sexta-feira, agosto 31, 2007

Notas soltas - Agosto/2007

Almeida

ONU – Finalmente o drama do Darfur encontrou eco no Conselho de Segurança. Desta vez não foi o petróleo a ditar a ingerência, foi a comoção pela violência e barbárie de um genocídio silencioso a que a ONU e a Unidade Africana desejam pôr cobro.

Cinema – Bergman e Antonioni saíram de cena carregados de anos e de êxitos, com 24 horas de intervalo. Partiram dois ícones que fizeram as delícias dos cinéfilos e legaram obras-primas à história do cinema.

Al-Qaeda – O fascismo islâmico continua a recrutar crentes para a escalada de terror que ameaça a civilização e a democracia. A pobreza, a fé e o tribalismo são o húmus que alimenta a fome de martírio dos trogloditas de Maomé.

ETA – As tentativas de extorsão e ameaças de represálias aos empresários bascos e as explosões de viaturas mostram que a organização resiste, mas o erro dos dirigentes que recusaram a paz converteu-os em meros terroristas, úteis ao PP espanhol.

França – O pacto secreto de venda de armas no valor de 300 milhões de euros, à Líbia, foi a provável moeda de troca da libertação de cinco enfermeiras e de um médico búlgaros. A nova diplomacia de Sarkozy, ou da mulher, fica sob suspeita.

PSD – A luta entre Marques Mendes e Luís Filipe Meneses reflecte a tensão ancestral entre o partido urbano e civilizado e as bases rurais. O aparelho está vulnerável ao populismo de Meneses e teme uma reedição de Santana Lopes.

Museu de Arte Antiga – A demissão da directora, por mais injusta que pudesse ter sido, foi um legítimo acto de gestão. A solidariedade do PR traduz uma ingerência na esfera do Executivo só compreensível pela sua devoção à cultura.

Miguel Torga – A ausência de representação do Governo na comemoração do centenário do grande escritor e arauto da liberdade foi um acto de incúria e falta de sensibilidade que as férias do primeiro-ministro e da ministra da Cultura não absolvem.

Xanana – O mítico herói da resistência acabou refém da Austrália e da Igreja católica. Após ter sido presidente, sufragado por 80% dos seus compatriotas, quis ser um primeiro-ministro frágil, com 24% dos votos e legitimidade duvidosa.

Venezuela – Depois da vitória eleitoral arrasadora sobre uma oposição golpista, Hugo Chavez insistiu na reforma que lhe permitirá a reeleição indefinida. Os tiques autoritários e o populismo são sinais premonitórios da ditadura que se avizinha.

Iraque – É já evidente um novo Vietname. A desintegração do País agravou a instabilidade regional, comprometeu a paz mundial e fortaleceu o terrorismo, enquanto Bush e os seus cúmplices ficam impunes perante as atrocidades que desencadearam.

EUA – A 400.ª execução no Estado do Texas chamou a atenção para a barbárie que não poupa menores, dementes e erros judiciais, numa orgia de violência legal que envergonha os americanos e horroriza os países civilizados.

Corrupção – O finaciamento da Somague ao PSD, com Durão Barroso, pode ser comum a outros partidos e empresas mas, depois de provado o crime, a impunidade – a acontecer –, atrairá novas tentativas de corrupção.

Transgénicos – A invasão de um milheiral, em Silves, por um bando histérico de ambientalistas, transformou um problema ecológico num caso de polícia, prejudicando a discussão sobra os riscos/benefícios de cereais geneticamente modificados.

Zita Seabra – Há nesta mulher uma certa coerência, um fio condutor que a levou ao comité central do PCP, ao apostolado do liberalismo económico e à recente conversão ao catolicismo – o seu inflexível estalinismo. Vai acabar num convento.

BCP – As Assembleias Gerais de um banco e as rivalidades internas nunca foram tão mediáticas e transparentes, em nítido contraste com a opacidade do Opus Dei a cujas fileiras pertencem os gestores que se digladiaram. Perdeu quem tinha menos fé e apoio accionista.

