terça-feira, abril 24, 2007

“Crimes políticos no regime do Estado Novo”

“Crimes políticos no regime do Estado Novo” é o tema proposto para um debate, a realizar no próximo dia 24 de Abril, pelas 15h30, na sala 9 da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra.

A iniciativa conta com o testemunho de dois antigos prisioneiros políticos, Mário Silva (ex-prisioneiro político em Caxias) e Edmundo Pedro (ex-prisioneiro político no Tarrafal), além da presença do Dr. Almeida Santos. O debate será moderado pelo Presidente do Conselho Directivo da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, Professor Faria Costa.

A organização do evento é da responsabilidade do Núcleo de Estudantes de Direito da FDUC.

13 Comments:

At terça abr 24, 03:41:00 da tarde, Anonymous To Soares said...

E lá continuamos nós nestas tertulias de filósofos a debater injustiças de há 40 anos a beber chás de camomila e no fim saímos todos contentes porque estamos a combater o bicho papão!

 
At terça abr 24, 03:47:00 da tarde, Anonymous miguel said...

Isso é tudo mentira! No tempo de Salazar não havia censura nem opressão política.
Salazar era um verdadeiro anti-fascista como José Hermano Saraiva, esse grande historiador independente e acima de qualquer dúvida, afirmou.

 
At terça abr 24, 04:36:00 da tarde, Blogger ana said...

"E lá continuamos nós nestas tertulias de filósofos a debater injustiças de há 40 anos a beber chás de camomila e no fim saímos todos contentes porque estamos a combater o bicho papão!"

E bem precisamos de continuar a combater o bicho papão. É que ele está vivo, sabe. Os militares de Abril foram muito bonzinhos e deixaram-nos a Democracia. Se nos tivessem deixado uma ditadura, já não havia bichos papões. Estavam todos caladinhos, e de joelhos, e contentes.Assim vociferam do alto da sua ignorância contra aqueles que lhes permitem que existam e venham aqui destilar os seus ódios. Porque se não fossem estes bons tempos que vivemos, ou não estava você aqui, ou não estava eu.

 
At terça abr 24, 04:49:00 da tarde, Anonymous Tó Soares said...

A Senhora é como o D.Quixote, trava muitas batalhas contra os moinhos....

A senhora a mim não me diz quem é que me permitiu deixar existir ou não, se alguém me ameaçou com armas foram os militares ABRILEIROS no verão quente da revolução abrileira em plena ponte sobre o tejo pelo simples facto de ir num autocarro dos serviços sociais da policia de segurança publica, eu tinha 5 anos e foi-me apontada uma G-3.......

A ignorãncia? temos que ver então isso da ignorância...Para si sinónimo de inteligência é ser de esquerda e ignorancia ser de direita não acha isso muito abusivo e até um pouco ditatorial?

 
At terça abr 24, 04:50:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

O quê? Estamos loucos ao fazer a apologia dos militares de Abril, que foram uns assassinos, segundo bestas descendentes da cor cinzenta.
Claro que comparados com o anjo Bush, Blair e lacaios intervenientes no Irak, para não ir longe demais, os Grandes Homens de Abril, são uns saloios de baixo nível.

 
At terça abr 24, 08:22:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

A revolução trotskista de 74 foi na verdade bastante boa. Ninguem fazia nada. Cultivava-se o dolce fare niente. Alias, quem queria fazer alguma coisa era fascista. Tava tudo bem e viviase descansadamente.
Barricadas na estrada para controlar os fascistas. Nacionalizações a dar cum pau.
Era o que a malta gostava. Formidavel.
o Salazar é que tinha dado cabo de Portugal. O pais por si so não prestava, por isso não havia nada a fazer e a malta ia trabalhar para que? Os mesquinhos é que gostam de salazar porque na altura dele tinhasse trabalhar. Trabalhar para que? o estado pode dar-nos tudo o que precisamos sem mexer-mos uma palha.
Assim é que a gente tá bem.
venham mais cinco. 25 de abril e Prec sempre.

 
At terça abr 24, 08:38:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

É curioso que, dizem alguns, os do tempo do Estado Novo só fizeram trampa. Mas o que se lhes seguiram andaram a viver à custa da trampa que os outros fizeram!
Curioso, não?
Já agora, numa fase em que se lançam livros por dá cá aquela palha, sugere-se que alguém se lembre de lançar um livro com os crimes de 1975. É que foram várias as enormidades cometidas!

 
At terça abr 24, 09:17:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

As proximas tertulias da associação de estudantes da fac de direito:

'' A descolonização e os diamantes de Soares'' intervenientes: Joao Soares (acidentado num avião com diamantes) e um reputado dirigente do MPLA a designar.

''Fundação para a Prevenção Rodoviária e fundações da casa em Montemor-o-Novo''- moderador Antonio Morais e participante Armando Vara

''Ingles Tecnico para Engenheiros Técnicos'' - moderador Antonio Morais paticipante Jose Socrates.

'' Os ensinamentos do comunismo no controlo dos media'' moderador Pina Moura participantes não estão previstos

Será sem duvida um ciclo de tertulias com interesse.

 
At terça abr 24, 11:09:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Ao anónimo das 09:17:00 PM.
Se não fosse um provocador ignorante você devia dizer:" um reputado dirigente da Unita" e não devia confundir diamantes com marfim.

 
At terça abr 24, 11:44:00 da tarde, Anonymous ahp said...

to soares:As injustiças de há 33 anos (e não 40) ainda não acabaram completamente; e sobretudo ainda não acabaram os que as continuam a defender.Basta ler os comentárioa que aparecem neste blog!Se V. só tinha 5 anos em 1974 não se ponha a falar do que não conheceu!

Anónimo das 8.22: parece-me, pelos pontapés que dá na gramática e na lógica, que V. é uma vítima da instrução pré-25 de Abril; mas é de tal modo vítima que nem sequer tem consciência de o ser! É triste...

Anónimos das 8.38 e 9.17: ora trampa!

 
At quarta abr 25, 01:04:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Oh Ahp:
Vai tu. Ou as referências a 75 estão a pôr em causa o teu património?

 
At quarta abr 25, 07:32:00 da tarde, Anonymous ana conda said...

Há vítimas de armas apontadas que não disparam.
Há vítimas de armas apontadas que disparam.

Felizes nós, que tivemos uma arma com um cravo na ponta!

 
At quinta abr 26, 11:48:00 da manhã, Anonymous Tó Soares said...

ahp: Quando disse 40 anos foi uma força de expressão...

Tinha 5 anos e nem que tivesse nascido depois do 25 de Abril tinha todo o direito de falar sobre o tema.

Parece-me a mim que afinal você faz parte daqueles que se julgam donos da verdade mas no fundo se tivessem poderes seriam uns ditadores piores que Salazar.

 

Enviar um comentário

<< Home