quinta-feira, maio 31, 2007

Demência mística

Há uma entidade nosológica que nunca vi abordada em tratados de psiquiatria nem ser objecto de comunicações científicas - a demência mística.

Não me refiro às bruxas que a santa Inquisição queimava após confessarem relações sexuais com o diabo. Os métodos de investigação podem ter levado, nalguns casos, a falsas confissões enquanto, sob as sotainas, os pios inquisidores entravam em êxtase.

É ocioso recordar o sadismo dos clérigos medievais, mas vale a pena transcrever dois parágrafos a respeito de um membro do clero islâmico:

«O clérigo egípcio Ezzat Attiya, responsável pelo Departamento dos Ensinamentos do Profeta da Universidade de Al-Azhar (escreve a AP que se trata da a mais prestigiada universidade sunita), emitiu uma "fatwa" decretando que as mulheres que trabalham devem dar de mamar aos colegas de emprego.
A razão de Attiya é limpidamente simples: assim criar-se-ão laços maternais-filiais nos locais de trabalho e deixará de haver tentações eróticas entre colegas já que o tabu do incesto, Alá seja louvado, não permitirá tal coisa. Leio e, como diz Bataille, rio-me porque tenho medo».

Fonte: Jornal de Notícias, hoje.

Notas Soltas - Maio/2007

Entrada em Almeida
Turquia – Para gozo de Maomé, o irreprimível proselitismo islamita e a avidez beata do Paraíso ferem a laicidade do Estado e ameaçam a democracia.

Madeira – A linguagem reles do eterno presidente, que denomina os adversários de «gente rasca», mostra a deriva autoritária que os sucessivos Governos e Presidentes da República foram consentindo.

Lisboa. – O descalabro e o caos financeiro, com ou sem corrupção, arruinaram a Câmara. Manter a Assembleia Municipal e as Juntas de Freguesia que aí têm assento, torna o futuro executivo refém da maioria que conduziu ao desastre.

OTA – Num país de dez milhões de especialistas aeroportuários, surpreende que o local aprovado pelo Governo de Guterres e confirmado pelos de Durão Barroso e Santana Lopes, só tenha sido contestado por Marques Mendes após a decisão.

França – A vitória de Sarkozy ajudou os sectores radicais islâmicos da Turquia e decepcionou quem defende o reforço da solidariedade na União Europeia. Os pequenos países, como Portugal, só têm a perder.

Timor – A vitória de Ramos Horta é a que melhor serve a paz, a Indonésia, a Igreja católica e os interesses ligados ao petróleo. Venceu o pragmatismo.

Laicidade – As manifestações em Istambul, Ancara e Esmirna reuniram sempre mais de um milhão de pessoas, testemunho da consciência cívica e do repúdio da chária com que os sectores religiosos sonham e ameaçam.

Algarve – O rapto de uma criança inglesa, para além da tragédia individual e do sofrimento dos pais, foi explorado até à náusea pela comunicação social que esquece as crianças do Darfur porque são pobres e negras e poucas sobrevivem.

Tony Blair – O excelente primeiro-ministro inglês sai com a nódoa indelével da invasão do Iraque, mas sai pelo seu pé, com o país melhor do que encontrou e o Ulster pacificado.

Polónia – A perseguição a ex-comunistas e homossexuais atinge proporções que desassossegam a União Europeia, incapaz de lidar com a extrema-direita populista dos dois irmãos gémeos (presidente e primeiro-ministro).

Vaticano – A insistência de Bento XVI num acordo que proibisse o aborto e obrigasse ao ensino da religião católica nas escolas públicas, levou o presidente Lula a ter de lhe lembrar que o Brasil é um país laico.

CDS – A subida do PCP para 3.º e a descida do CDS para 4.º lugar, na Madeira, foi a derrota de Paulo Portas e um resultado que prenuncia o desaparecimento do partido do próximo executivo camarário de Lisboa.

Freitas do Amaral – Jubilou-se o ilustre professor de Direito que, no CDS, quis integrar na democracia os cúmplices do Estado Novo. Não conseguiu convencer a direita mais retrógrada e afastou-se do partido que fundou.

Carmona Rodrigues – A reincidência na candidatura é um acto de revolta contra o PSD. Os independentes, com boa aceitação eleitoral, têm dado más provas: Oeiras. Gondomar, Felgueiras e, agora, Lisboa.

Santana Lopes – Não se dá conta do desastre da sua passagem por Lisboa e pelo Governo. Já pouco mal faz ao País mas ainda destabiliza o PSD onde Marques Mendes dificilmente sobreviverá ao teste de Lisboa.