Turquia – A eleição do primeiro presidente islâmico, Abdullah Gul, após 84 anos de vigência da república secular, vem confrontar o Islão e a democracia. É a última oportunidade de reconciliar a fé e a liberdade, uma experiência que nunca foi pacífica.

China – Durante a visita oficial, a chanceler alemã Angela Merkel debateu a falta de liberdade de imprensa com jornalistas críticos do governo e pediu mais respeito pelos direitos humanos. Deu um são exemplo de pedagogia democrática.

PR – Os vetos presidenciais, que o próprio já considerou forças de bloqueio, são todos legítimos e, alguns, justos. Resultam do normal exercício do cargo e só admira que o PSD exulte por ver vetado em Belém um diploma que aprovou em S. Bento.

PCP – A festa do Avante é um exemplo notável de organização e um momento ímpar de alegria, cultura, bom gosto e militância partidária a marcar o primeiro fim-de-semana de Setembro. Devia servir de inspiração a outros partidos e aos seus militantes.

Código de Processo Penal – O n.º 4 do art. 88.º, votado pelo PS e PSD, penaliza a publicação de escutas sem autorização dos visados, uma norma infeliz e injusta que limita as notícias sobre processos penais e afronta a liberdade de imprensa.

Nicarágua - Terrorismo legislativo

Paula Rego

Manágua, 30 Ago (Lusa) - A gravidez de uma menina de 10 anos da Nicarágua, violada por um primo, está a dividir as autoridades governamentais e religiosas e a sociedade civil do país, e a despertar a polémica sobre a penalização do aborto terapêutico imposta na Nicaragua.

Cartoons da ira



Mais ofensiva é a atitude do Islão para com as mulheres...



... e para com a civilização.

quinta-feira, agosto 30, 2007

EUA - O último escândalo sexual dos Republicanos

Hombre de familia Craig e sua esposa, Suzanne, terça-feira. Foto: AP / TROY MABEN

O senador por Idazo, Larry Craig, na foto com a esposa, é vítima do seu próprio partido que criminalizou o sexo e fez da cruzada moral o argumento para levar à presidência o impensável George W. Bush.

Assim, este homem de 62 anos, casado, pai e avô, foi preso num lavabo de um aeroporto por assediar um polícia à civil que logo lhe mostrou o distintivo.

Naturalmente que o facto de pertencer a um partido que execra a homossexualidade e defende os valores familiares, tornou-o alvo da comunicação social que não perdoa a hipocrisia de quem defende valores que não cumpre.

As cruzadas nunca deram bons resultados. A vergonha e o escândalo estão aí para denegrir, ainda mais, a imagem dos Republicanos americanos.

Os jornalistas portugueses Luís Delgado, José Manuel Fernandes e outros remetem-se agora ao silêncio, depois de tanto defenderam Bush, a sua política externa e a cruzada pelos bons costumes e valores familiares.

Fonte: el Periódico.com, hoje.

Austrália - Primeiro-ministro escandalizado

Foto: REUTERS / MICK TSIKAS

O primeiro-ministro australiano, John Howard, criticou hoje a escolha de uma imagen da virgem Maria coberta com burka e de outra em que Jesus Cristo se parece com Osama bin Laden como finalistas de um prémio de arte religiosa.
.
Fonte: EFE - SIDNEY

Devemos respeitar a intolerância?


O grupo indonésio de música pop Nidji foi forçado a cancelar vários concertos depois de ser acusado de violar a lei islâmica, ou «sharia», alegadamente por incentivar a promiscuidade.

Igreja católica sob investigação

A Comissão Europeia (CE) pediu informações ao Governo italiano sobre as vantagens fiscais em matéria imobiliária da Igreja Católica no país, face à suspeita de que poderiam violar as regras sobre ajudas de Estado, anunciou o porta-voz sobre Concorrência, Jonathan Todd.

A Comissão, recordou o porta-voz, também fez as mesmas questões às autoridades espanholas, onde a Igreja Católica está isenta de pagar uma taxa municipal sobre construções, instalações e obras em propriedades imobiliárias.

