menores que percorrem o espaço mediático das televisões nacionais, de que o melhor exemplo é António Barreto.
Carlos Esperança
 Posted by Hello

Autarquias: Refrescante......

Tornar o sistema de governo das 308 câmaras municipais semelhante ao do governo do País: quem ganha governa, quem perde vai para a oposição. Este é o ponto principal do projecto de lei eleitoral autárquica que o PS apresentou ontem no Parlamento.

É pois uma proposta inovadora que permite reforçar as condições de governabilidade dos municípios que deve ser acompanhado com o reforço dos poderes da Assembleia Municipal (não apenas os de fiscalização)... melhor ainda vamos ter redução do número de vereadores das câmaras..

andávamos nesta discussão há mais de cinco anos sem que PS e PSD se entendessem....

Autárquicas 2005: PS + BE??

Se não sou adepto do PS rebocar o PCP para a Câmara de Coimbra.... penso o contrário em relação ao Bloco de Esquerda (??): o PS deve estabelecer um acordo com o BE defnindo uma lista representativa das duas forças, anexado por uma boa estratégia autárquica tendente a resolver os problemas crónicos da cidade e projectá-la supra fronteiras, adoptando as linhas mestras da Agenda de Lisboa (2001): qualificação, conhecimento e inovação.

Também existem razões aritméticas essenciais para cumprir um contrato com Coimbra: o BE tem vindo a crescer sustentadamente nas freguesias urbanas de Coimbra (ultrapassando mesmo o PCP), para o órgão executivo e deliberativo do município obteve em 2001 um bom resultado...

O PS tem que compreender que no actual cenário e em amor a Coimbra deve ser humilde...

Ao BE de nada serve ir sozinho à pugna apenas para comparar os seus resultados com um PCP em queda ou um projecto pouco mobilizador do PS..... o BE tem que aceitar que só poderá implementar as suas ideias juntando a sua voz à unica força capaz de conquistar os órgãos municipais...

PS: .. apesar do BE se ter portado mal nalgumas freguesias do nosso concelho .. em que também eles fizeram o jogo das Juntas de Freguesia laranjas....

PSII:... projecto pouco mobilizador? vamos ver...

Victor Cunha?Não percebi!


“Há 30 anos que ando na política a incomodar pessoas como Victor Cunha, porque eu não faço contas de cabeça, assumo riscos...”.Luís Marinho às BeirasPosted by Hello

Rendimento Social de Inserção

Volvidos cerca de 8 anos, finalmente o "Rendimento Mínimo Garantido" vai ter um maior controle com critérios de justiça e eficácia. Depois do Ps o ter implementado, à semelhança de outros países europeus, passando por um má gestão do anterior governo social democrata (mudou apenas o nome), eis que Vieira da Silva revela sensatez e sentido de estado.

Já não tem idade?

JS Coimbra quer líder da Academia fora da "Jota" in JN

Séneca contra Socrates?

«Se alguém não sabe para que porto navega nenhum vento é favorável». no Diário de Coimbra

Chantagem

Mesmo que o "sim" vença no referendo sobre a Interrupção Voluntária da Gravidez, aborto permanece «falta deontológica grave» - Código Deontológico não será alterado na Capital
E aí a quem devem obediência os médicos: à lei ou ao código deontológico?

Que estavam à espera

"Jardins do Mondego, Surpreende-me, nunca foi tão fácil chegar aqui", lê-se nos outdoors da campanha publicitária ao empreendimento.
Está explicado o embargo da obra- foram supreendidos. Fica por explicar porque provocaram a fiscalização - outros locais há em construção que não estão sujeitos a problemas destes.

A Renovação

O Eng. Guterres irá para a ONU, O Dr. Jaime Gama está na Presidência da Assembleia da Républica, O Dr. Freitas do Amaral está no Ministério dos Negócios Estrangeiros, O Dr. Mário Soares nem sequer quer ouvir falar de tal coisa... será que não se está proceder uma renovação de gerações no PS? Já ponho em dúvida que o poeta e político Manuel Alegre seja o candidato do PS à Presidência da Républica...

terça-feira, abril 12, 2005

Autárquicas "5 noves fora...."