Espanha – Nas eleições municipais e autonómicas – um teste para as legislativas –, o PP teve mais votos e o PSOE mais mandatos. Pode falar-se de um empate técnico num país dividido ao meio com os dois maiores partidos cada vez mais antagónicos.

Coreia do Norte – Kim Jong-il é um dos mais obscuros ditadores do mundo, com armas nucleares e milhões de pessoas a morrerem à fome. A grave doença que o afecta deixa o povo aflito e o mundo preocupado.

Presidente da República – Ao pronunciar-se sobre a Ota, Cavaco imiscuiu-se em assuntos governamentais, parecendo querer trocar o cargo que exerce pelo de primeiro-ministro, mais de acordo com o seu perfil.

Venezuela – Ao não renovar a licença de um canal privado de televisão, Hugo Chavez, com a popularidade que lhe concedem o poder e os recursos petrolíferos, entrou na deriva populista que se temia a caminho de uma nova ditadura.

Al-Qaeda – A organização mais sanguinária da actualidade insiste no terror e no proselitismo islâmico. Vencer o terrorismo e impedir a demência mística que destrói a civilização e a modernidade é a tarefa urgente dos países laicos e democráticos.

Dia europeu do vizinho


A solidariedade dos pobres deu lugar ao egoísmo dos ricos.

Espaço dos leitores

Amedeo Modigliani

quarta-feira, maio 30, 2007

Rui Pedro desaparecido há nove anos

«Rui Pedro, que é uma das sete crianças portuguesas desaparecidas nos últimos anos, foi visto pela última vez a 4 de Março de 1998 em Lousada quando tinha onze anos.

(...)

Rui Pedro é uma das sete crianças portuguesas desaparecidas nos últimos anos».

A mãe de Rui Pedro mantém a esperança de o encontrar.

Venezuela - A liberdade em risco

Os violentos protestos de estudantes resultaram em vários feridos

Com a polémica suscitada pelo encerramento da televisão privada RCTV – por ordem do presidente Hugo Chávez – ainda ao rubro, o governo de Caracas acusou uma outra estação televisiva, a Globovision, de ter incitado a assassinar o líder populista. Na sequência dos violentos protestos contra o fecho da RCTV, foram detidos três luso-descendentes.

Comentário: Sabe-se quando começa a censura. Nunca acaba bem.

CGTP - Greve Geral

Nota: A greve é um direito sem o qual não há democracia.

A dimensão do drama...


COMUNICADO DE IMPRENSA
LANÇAMENTO DO ESTUDO DA SÉRIE INNOCENTI DIGEST:

MUDAR UMA CONVENÇÃO SOCIAL NEFASTA: A EXCISÃO/MUTILAÇÃO GENITAL FEMININA”


Três milhões de raparigas são todos os anos submetidas à Mutilação Genital Feminina


Estudo da UNICEF: com apoio da comunidade internacional, esta prática pode ser eliminada no espaço de uma geração.


GENEBRA/FLORENÇA/CAIRO, 24 de Novembro de 2005 – Estima-se que três milhões de raparigas por ano na África Sub-Sariana e no Médio Oriente são submetidas à excisão/mutilação genital, segundo um relatório da UNICEF apresentado hoje.


terça-feira, maio 29, 2007

Momento de poesia

Fotografia de Robert Capa
(Morte de soldado legalista)






MEMÓRIA DA GUERRA CIVIL

Percorro esta Espanha profunda e ferida,
incendiada
pela metralha...
Farta de fomes de vidas,
esfarrapada
em sangue e dor...

Mataram a esperança renascida
no grito solto às portas de Madrid,
pela Pasionária ...
"No passaron" ...

Viva la Muerte... Viva la Muerte...
Era o grito ébrio do vendaval do terror
da outra barricada,
arrancado do fundo das entranhas...
Ao som dos clarins,
eles desfilavam em triunfo nas marchas marciais,
invocando a barbárie
nas vibrações dos sabres, de sangue ainda quente, manchados.

Mataram Garcia Lorca, em Granada ...
Mataram a cultura...
E nos curros da praça de Badajoz
ficaram sós
no silêncio da matança,
deambulando na orgia
da sua loucura e da sua demência !...

Alexandre de Castro - Lisboa, Abril de 2000
Registado: IGAC/MC- 5467/2004

Apoiado!

A Comissão Nacional de Protecção de Dados (CNPD), proibiu a divulgação da identidade dos funcionários públicos que aderirem à greve por considerar esse procedimento ilegal e discriminatório.

A diplomacia do Vaticano

Há muito que se diz que Blair é católico, facto que deveria ser do domínio pessoal, não fora a sua decisão de explicitar publicamente a condição de cristão, antes da invasão do Iraque.

