domingo, junho 17, 2007

Vaticano - Regresso ao passado

CIDADE DO VATICANO - O papa Bento XVI assinou um documento autorizando a realização de missas em latim. O documento será publicado em data 'muito próxima', segundo a agência 'Ansa', que cita fontes da Pontifícia Comissão 'Ecclesia Dei'. O documento 'Motu Proprio', que o Pontífice redigiu por decisão pessoal e que contém a normativa sobre as missas em latim, será de 'três páginas', de acordo com a mesma fonte. (Agência EFE)

7 Comments:

At domingo jun 17, 09:34:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Este, se não trouxer outra vez a santa inquisição, já não estamos mal!

 
At domingo jun 17, 10:12:00 da manhã, Anonymous Manuel Norberto Baptista Forte said...

A Eleição deste Papa, significou isso mesmo: regresso ao passado e à mais pura ortodoxia.

 
At domingo jun 17, 11:37:00 da manhã, Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

É muito interessante a divagação que Eça (pela voz de Fradique Mendes) faz em torno deste assunto.

Para povos atrasados, a força dos rituais é muito superior à da mensagem. Para eles, uma missa dita em latim (incompreensível) é, de certo, muito mais eficaz (como aproximação ao "sagrado") do que uma outra dita por palavras que toda a gente percebe.

Está em jogo um ritual de ligação do Homem ao Divino, pelo que a "complicação" é fundamental para os objectivos em causa...

 
At domingo jun 17, 01:56:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

boa essa, C.Medina!

 
At domingo jun 17, 03:37:00 da tarde, Blogger e-pá! said...

...e virão os ultra-nacionalistas dizerem que a medida de Bento 16 (já que as missas serão em latim, na numeração nominal pontificia passarei eu, de "motu proprio", a usar algarismos árabes), não será assim tão má.

Antes missas em latim do que facturas em castelhano!

 
At domingo jun 17, 10:23:00 da tarde, Blogger CA said...

Sem por em causa o que escreve o Carlos Medina Ribeiro, há que notar que Bento 16 vai apenas liberalizar o uso do latim que tinha sido drasticamente restringido para se impor as línguas locais.

 
At sábado jun 23, 01:54:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Os Estados nacionais deveriam fazer alguma coisa a respeito... latim é uma língua que já não é falada por nenhum povo, haja bom senso..

Apesar de tudo, não esperava que Bento XVI fosse colocar em prática o seu conservadorismo a este nível.

Diogo.

 

Enviar um comentário

<< Home