E em Portugal?

Incêndios - Manifestações em Atenas

Imagem RTP

Cerca de 10 mil pessoas manifestaram-se em Atenas contra o que consideram ser a falta de coordenação e de resposta adequada do governo grego aos múltiplos incêndios no país, que desde sexta-feira provocaram 63 mortos.
.
Comentário: Uma catástrofe para a Grécia e um problema para o Governo.

Médio Oriente - Perigo Nuclear

O presidente norte-americano acaba de fazer um aviso apocalíptico. George W. Bush, perante uma plateia de antigos combatentes, no estado do Nevada, avisou para o perigo de um holocausto nuclear no Médio Oriente se o Irão conseguir fabricar a bomba atómica.

Comentário: Creio que, desta vez, Bush tem razão, mas falta-lhe credibilidade, moral e prestígio.

quarta-feira, agosto 29, 2007

O Inocente

Durão Barroso escreveu ao presidente do Parlamento Europeu a esclarecer que não teve qualquer «conhecimento» ou «intervenção» no caso Somague, uma irregularidade no financiamento do PSD, em 2001, no âmbito das eleições autárquicas, quando era presidente do partido.

Em 2003, as férias com a família João Pereira Coutinho na ilha particular deste e com viagem no seu jacto particular, antes da compra da Quinta da Falagueira e da venda ao Governo do Volkswagen Phaeton para viatura oficial do primeiro ministro, foram motivo de especulação jornalística.

Em 2005, as famosas férias passadas a bordo de um iate de um amigo grego motivaram uma moção de censura de um grupo de eurodeputados do Parlamento Europeu, que o obrigaram a dar explicações e o humilharam.

Foi, todavia, a forma como usou o nome de António Vitorino para preparar a fuga para Bruxelas, como recompensa da cumplicidade na invasão do Iraque, que deu a medida do seu carácter.

O financiamento ao PSD, com ou sem o seu conhecimento, embora para seu benefício eleitoral, é insignificante quando comparado com o crime da invasão do Iraque. A presidência da CE foi o preço da conivência no crime para que os EUA arrastaram os idiotas úteis e os cúmplices entusiastas.

Espaço dos leitores

Morte de Sardanapal, Delacroix, 1827, Museu do Louvre

Angela Merkel - uma mulher determinada

A chanceler alemã, Angela Merkel, discutiu a falta de liberdade de imprensa com um grupo de jornalistas críticos do governo chinês, pedindo maior respeito pelos direitos humanos no segundo dia da sua visita oficial à China.

Comentário - Falta à direita portuguesa a tradição democrática que existe além Pirinéus.

Turquia – Religião e democracia


Pio IX dizia que o catolicismo era incompatível com a democracia mas, por mérito da segunda, foi desmentido. Não foram os papas que outorgaram a liberdade, mas esta impôs-se nos países moldados pelo iluminismo, a Reforma e o secularismo.

Já no Islão nunca foi feita a prova de que a liberdade e a fé podiam coexistir. Não são os fundamentalistas que são perigosos, são os fundamentos do Islão.O Corão apela à guerra santa e ao extermínio dos infiéis como sucede com todas as doutrinas totalitárias, com todos as religiões que se julgam as únicas empresas de transportes autorizadas a circular nas estradas que conduzem ao Paraíso.

A eleição de Abdullah Gul para Presidente da República é uma afronta aos sectores laicos e progressistas da Turquia moderna, especialmente aos militares e juízes, que defendem a laicidade imposta pela figura tutelar da Turquia moderna – Mustafa Kemal Atatürk.

Como não há democracias militares nem de juízes cabe aos turcos respeitar a decisão das urnas e ao novo presidente as determinações constitucionais, apesar da religião que professa.

Esta é a última oportunidade para o Islão mostrar pela primeira vez que se conforma com o pluralismo e que um presidente islamita é capaz de respeitar igualmente os que crêem e os que não crêem no Profeta, bem como os que não crêem em profetas.