O anúncio da eventual visita de Blair ao Vaticano, pela própria Rádio oficial, é motivo de alguma surpresa e perplexidade, bem como a referência à especulação da imprensa britânica sobre a condição católica do ainda primeiro-ministro inglês.

A suspeita da duplicidade do Vaticano na destruição do Iraque começa a ser um pouco mais do que meras coincidências.

O Papa João Paulo II condenou publicamente a invasão enquanto os líderes católicos que, ao contrário do que é hábito e salubre em Estados laicos, explicitavam abertamente a sua fé, apoiaram entusiasticamente o belicismo protestante evangélico de Bush.

Foram os casos de Aznar, com ligações ao Opus Dei, a seita mais reaccionária da Igreja católica, de Durão Barroso, Berlusconni e dos líderes da Polónia, Áustria e Irlanda. Só faltava Blair para serem todos católicos os que apoiaram Bush na trágica e criminosa aventura iraquiana.

É difícil esquecer, de Robert Hutchison, «O Mundo Secreto do Opus Dei» - Preparando o confronto final entre o Mundo Cristão e o Radicalismo Islâmico.

Só a atitude dúplice do Vaticano permite conceber que os seus mais devotos partidários tenham sido também os mais entusiastas da invasão iraquiana, sem que a mentira, a iniquidade e o sacrifício do direito internacional os dissuadisse.

E o Vaticano, que condenou a invasão, não censurou os invasores! Recebe-os com pompa e circunstância.

Eritreia proíbe mutilação genital feminina

A tradição e a violência são inseparáveis. A crueldade que se perpetua como tradição é a herança cuja origem se perde na noite dos tempos. A mulher é sempre a vítima dilecta e a padecente de qualquer estúpido pecado original que é preciso expiar.

A mutilação genital feminina é a mais atroz e primária das agressões contra os direitos sexuais da mulher e a forma mais boçal de pseudo purificação que resiste ao progresso.

Com a cumplicidade islâmica esta agressão dolorosa é um ritual iniciático que se pratica em numerosos países com a aquiescência das famílias e os gritos abafados das vítimas.

A notícia de hoje, do Público, de que a Eritreia proíbe mutilação genital feminina é uma novidade que agrada aos que lutam pela emancipação da mulher e um avanço legal capaz de ser o princípio do fim de uma ignóbil e violenta tradição que leva a dor e o horror a milhões de meninas.

segunda-feira, maio 28, 2007

28 de Maio de 1926

Há datas que, só por si, pouco dizem. O dia de hoje, há 81 anos, começou por ser um mero golpe de Estado e transformou-se numa longa ditadura.

Saído do CADC, um jovem professor de Coimbra, antigo seminarista, reaccionário e rural, tornou-se o chefe incontestado do período mais negro da nossa história recente.

A PIDE foi a mais bárbara e criminosa associação de malfeitores. Nos calabouços da famigerada polícia foram torturados inúmeros democratas que sofreram humilhações, torturas e a morte, na mais completa das impunidades, com a fria complacência de Salazar e o silêncio cúmplice do cardeal Cerejeira.

Foi longo o tempo de opróbrio, de retrocesso civilizacional e de miséria. Entalados entre o mar e a ditadura espanhola, os portugueses sofreram a fome, o degredo, as prisões sem culpa formada e demissões da função pública, por delito de opinião.

Portugal liderou a mortalidade infantil e a tuberculose na Europa, enquanto o ensino passou de 5 anos obrigatórios, instituídos pela 1.ª República, para 4 e 3 anos, respectivamente, para rapazes e raparigas.

Às mulheres era vedada a carreira diplomática, a magistratura e o acesso às Forças Armadas. A própria administração de bens próprios era-lhes negada e a saída para o estrangeiro só com autorização do marido. No fundo, homens e mulheres eram prisioneiros no seu próprio país, vítimas do atraso, da corrupção e do medo.

Portugal era um cárcere às ordens de um biltre fascista, infestado de bufos e crápulas.

A opressão e a brutalidade da guerra colonial haviam de derrubar a ditadura, numa madrugada de Abril que cobriu Portugal de cravos.

Lembrete

O Ponte Europa reserva-se o direito de apagar comentários considerados sem ligação alguma ao artigo em questão.

Escusam de insistir.

Têm o «Espaço dos leitores».

