quarta-feira, dezembro 26, 2007

Momento de poesia

Esterilidade

A semente donde venho
Caiu em terreno enxuto.
Germinou, cresceu, deu lenho,
Mas não teve flor nem fruto.

Se Deus em mim decidiu
Sustar o caudal da Vida,
Alguma tara me viu
Que devia ser banida…

Armando Moradas Ferreira