Se a democracia soçobrar na Turquia, prova-se que o Islão não renuncia à obediência ao anacronismo do livro sagrado e que entre a civilização e a barbárie, entre a liberdade e a fé, só resta a espada para defender uma ou impor a outra.

Momento de poesia


Poema do Chão da Lapa

Habito no “ Chão da Lapa”,
Que não é casal nem vila
Nem figura em qualquer mapa.
É um quadrado de argila,
Perto da Venda do Pinheiro,
Com uma casa envergonhada,
Um poço e um galinheiro,
Uns metros de horta e mais nada.

Pinhais ao norte e ao sul,
Campo aberto a leste e oeste.
E por cima um céu azul
Quando a névoa não o reveste.
Silêncio apenas cortado
Pelo rumor dos pinhais
E pelo tom variado
Das vozes dos animais.

A estrada não tem saída,
Serve apenas quem lá mora
E quem passa de fugida
E olha a casa por fora
Não lhe apetece parar:
É uma casa alapada,
Sem nada de singular.
É uma casa e mais nada.

Por memórias de outras eras,
Quatro sobreiros vetustos.
E todas as Primaveras
Brotam ramos de arbustos,
Rompem vegetais daninhos
E crescem flores bravias
A alcatifar os caminhos
Que eu piso todos os dias.

Aqui, o tempo não conto.
O sol nasce e vai-se embora,
A lua faz contraponto,
Mas sou eu quem marca a hora.
Vivo, assim, como me apraz,
Esquecido e indiferente
Ao que ficou para trás
E ao que há-de vir à frente.

Construí o “ Chão da Lapa”
Como quem desenha e talha,
Com todo o cuidado, a capa,
Que há-de ser a sua mortalha.
E aos deuses, que mal conheço,
Pois sempre os olhei de lado,
Só esta graça lhes peço:
Morrer por cá descansado.
.
Armando Moradas Ferreira

terça-feira, agosto 28, 2007

A violência das palavras e a cobardia do homem

O líder do PSD, Marques Mendes, prestou homenagem à directora cessante do Museu Nacional de Arte Antiga, considerando que o afastamento de Dalila Rodrigues foi «um crime», informa a agência Lusa, quase um mês depois de se saber que não continuaria no cargo.


Comentário: Marques Mendes (MM) era ministro quando o mais incompetente dos ministros, desde a ditadura de Pimenta de Castro – Bagão Félix –, no infeliz consulado Barroso/Portas, demitiu por fax todos os 18 directores e igual número de subdirectores da Segurança Social.

A ilegalidade, que contou com o silêncio cúmplice de Marques Mendes, obriga o Estado, por decisão judicial, a pagar indemnizações às vítimas da sanha persecutória do CDS.

Então, perante uma ilegalidade e uma iniquidade política, MM calou-se. Agora, face a um acto de gestão que deu por finda a comissão de serviço de uma sua correligionária, chama-lhe crime.

Qual é o artigo do Código Penal?

Liberdade de expressão

Copenhague, 27 ago (EFE).- O jornal sueco "Nerikes Allehanda" negou-se a pedir desculpas por uma caricatura de Maomé publicada recentemente, apesar dos protestos do Ministério de Assuntos Exteriores do Irão à Embaixada da Suécia em Teerão por considerar o desenho uma "blasfémia".

Comentários:

1 - É preciso ser firme na defesa da liberdade;

2 - É tempo de exigir às teocracias islâmicas o dever de reciprocidade para com as religiões que se praticam nos países laicos.

Momento de poesia

Fotografia: Gella (Ekaterine Aleksandrava)
GOSTO DE TE VER ASSIM VESTIDA

Gosto de te ver assim
vestida
com a túnica e o manto
a envolver-te o corpo todo.
Assim te vejo, sempre
que te recordo nas ausências,
quando me apetece despir-te
lentamente
recolhendo as dobras e as pregas
desapertando o alfinete de prata
deixando cair tudo a teus pés
e ver o esplendor
da tua nítida nudez…

Alexandre de Castro - Lisboa, Dezembro de 2006

segunda-feira, agosto 27, 2007

EUA - Administração Bush em decomposição

O secretário da Justiça norte-americano, Alberto Gonzales, em causa há vários meses, devido, nomeadamente, ao afastamento de vários procuradores federais, demitiu-se, noticia hoje o New York Times na sua página na Internet.