Espaço dos leitores

Maternidade (Picasso)

Coreia do Norte


A doença do líder de um país morto

O líder norte-coreano, Kim Jong-il, sofre de problemas cardíacos e a sua saúde piorou. O estado de saúde de Kim Jong-il é crítico

O país é uma das mais obscuras ditaduras do mundo, mas tem armas nucleares e milhões de pessoas que morrem à fome. A monarquia dita comunista representa uma incógnita para a humanidade e uma tragédia para o seu povo.

Espanha - Resultados eleitorais



Elecciones Municipales - Global de España - Escrutado: 100 %


27 Mayo 2007........................................................ 25 Mayo 2003

Partido..... Votos....... % .....Vereadores--- ----Votos... % ....Veradores


PSOE .....7.758.093 ....34,90 .........24.026....... 7.875.762 ..34,30 .....23.178

PP ........ 7.914.084.... 35,60........... 23.347........ 7.999.178 ..34,08 ....23.224

CiU..........722.653 .....3,25............. 3.384 ............789.871.... 3,40..... 3.687
*
IU ........1.216.443.......5,47.............. 2.033....... 1.730.732... 7,50 .......2.595

ERC........347.460......1,56 ..............1.594 ..........419.961 ...1,83 ........1.282

Totais ...21.800.821 ....-- .......... 66.162... 22.563.069.. 98,24 ..........65.510


Participação/2007: 63,78 % ..............................Participação/2003:
67,68%

Fonte: Recuento provisional facilitado por el
Ministerio del Interior

domingo, maio 27, 2007

Espanha - Eleições

El PP gana las elecciones municipales en España con el 35,65% de los votos (7.738.416) lo que le da 23.819 concejales con el 97,38% escrutado. El PSOE es la segunda fuerza más votada al conseguir el 35,00% (7.597.494 sufragios) lo que le otorga 23.087 concejales. (el Periódico.com)

Face aos resultados conhecidos, alguns já definitivos, pode falar-se de um empate técnico entre o PSOE e o PP.

A propaganda terrorista do PP, a esconder os casos de corrupção em que vários dos seus autarcas estão comprometidos, agitando o fantasma da ETA, não surtiu grande efeito. Apenas aumentou substancialmente a abstenção.

A desesperada tentativa de Aznar de procurar identificar os votos nos outros partidos como um apoio à ETA não passou de uma patética dramatização para vencer pelo medo o que não consegue pela razão.

A humilhação das mulheres

Chamem-me anticlerical, jacobino e carbonáro; acusem-me de mal-formado, herege e ateu; apelidem-me de mata-frades, frustrado e blasfemo. Não, não posso consentir que, em nome da tradição e da vontade divina metade da humanidade possa subjugar a outra metade.

A violência contra as mulheres é a cobarde perversidade de quem se habituou a dominar os meios de produção, a soberba de quem pretende usar a força contra a razão, a crueza de quem julga que a tradição lhe dá direitos e lhe confere poderes em função do género.

É preciso que a demência e a brutalidade do homem primitivo permaneçam na caverna dos hábitos e nas páginas misóginas dos livros sagrados para que o filho julgue inferior a mãe, o irmão se sinta superior à irmã e o homem com primazia sobre a mulher.

Deixem os clérigos reivindicar a ordem natural e outras estultícias, os cavernícolas uivarem de raiva e os conservadores rangerem os dentes em desespero. Não há justiça sem igualdade entre homens e mulheres, não há liberdade à custa da servidão de outrem nem felicidade que se construa na humilhação e sofrimento alheios.

A violência doméstica, quase sempre do homem sobre a mulher, é a tragédia silenciosa que se oculta dos filhos e dos vizinhos, que a lei até há pouco ignorava, a condenação à morte e impunidade com a desculpa dos costumes, dos exemplos e da vontade divina.

Ninguém é digno de respeito se o não souber merecer. A violência vertida nas páginas dos livros santos e na exegese dos teólogos que ensinam a agredir mulheres sem deixar marcas, ou que torturam, esfacelam e matam porque é um direito que lhes assiste, é uma nódoa incompatível com a civilização e a democracia, intolerável nos herdeiros do iluminismo e da Revolução Francesa.

Exercício físico é saudável

(Clique na imagem para ampliar)

Sondagens «valem o que valem»...

PS recupera maioria absoluta, António Costa ministro mais popular.


O PS regressou à maioria absoluta, segundo o Barómtero DN/TSF/Marktest, ao somar agora 46,8 por cento das intenções de voto.
O comunista Jerónimo de Sousa é o líder político mais popular, ao passo que António Costa sai do Governo como o ministro com mais opiniões positivas. ( 07:55 / 25 de Maio 07 )

Nota: Não é mérito do PS. Deve-se ao esforço do PSD e do CDS.

