sábado, junho 23, 2007

H. C. U- C. – Hospital Católico da Universidade de Coimbra

Os Hospitais da Universidade de Coimbra tinham no projecto de construção um espaço destinado a crentes e não crentes onde, nas horas de tristeza, pudessem recolher-se para meditar ou rezar.

Era um espaço amplo, sem símbolos religiosos. A Igreja católica começou por colocar a cruz, depois o patrono do hospital e finalmente a iconografia habitual. Uma Senhora de Fátima, de grandes dimensões, numa peanha lembra aos cristãos que ali é um espaço exclusivamente católico.

Há sessenta cadeiras e genuflexórios e, nos anexos, dois capelães têm os seus gabinetes. O vencimento dos capelães católicos é equivalente ao dos chefes de clínica - grau mais elevado da carreira médica. São médicos das almas que atingiram o grau máximo sem concursos, sujeição a vagas ou competição com o clero de outras religiões.

À entrada da capela estão quatro grupos de publicações religiosas:

1 - Folheto da Capelania cujo verso se reproduz;
2 - Um folheto A8, com a história em casa de Simão, onde Jesus teve um encontro casto com uma mulher impura, e que termina com «cânticos»;
3 - O «Correio de Coimbra» onde o bispo resignatário de Aveiro, António Marcelino, publica um artigo sob o título: «Teremos ainda Portugal por muito tempo»?
4 - O Amigo do Povo cujo artigo principal «À sombra do castanheiro» é um ataque ao primeiro-ministro e uma tentativa de humor com o percurso académico de Sócrates cujo nome nunca é referido.

Consta que foi contratada mais uma freira para os serviços religiosos. Palpita-me que é mais um encargo com as almas à custa do orçamento.

Resta perguntar se isto é admissível num Estado laico e se esta forma de proceder não choca os católicos que são vítimas de injustiças e perseguições onde são minoritários.

Onde são maioritários comportam-se como se vê.

15 Comments:

At sábado jun 23, 01:03:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Ressabiado....

 
At sábado jun 23, 04:46:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Quem frequenta esses lugares é gente má que quer possuir as almas dos outros. Cobardes que vivem do medo e terror dos que morrem sozinhos... Uma vergonha.

 
At sábado jun 23, 04:48:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Gente má e que está convencida que é boa. O pior do pior!

Auto-ilusão... A maior força da crença e do ego dos homens.

 
At sábado jun 23, 02:11:00 da tarde, Blogger ana said...

Bem fez a minha mãe há cinquenta e dois anos. Quando lhe apareceu o padre do hospital (público) mandou-o consolar outras alminhas, que a dela estava de boa saúde.

 
At sábado jun 23, 04:09:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

É o "espírito" não eucuménico mas, de captura.
Depois, segue-se o proselitismo.
Como os abutres pairam sobre os entes fragilizados...

 
At sábado jun 23, 04:10:00 da tarde, Blogger MC said...

Que vergonha. Que ofensa aos ateus, judeus, protestantes, muçulmanos, etc... Que desperdício de dinheiros e infra-estruturas públicas.
O 5 de Outubro ainda não chegou pelos vistos...

 
At sábado jun 23, 06:29:00 da tarde, Anonymous Last Call to London said...

Eu vou encomendar a playboy para colocar no cesto de informação a distribuir a doentes moribundos. Embora algo exagerado deixem-me que vos diga que para mtos é essa a última alegria. Disfrutar, como podem, de um último incentivo carnal que o deixe repousado enquanto ela (a morte) se aproxima.

 
At sábado jun 23, 07:39:00 da tarde, Anonymous e-pá! said...

O problema é a "assistência religiosa nos Hospitais" estar regulamentada por um decreto-lei de ...1968!

 
At domingo jun 24, 11:41:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Para quando a preocupação em acabar com os feriados religiosos? Será que não, porque dão geito?

 
At domingo jun 24, 11:54:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Esta costuma ser a linguagem habitual dos comentários deste blog? PSSST, Sr. Anónimo..... geito não é assim que se escreve.

 
At domingo jun 24, 06:56:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

É por estas e outras que os hospitais não funcionam.
Uma capela num hospital, onde é que isto já se viu? E os pobres ignorantes que lá vão? coitadinhos...
Se há uma capela tb temde haver uma mesquita, por exemplo. também acho vergonhoso que os folhetos dos hospitais estejam só escritos em portugues. No outro dia o meu primo que é chines não se conseguiu orientat. Olha! Os filmes tambem deviam ser legendados em criolo...

 
At segunda jun 25, 02:11:00 da tarde, Anonymous pai de família said...

Muito bem!
Um óasis de bom senso num deserto onde (ainda) falta muito Deus.

 
At terça jun 26, 01:02:00 da tarde, Anonymous Jou Berardo said...

CE: monte a sua banca, nos HUC, já!!!

 
At sexta jun 29, 02:06:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

eh pá ! Vocês estão atrasados 90 anos. O anti-clericalismo parolo já deu o que tinha a dar!
Leiam (sem ser Saramago!) e evoluam!

 
At quinta fev 05, 10:39:00 da manhã, Blogger sp said...

engraçado...passei só por passar...e porque procuro o contacto de um desses padres...mas reparei como há tantos anónimos que além de anónimos querem ser donos da sua verdade...oxalá não venham senhores a precisar do apoio desses padres...e sabem o que é mais engraçado...é que podem dizer todo o mal que quiserem mas no momento oportuno se precisarem os padres irão ter convosco com o mesmo carinho...assim é que se nota quem são as pessoas...

 

Enviar um comentário

<< Home