Os falcões perdem as garras.

Espaço dos leitores

Vincent van Gogh

Direito à apostasia

A situação dos cristãos convertidos em países islâmicos é mais difícil do que a dos que já nascem cristãos. No Tajiquistão, dois iranianos convertidos ao cristianismo estão em greve de fome a fim de não ser repatriados, pois correm o risco de condenação à morte por apostasia.

A apostasia é um direito inalienável dos cidadãos cujo respeito os estados democráticos garantem e as religiões evitam com a pena de morte ou a ameaça do Inferno.

Não há religião que não considere o seu Deus como o único verdadeiro, atribuindo aos outros a falsidade absoluta e aos seus crentes os riscos de perdição eterna. Desde bispos evangélicos aos mullahs, dos rabinos ao papa, todos combatem as crenças alheias e, particularmente, o ateísmo. Lapidações, fogueiras e decapitações para os infiéis, isto é, para os fiéis de outras religiões, foram e são o método de dissuasão.

A onda de demência mística acompanha a violência dos crimes religiosos. Ninguém vê um muçulmano a criticar um acto terrorista num país islâmico: pode custar-lhe a cabeça e o crime não é apanágio de desequilibrados, é a consequência lógica do cumprimento dos ensinamentos do Corão.

Agostinho, um santo católico, defendia a tortura para os que violavam as leis de Deus pois, se era adequada para quem violava as leis dos homens, com maior razão era justa para quem violava a lei do seu Deus.

Os crentes são mais tolerantes quando crêem pouco ou têm dúvidas, mas só defendem o pluralismo religioso quando estão em minoria. Em maioria dizem que não deve tratar-se de igual forma o que é desigual. O poder é o grande objectivo.

Conter o proselitismo é dever dos Estados democráticos, aprofundando a separação das Igrejas e defendendo direitos iguais para todas as crenças, não crenças e anti-crenças.

Para sobreviver, a humanidade tem de conter o proselitismo das diversas religiões. Ninguém, melhor do que os clérigos, transforma as diferenças em divergências e estas em guerras. Deus, fruto do medo, tornou-se um instrumento do terror global.

Nenhum democrata pode deixar de ser solidário com estes cristãos perseguidos por islamitas. O direito a mudarem de superstição é inalienável. Para uns e outros.

Grécia em chamas

As chamas arrasam o Peloponeso, atingem o museu de Olímpia, em frente do santuário de Zeus, impotente para as deter, e sitiam o templo de Apolo, perto da cidade de Andritsaina. Há dezenas de mortos contabilizados e gritos de desespero que ecoam nos recônditos do País.

Não lamento apenas os danos materiais de uma nação que quer recuperar o atraso de séculos e as vidas humanas que se perdem no imenso braseiro que a dilacera, sofro com a perda dos testemunhos da história que moldou a nossa civilização.

As televisões vivem momentos de glória e de audiências enquanto o solo fica calcinado, a desertificação avança e a cultura perde testemunhos irrecuperáveis, apesar da ajuda que de toda a Europa chega a cada momento.

O fogo implacável que incinera a Grécia é um auto de fé para pessoas desprevenidas e contra a memória histórica em que mergulham as raízes civilizacionais da democracia e da liberdade.

A tragédia assume proporções dantescas na ofensiva implacável contra os testemunhos da nossa cultura e da nossa melhor tradição.

domingo, agosto 26, 2007

O báculo da discórdia

Estátua do arcebispo D. João Peculiar (Foto DN)
.
Diocese de Braga admite que «a obra saiu mal» e torna-se um incómodo.

Quem 'bloqueou' o PM


(...)