Ota - Opinião de um leitor

Só a verdade é revolucionária:

1. Todos foram unânimes desde há 30 anos em colocar o novo aeroporto na Ota.

2. Aí não existem propriamente interesses imobiliários instalados, para além dos terrenos necessários às infra-estruturas do aeroporto.

3. Um aeroporto na Ota ajuda a desenvolver a zona industrial de Leiria, a única que com os moldes tem mantido altos níveis de exportação, dá alento a uma nova zona de turismo do Oeste e serve Fátima - o segundo pólo turístico nacional depois do Algarve.

4. Um aeroporto é uma arma de desenvolvimento que deve ser decidida politicamente. Uma casa para mim na Guarda era mais barata e de Pedra, mas não me dava jeito vir todos os dias para Coimbra.

Então porquê este alarido?

A) Na margem Sul estão os verdadeiros interesses imobiliários com Tróia, do Eng. Belmiro - que é actualmente o líder da oposição desde a OPA à PT -, e com os empreendimentos do BES e Amorim, tudo na Península de Setúbal.

B) A Lusoponte que passaria a facturar no dia seguinte à decisão política e é dona de ambas as travessias e das que virão.

C) A oposição que temos, que vendo o Governo e PM em grande optou por morder nas botas já que não tem verdadeiras políticas alternativas às decisões tomadas ou em gestação.

a) O cavalinho da chuva - Sáb Mai 26, 09:44:00 PM

sábado, maio 26, 2007

Quando minguam as palavras....

(Antes e depois da agressão do marido)
Rania Al-Baz lança biografia na Europa

Rania Al-Baz era uma mulher bonita e bem-sucedida: uma apresentadora de televisão famosa na Arábia Saudita. Depois de espancada pelo marido, precisou passar por 33 cirurgias. Ela contou essa história em um livro.

Nem tudo o que parece é...


O PR e a Ota

O PR perdeu a sua reserva defensiva e explanou uma posição, aparentemente, do tipo salomónico, sobre o novo aeroporto.

Propõe um consenso "técnico-político", sobre a localização do novo aeroporto. É, antes de tudo, sintomática esta intromissão na área governamental.

Significa, antes de mais, que a decisão governamental de localizá-lo na OTA, começa a apresentar fragilidades. Mário Lino, não tem sido feliz, nem eficiente, na defesa da opção OTA. É essa a oportunidade que Cavaco pretende aproveitar.

O Governo, por melhor co-habitação que deseje, não pode ceder neste ponto. As estratégias de desenvolvimento, do que o investimento público faz parte, são da competência do Governo. Vai ser julgado por isso (e por outros parâmetros da sua actividade) nas próximas legislativas. Não pode, portanto, acocorar-se. Provavelmente, terá de mudar de táctica. Sócrates ver-se-à confrontado com a necessidade de avocar este assunto para o seu gabinete e reformular (melhorar) a argumentação, tornando-a mais inteligente, mais discreta... com menos gaffes.

Entretanto, o primeiro passo já foi dado. Cavaco quer o assunto no Parlamento. Não se sabe para quê. Não vai, com certeza, ser elaborada uma Lei sobre as localizações de aeroportos...

Pretende-se, isso sim, alimentar a "chicana política", manter a questão em "banho maria", contestar a decisão política (já tomada), desautorizar o executivo.Se as manobras não resultarem, a Direita, pela voz de Cavaco, ou não (adiante se verá), pedirá (exigirá) um referendo.

É esta a estratégia habitual da Direita...

Já a conhecemos!

a) e- pá

Blogues com tomates

O Ponte Europa foi nomeado um «Blog com tomates» (Obrigado RGA) Cabe-nos agora, na nossa recente condição de tomatados, nomear mais cinco blogues para tomatar. Decisão difícil mas honesta:


Causa Nossa

Random Precision

Moqtada Al Sadr regressa ao Iraque

KUFA, Iraque (Reuters) - O poderoso clérigo xiita Moqtada Al Sadr apareceu em público pela primeira vez em vários meses na sexta-feira, para renovar a exigência do fim da ocupação militar norte-americana e se apresentar como líder de todos os iraquianos.

Comentário: Este desafio aos EUA é um sinal inquietante da incapacidade das forças de ocupação para controlarem os territórios que destabilizaram.

A derrota humilhante de Bush e dos seus cúmplices constitui um perigo para os países democráticos e para a civilização, a juntar à guerra civil que provocaram no Iraque e nos países vizinhos.