De mal a pior.... já não bastava o Fausto ter dado ao chinelo... os problemas da Figueira da Foz em que o secretariado elege Luis Marinho e a oposição (com o apoio da Federação) apoia Sarmento.... e agora temos Góis: Girão e Cabeças não se entendem....

o engraçado disto tudo (se é que tem): todos têm uma sondagem "que lhes dá vantage" (dizia Narciso Miranda)... e todos já falaram com o Jorge Coelho (...já deve estar pelos cabelos!!) demonstrando que não sabemos tratar dos nossos problemas ....

será que não há ninguém no PS/Coimbra que ponha travão a isto tudo??...
com esta táctica o ppd não precisa de muito .....

Fumo branco


Foto origem desconhecida que me chegou por mail com a indicação:"ADEMUS PAPA"
PS: A expressão correcta será " HABEMUS PAPAM" mas face ao conteúdo do mail achei que era ironizar com a palavra - ADEUS PAPA - referenciando-a à foto Posted by Hello

Estratégia autárquica

O Estaleiro tem um texto que merece reflexão e que representa um bom contributo para o próximo programa eleitoral autárquico.

Mande a factura na Figueira da Foz

Como há muitos residentes a viver em Coimbra que têm uma habitação na Figueira da Foz e alguns deles podem pensar em ser ali candidatos aqui manifestamos a nossa adesão à campanha Mande a Factura.
E não precisam de agradecer para isso é que estamos cá, para informar todos aqueles que queiram ir mais longe.
E já agora os que ali vão passar apenas férias também podem subscrever.
Esta é uma iniciativa dos blogs À beira-mar, Largo da Má Língua, Amicus Faria e Quinto Poder.

Novas regras para cargos dirigentes

O projecto de lei do estatuto da carreira dirigente que o governo se prepara para aprovar prevê que o recrutamento para as chefias intermédias possam vir de fora.
No referido diploma prevê-se também a dispensa da audiência prévia e o fim do efeito suspensivo dos recursos, factos que estavam na genese da morosidade dos concursos.

Agentes e informadores da PIDE

A Maçonaria Portuguesa depositou esta segunda-feira no cofre de um banco um dossier da antiga Legião Portuguesa com os nomes e moradas de cerca de 3.600 agentes e informadores da PIDE, que mantém em segredo desde 1974.

Devem esses nomes continuar no segredo?

segunda-feira, abril 11, 2005

Doutoramento

Pois é, há dias na nossa vida em que temos de ser fortes, termos capacidade de defesa e de argumentação e estarmos convictos da nossa verdade. Mas quando esses dias chegam e nós temos perante nós o Doutor José Manuel Paquete de Oliveira, Doutor Rogério Santos, um representante do Reitor da Universidade de Coimbra e as Doutoras Maria João Silveirinha e Isabel Férin da Cunha, a vida complica-se.
É o que vai acontecer a um amigo, no próximo dia dia 13, pelas 15 horas, na Sala dos Capelos da Universidade de Coimbra. Apesar das suas bases histórico-jurídicas, a Comunicação Social é a sua paixão e orientado pelo Doutor Francisco Rui Cádima, com a co-orientação da Doutora Isabel Nobre Vargues, redigiu a tese “Mimetismos e Determinação da Agenda Noticiosa Televisiva – A agenda-montra de outras agendas”, que vai ter de defender sem nervos e cigarros.
Boa sorte meu caro Dinis Alves.

As Férias Judiciais e o Presidente do STJ

O presidente do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), Nunes da Cruz, criticou a proposta de redução das férias judiciais, considerando que, se esta ideia fosse para "levar a sério", o Governo estaria a comprar uma "guerra" que os juízes não pretendem.

Na minha opinião o Governo não tem razão. No entanto, não é isso que está em causa.
Não vêm aqui uma intromissão nas funções do Executivo?
Não é esta outra Corporação a mostrar o que vale?

Desafio

Nestas alturas muitos são os candidatos e poucos os escolhidos. Mas aqui deixamos um desafio ou um jogo para as horas vagas.
Tente preencher os espaços e depois espere para ver se acertou.
Para ARS:
-------- ---------
Para DREC
-------- ------
Para a DR Cultura
------- -------
Para o IEFP
----- ------
Boa sorte

M&Ms


Para uma nova liderança social democrata. Posted by Hello

É preciso muito azar

Ao ler este caso fico sem perceber se houve excesso de zelo da PSP ou se o indivíduo só funciona a álcool. Ser detido 2 vezes no espaço de 3 horas, acusando na segunda menos 37 gramas de álcool no sangue dá-me, contudo, mais a ideia de que o sujeito tem mesmo azar. Estou convencido que se não tivesse juízo e às 7,50 horas do mesmo dia fosse apanhado pela polícia ainda acusaria valores superiores a 0,5.