Ataques que, no caso de Sócrates, foram de dois géneros: introduzir insultos ou disparates (alguém chegou a tentar colocar-lhe no perfil a data da sua morte); ou num sentido mais agradável para Sócrates - como aliás lhe aconteceu na versão inglesa, através de computadores do governo português, cortando informação verdadeira mas que alguém preferia que não fosse publicada (por exemplo, a nota, 12 valores, do seu MBA no ISCTE).
(...)
1 - A edição inglesa da Wikipédia é omissa em relação à nota do MBA de Sócrates;
2 - A nota respectiva foi de 17 valores como, oportunamente, revelou a prestigiada escola;
3 - Uma e outra coisa podiam ter sido verificadas pelo jornalista. Pode não se gostar de um governante mas o trabalho de casa é obrigatório para um jornalista.
Nota: Estes comentários resultaram de uma consulta à edição inglesa da Wiki e, a seguir, de um telefonema a um catedrático do ISCTE.

Avenças milionárias


O Exército português está a pagar, em avenças, entre 6 e 14 mil euros mensais, a apenas cinco especialistas. A recibos verdes, prestam serviço como externos dois estomatologistas, um médico de clínica geral, um especialista em serviço gráfico e um técnico de electrotecnia.

Um vulto intelectual que desaparece

Eduardo Prado Coelho herdou do pai – Jacinto do Prado Coelho –, notável académico, o gosto pela cultura e o amor à liberdade.

Professor, ensaísta e escritor, Eduardo Prado Coelho sucumbiu aos 63 anos, vítima de um cancro.

sábado, agosto 25, 2007

Contabilidade do PSD - escândalo internacional

O caso do financiamento da Somague ao PSD e a ligação ao actual presidente da Comissão Europeia já chegou à Imprensa estrangeira. Ontem, o jornal belga "Echo" noticiou o caso, na sua edição electrónica, com o título "Barroso enlameado pelo financiamento ilegal do seu partido".

Acontece...

Madre Teresa de Calcutá duvidava da existência de Deus. Um livro a publicar em breve nos Estados Unidos revela cartas pessoais de madre Teresa de Calcutá em que a missionária, de origem albanesa, manifesta profundas dúvidas sobre a existência de Deus.

sexta-feira, agosto 24, 2007

Claro que não há almoços grátis (3)

Francisco Louçã criticou o PSD, PS e CDS-PP por causa dos financiamentos vindos de algumas empresas, financiamento que, na opinião do dirigente do Bloco de Esquerda, não deveriam acontecer. Sobre o caso que envolve o PSD, Louçã sugeriu que Durão Barroso explique a questão.

Comentário: Neste caso é difícil não dar razão a Louçã.

Comunicação social culpada


CIDADE DO VATICANO - O principal diplomata do Vaticano acusou meios de comunicação de retratarem de forma "vergonhosa e enganadora" as acusações de abuso sexual feitas contra padres italianos, e sugeriu que pode estar em curso uma campanha contra a Igreja Católica.

Pataca a ti...Pataca a mim...

Ponte Europa/Pitecos - Zédalmeida

Espaço dos leitores

Paula Rego

Claro que não há almoços grátis (2)

Um antigo secretário de Estado suspendeu a concessão de uma auto-estrada, contestada pela SOMAGUE. Segundo o Público, esta decisão foi tomada por Vieira de Castro pouco depois de este ter dado indicações para que facturas da Novodesign fossem endossadas para a SOMAGUE.

Comentário: Não vale a pena argumentar que outros fazem o mesmo. Isto é mais do que um crime, é uma indignidade intolerável.

Claro que não há almoços grátis

No caso do financiamento proibido da Somague ao PSD, a Procuradoria Geral da República abre a porta a uma nova iniciativa depois de em Janeiro ter arquivado o processo.
(...)
Em causa estão notícias segundo as quais o Governo do PSD terá alegadamente favorecido a Somague no concurso relativo à concessão da auto-estrada litoral centro.
.
Comentário: É estranho (ou talvez não) o silêncio dos outros partidos em relação a este gravíssimo caso, silêncio que merece investigação.

quinta-feira, agosto 23, 2007

Sacco e Vanzetti


Hoje, 23 de Agosto de, 2007 cumprem-se 80 anos que Sacco e Vanzzeti foram mortos por electrocussão, nos EUA.