Espaço dos leitores - Interlúdio

(Clique no título do post e ligue o som s.f.f.)
(Jardim, Joan Miró (1893-1983), Surrealismo)

sexta-feira, maio 25, 2007

Crianças: Conselho da Europa condena Portugal

O Conselho da Europa condenou Portugal por violar o direito das crianças depois do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) ter considerado «lícitos» e «aceitáveis» alguns castigos corporais infligidos a jovens deficientes de um lar em Setúbal.

Comentário: Portugal era uma vergonha nacional. Passou a ser uma desonra internacional.

CML – Falsos independentes

Disse um dia Raul Rego, referindo-se a Mário Soares, de quem era indefectível amigo e correligionário, que quem está sempre de acordo não é amigo, é um satélite.

Mas estar sempre em desacordo não revela independência de espírito, talvez manifeste imaturidade ou culto da personalidade. Pode acontecer por vaidade, despeito e falta de convicções. Ou oportunismo.

Em política é preferível descobrir quem está mais próximo do que quem mais se afasta. A animosidade dos dissidentes traduz, quase sempre, a revolta de quem não conseguiu dentro do partido a vitória das suas posições ou ambições.


Há uma plêiade de independentes profissionais, com lugar cativo na comunicação social, prontos a apontar a mediocridade dos políticos e a acorrer pressurosos a integrar comissões de honra e empresas de consultores.

Alguns resguardam-se nos conselhos de administração das Empresas Públicas e fazem ciclos de nojo, até às eleições seguintes, enquanto os que se comprometem sofrem as vicissitudes eleitorais, os riscos das decisões políticas e a devassa da vida privada.

Quem vive a política não pode ser independente. Pode não sentir motivação para militar num partido, mas sentirá o apelo das ideias, do programa e práticas do partido de que se sentir mais próximo.

Sair de um partido e vestir o fato de independente, sem período de nojo, é uma forma de enganar eleitores e atrair cúmplices aflitos para exibirem a suposta superioridade moral.

Se um político destacado abandona o partido para abraçar um projecto independente é de um projecto pessoal que cuida. Nessas circunstâncias lembro-me sempre da jovem que entrou num autocarro cheio e desabafou:

- Já ninguém dá o lugar a uma senhora grávida!
Um cavalheiro, que logo lhe ofereceu o seu, ainda ripostou:
- Não se nota!
- É só há meia hora.

A greve é um direito

A oposição acusou o Governo de querer limitar o direito à greve, obrigando os serviços a identificar o pessoal que adira às paralisações com o intuito de «intimidar e inibir» os trabalhadores.


1 - Se é verdade a intenção é uma vergonha para o Partido Socialista;

2 - Se é mentira é uma calúnia da oposição;

3 - Se é um pretexto para que os «grevistas» assinem o ponto à sorrelfa, é uma fraude.

quinta-feira, maio 24, 2007

Momento de poesia














Mãe

Naquele último momento
tentaste confessar-me um segredo,
um segredo qualquer
guardado uma vida inteira
e que eu não entendi
porque a tua fala desesperada
ficou suspensa
nos lábios imobilizados.
Só os teus olhos alarmados
mexiam de ânsia e medo.
Mas não sei se era realmente um segredo
o que me querias dizer
ou apenas um último lamento
ou até, quem sabe,
a recordação daquelas tardes de Junho,
quando ainda era criança,
em que te deitavas comigo
(enrolados num cobertor de papa)
com medo das trovoadas.
- É Deus que está a ralhar – dizias-me,
enquanto me apertavas com carinho,
para me proteger.
Talvez, também, quando me perdi de ti,
por um breve instante,
e perguntei, depois de te reencontrar,
se eras realmente a mesma mãe,
se não eras outra, igual à primeira,
de um mundo que, por momentos,
eu imaginei duplicado, em coisas e pessoas,
e que agora sei que não existe,
porque tu já morreste
e eu não vejo nem tenho outra mãe.

Alexandre de Castro - Lisboa, Maio de 2007
(Amável oferta do autor, em solidariedade com o Ponte Europa e os seus leitores)

Ponte Europa

A persistência de um provocador nas caixas de comentários, a repetir vinte, trinta e mais vezes a mesma parvoíce, pode levar o Ponte Europa a mediar os comentários. É uma situação que nunca quis, desejando que o Ponte Europa permaneça um espaço de debate vivo, livre e vigoroso.

Vários amigos perguntam como resisto a acusações infames, insultos reles e calúnias abjectas. É fácil, não ligo a quem atira pedras e esconde a mão, a quem não teria um pingo de coragem para dar a cara ou os neurónios suficientes para formular uma ideia.

Entendo que o insulto diminui quem o profere e não aquele a quem é dirigido.

Não me incomoda que a única pessoa a que alguns leitores não toleram as ideias, ou as exprima, seja eu próprio. Apesar de tudo, NUNCA censurei um comentário por mais boçal, injusto ou falso que fosse.

Não me faltam convites para escrever em páginas de jornais e blogues onde tenho a companhia de destacados cidadãos e honrados intelectuais. Tenho dedicado ao «Ponte Europa» um tempo que podia aproveitar de forma diferente.

Tenho espaço no «Diário Ateísta», «Sorumbático» e «Avenida da Liberdade». Se não puder continuar com as caixas do Ponte Europa abertas à participação dos leitores ponderarei se devo desistir ou limitar os comentários.

Não posso apelar para a consciência de quem a não tem. Temos de viver com quem temos. Apenas sentirei a falta de uma plêiade de leitores cuja preparação académica, cívica e intelectual fazem do Ponte Europa o blog que já é.

Telmo Correia finge que existe

O candidato do CDS-PP à Câmara Municipal de Lisboa, Telmo Correia, afirmou que a candidatura de Carmona Rodrigues demonstra que «está instalada uma guerra civil no PSD», noticia a agência Lusa.

Comentário: O CDS é provavelmente o único partido da AR que não consegue um vereador na CML.

Paulo Macedo quer identificar grevistas

Paulo Macedo, o ainda director-geral dos Impostos, emitiu um despacho interno obrigando os serviços a proceder à identificação do pessoal dos funcionários públicos que façam greves.

Comentário: Os que o defenderam a sua continuação da DGCI, para atacarem o Governo, não perdoarão ao Governo se proceder de acordo com as suas decisões.

A direita é inimputável?

( Público, ontem)
Se o PS procedesse assim, caía o Governo.
O PSD ignora a prepotência do sátrapa madeirense.

Espaço dos leitores

Vida (Picasso)

quarta-feira, maio 23, 2007

Sim! Senhor Primeiro Ministro...

Ponte Europa/Pitecos - Zédalmeida

Começa julgamento sobre furto de creme

Começou esta manhã o julgamento de uma mulher de 76 anos, acusada do roubo de um creme de beleza no valor de 3, 99 euros.

(...)
A mulher responde pelo crime de furto simples e pode incorrer numa pena até três anos de prisão ou 300 dias de multa.

CML - Carmona Rodrigues é candidato

Depois de na semana passada, Carmona Rodrigues ter anunciado que não se candidataria, o ex-presidente da Câmara de Lisboa decidiu, esta quarta-feira, avançar com a candidatura e garantiu que pretende manter-se como vereador caso não ganhe a presidência da autarquia.

Ai se roubassem um pão...

Pena suspensa para sequestro e tortura

FactosO caso passou-se na noite de 7 de Março de 2004, quando os três arguidos decidiram sequestrar dois indivíduos que suspeitavam estar relacionados com furtos, especialmente no interior de viaturas, na freguesia.

Com cordas, sacos e paus, transportaram-nos para um pinhal. Primeiro, amarraram um deles a uma árvore, manietaram-lhe os pulsos e ataram-lhe as pernas com cordas, abandonando-o, no local.

Depois, seguiram com a outra vítima, de cabeça coberta com um saco de serapilheira, para outra zona de pinhal. Entretanto, levaram-na para uma oficina, regressando ao pinhal, onde o penduraram de pernas para o ar, suspenso numa árvore, enquanto o empresário a agredia e interrogava acerca de um auto-rádio roubado da sua oficina.Desamarrada pouco depois, a vítima foi obrigada a seguir os arguidos a pé para outra zona, onde voltou a ser içado, novamente de cabeça para baixo, numa árvore. Seguiram-se mais interrogatórios e bastonadas, até que o rapaz acaba por fornecer os nomes dos presumíveis autores dos roubos.

Os arguidos levaram depois a vítima para a oficina do empresário, onde a PSP viria a detê-los, depois do outro jovem ter conseguido libertar-se das amarras, fugido e pedido auxílio.

O Tribunal decidiu ainda que os arguidos terão de pagar 60 euros aos Hospitais da Universidade de Coimbra, relativos aos gastos nas assistências aos dois rapazes.

PenasPrisão entre dois e três anos, com direito a penas suspensas.

ArguidosUm empresário, um motorista dos SMTUC e um engenheiro.

Comentário: É difícil imaginar tamanha violência, tal perversidade, tanta crueldade. Há pessoas que não hesitam em cometer um crime hediondo com base em suspeitas, a torturar para satisfazer instintos, implacáveis na justiça privada num Estado de direito.

Valha-nos a mão pesada dos meritíssimos juízes que à pena (suspensa) juntaram a obrigação de os réus pagarem 60 euros aos HUC.
*
Notícia do Diário de Coimbra, hoje.