É, cada vez mais, convincente a sua inocência.

Foram executados porque eram anarquistas e emigrantes.

Mortos pela intolerância política (o juiz considerou-os não comprovada a acusação mas antes "inimigos das instituições") e porque eram italianos (num clima de histeria xenófoba).
Uma efeméride a propósito da execução do 400º. condenado à morte, no Texas.

Para pensar...


a) e-pá!

El Jueves - Nova capa sobre a família real

Comentário: O juiz voltará a mandar apreender o semanário satírico?

Menezes - O Plagiador


O blogue do candidato à presidência do PSD, Luís Filipe Menezes, continha, até ontem ao final do dia, vários plágios de textos publicados em sites da Internet, nomeadamente na Wikipédia, sem qualquer referência à origem. Em alguns artigos assinados por Menezes, que é presidente da Câmara de Gaia, não há uma única linha da sua autoria.

quarta-feira, agosto 22, 2007

Coice no leão moribundo

O primeiro-ministro iraquiano, Nuri al Maliki, respondeu hoje às críticas do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, afirmando que ninguém tem o direito de impor calendários ao seu governo e que o país pode encontrar «amigos noutro lado».

EUA - Execução do 400.º condenado


Os protestos internacionais não demovem a barbárie. Nem os erros judiciários. Nem os menores e os dementes escapam. O Texas lidera as condenações à morte nos EUA.

Bush só podia ser do Texas onde, como Governador, foi entusiasta a assinar ordens de execução.

Ninguém pede desculpa?



A ERC ilibou o primeiro-ministro da suspeita de interferência do Governo na Comunicação Social no auge da polémica em torno da licenciatura de José Sócrates. Um conselheiro votou contra, por considerar haver factos probatórios de actos condicionadores.
Nota: Quando Marques Mendes tutelou a RTP os telefonemas eram frequentes.

Financiamentos ilegais dos partidos (2)



O PSD, a Somague e a Brandia Creating, que detinha a Novodesign, arriscam coimas de perto de 3,5 mil a um milhão de euros por terem violado a lei do financiamento dos partidos políticos.

Um post de Vital Moreira

"Double standards"

O Presidente da República foi lesto e enfático a exigir a garantia de cumprimento da lei por parte das autoridades no caso de invasão e destruição de bens privados por um grupo ambientalista radical, um caso trivial de responsabilidade penal e civil. Que diferença em relação à sua frustrante reacção quanto à recusa do Governo regional da Madeira -- uma autoridade pública -- em cumprir uma lei da República, em que o Presidente não teve mais para dizer do que remeter a questão para os tribunais!
[Publicado por vital moreira] 21.8.07

Momento de poesia


O que Eu tenho

Tenho uma profissão,
Da qual, bem ou mal,
Ganho todos os meses o meu pão.
Uma Mulher,
Que sorri e me consente,
E uma casa de aluguer,
Com água quente.
Livros dispersos,
Sobre assuntos desiguais,
(Muitos volumes de versos
E poucos profissionais).
Um amigo dedicado,
Que me segue todo o dia:
Um Fox atravessado
De uma cadela vadia.
Tenho uma cruz, um Cristo,
Que me chama … que me afasta…

Nada mais tenho que isto.
E basta.

Armando Moradas Ferreira

terça-feira, agosto 21, 2007

Direita sofre...

O Presidente da República afirmou ontem que Portugal "tem de viver com o dinheiro que tem" e deve utilizá-lo bem a favor das populações, para que o país deixe de ser notícia internacional por violação das regras orçamentais comunitárias.

Comentário: O espaço da Direita encolhe.

Compreensão eclesiástica

O Vaticano defendeu hoje que uma mulher que foi violada não deve abortar porque em causa está a preservação de uma vida humana.