O que o professor disse de Sócrates

«Estamos num país de bananas governado por um filho da p... de um primeiro-ministro».

De acordo com este jornal, o professor terá sido chamado à atenção pelos colegas para os termos «pouco correctos» que estava a utilizar e terá repetido o comentário, o que voltou a fazer durante a hora de almoço.

Também o Correio da Manhã garante que confirmou junto de fonte oficial que foi esta frase que levou à suspensão do professor».

Comentário: Esta linguagem é inaceitável num professor, mas compreende-se num ex-deputado do PSD. (O que não justifica, no meu entender, a punição que lhe foi imposta - regresso à escola de origem, tanto mais que os alunos não merecem o castigo).

Coimbra - cidade limpa. Veja onde põe os pés

Praceta de S. Sebastião, a qualquer hora.



E os cães aumentam diariamente.

Democracia à moda do PSD/Madeira

(Clique na imagem para aumentar a indignação)

Fonte: Público, hoje.

Mais papistas do que o Papa...

A Direcção Regional de Educação do Norte (DREN) reafirmou hoje que o inquérito instaurado a um professor foi originado por «um insulto ao primeiro-ministro», feito dentro das instalações daquele organismo.

Comentário: Atitude lamentável para com o antigo deputado do PSD.

Adenda: Sócrates garante direito à liberdade de expressão.

Portugal no seu melhor. Opinião de um leitor


A Santa Madre Igreja leva, leva, leva, leva...

E resiste sempre aos ataques caluniosos e mentirosos dos comunas ateus inimigos da Sagrada Tradição Católica, Virgem Maria, Senhora de Portugal.

Portugal, que se fez Nação baseando-se nos Ensinamentos da Igreja Católica!

Os ateus comunas esquerdistas destruidores da Civilização, da Nação Portuguesa consagrada a Nossa Senhora de Fátima, nossa Mãe, perecerão, sem violência, cairão por eles próprios porque a Igreja é Superior. É Verdade, Vida e Consagração!

O aborto será criminalizado na Lei, porque é de um crime hediondo que se trata!

As aberrações homossexuais, esses sub-humamos, não casarão nem adoptarão criancinhas!

As mentiras sobre a alegada pedofilia de Senhores Bispos ou Senhores Padres serão desmascaradas e serão a ruína dos ateus comunas destruidores da Família, da Vida, da Tradição e da Nação Portuguesa.

Viva a Igreja, viva Portugal crente, católico e temente a Deus.

Rezemos pela salvação da Nossa Gloriosa Nação!
a) Anónimo - Qua Mai 23, 11:49:00 AM

Nota: Foi corrigida a ortografia.

terça-feira, maio 22, 2007

Faleceu Alberto Vilaça

O advogado antifascista Alberto Vilaça, de 78 anos, um dos mais antigos membros do PCP de Coimbra, morreu hoje à tarde, nos Hospitais da Universidade de Coimbra, na sequência de problemas de saúde de que padecia desde o ano passado, disse à Lusa um amigo do falecido.

(...)
Autor de vários livros sobre Coimbra, onde nasceu, a sua história e a resistência à ditadura, Alberto Vilaça era militante do PCP desde 1949 e foi preso seis vezes pela PIDE, a polícia política de António Salazar.
Fonte: Público

Itália - Documentário censurado

Documentário sobre padres pedófilos

Quando o Papa Rätzinger condenou a publicação das caricaturas de Maomé não o moveu a solidariedade ao rude pastor de camelos, foi o medo da liberdade de expressão.

O Vaticano só aboliu o Index Librorum Prohibitorum em 1966 mas a vocação censória manteve-se. Foi a ineficácia que extinguiu o Índex, não foi o amor à liberdade.

O documentário da BBC, «Crimes sexuais e o Vaticano», com o prestígio e rigor de que goza a estação inglesa, está em vias de ser censurado em Itália.

Mario Landolfi, presidente da comissão parlamentar que supervisiona a RAI, pediu ao diretor-geral da emissora, Cláudio Cappon, que não autorize a transmissão.

A última aula de um grande professor

O professor Freitas do Amaral, que deu hoje a sua última lição perante uma assistência cheia de figuras públicas, disse que espiritualmente continua a sentir-se membro do Governo, do qual só saiu por problemas de coluna.

Comentário: Jubilou-se da Universidade um dos últimos «servidores públicos» e um notável estadista. Com ele Portugal não seria cúmplice da invasão do Iraque.

Lisboa - Câmara ardente

Ponte Europa - Pitecos/Zédalmeida