Marques Mendes quer derrotar Sócrates

José Sócrates, Primeiro-ministro, é “perfeitamente derrotável” em 2009. A garantia foi dada esta segunda-feira por Marques Mendes, líder do PSD e candidato às eleições internas do partido.

Comentário: Quem lhe dera ser capaz de derrotar Filipe Meneses em 2007.

Financiamentos ilegais dos partidos


Lisboa - O Tribunal Constitucional deu como provado que a Somague, SA pagou uma factura no valor de 233.415 euros por serviços prestados ao PSD e à JSD pela empresa Novodesign, no entanto, o acórdão diz «ignorar o que fundamentou tal liberalidade».

Nota: Mais grave foi o criminoso apoio à invasão do Iraque.

Espaço dos leitores

Picasso

Momento de poesia


Aos Deuses por nós inventados


Nem tu sabes quanto eu adoro
os deuses
quando escrevo para ti o poema da redenção
ou quando me liberto da terra
nos momentos de solidão,
quando tu faltas.
É uma oração profana
que nenhum padre, rabino
ou mullah entende.
É uma oração
que não entra na igreja, na mesquita
e na sinagoga,
não foi revelada
nem ensinada,
não tem símbolos nem hinos
nem ortodoxias
nem assume verdades absolutas.
É uma oração que tu me ensinaste
em murmúrios quentes, segredados,
nos nossos mútuos encantamentos
e para rezar a todos os deuses
por mim e por ti inventados…

Alexandre de Castro

segunda-feira, agosto 20, 2007

Polónia – difíceis caminhos da democracia

*
Se as sondagens se confirmarem, os exóticos gémeos polacos que ocupam a presidência da República e do Governo, podem ser varridos como lixo para o caixote da história.

A parelha de manos homozigóticos, em vez de se preocupar com o bem-estar do povo, preferiu envolver-se numa odiosa campanha de perseguição anticomunista, com apelos à delação, na histeria homofóbica e na luta contra a IVG, mesmo nos casos de risco de vida para as mães.

A cruzada moral destes apóstolos foi acompanhada de frequentes ameaças de bloqueio ao tratado que Portugal tem a incumbência de fazer aprovar para que a União Europeia funcione. A tradição democrática e o fervor humanista dos polacos têm variado na razão inversa da devoção que consagram ao Papa João Paulo II.

Os inefáveis manos podem pagar caro os desvarios da «revolução moral» que quiseram conduzir a partir do aparelho de Estado. Ao expulsarem do Governo a Liga das Famílias Católicas, de pendor fascista, e a populista Autodefesa, ficaram isolados e arriscam-se a permitir a vitória da Plataforma Cívica, formação da direita liberal, urbana, civilizada e europeísta.

A tradição autoritária é forte na Polónia. Os manos são o paradigma do País profundo, beato, retrógrado e rural. Têm, aliás, cumplicidades fortes no seio da Igreja e em vários extractos sociais. Mas, como diz o povo, não há mal que sempre dure.

Silly season

1 – A invasão de uma exploração de milho, em Silves, é um caso de polícia. Mal seria que ficasse impune a invasão da propriedade e a destruição das colheitas, sob pena de novos e mais violentos atrevimentos dos activistas anti-transgénicos, por mais genuína e respeitável que seja a razão das suas preocupações.

2 – Marques Mendes desconfia que o Governo «patrocinou a violência» e quer que o primeiro-ministro e o ministro da Administração Interna se desloquem ao Parlamento para darem satisfações sobre o assunto e, não se contentando com isso, o PSD vai pedir «a convocação urgente» da comissão permanente da Assembleia da República para discutir a matéria. O líder do PSD perdeu a cabeça e o partido o sentido das proporções.

3 – Marques Mendes, ao ter escolhido Alberto João Jardim para a sua comissão de honra, depois da deprimente deslocação ao Chão da Lagoa, deu aos militantes do PSD a possibilidade de votarem contra Jardim. Basta votarem em Luís Filipe Menezes.

O princípio do fim do regabofe

A Câmara Municipal de Lisboa vai suspender a admissão de novos funcionários até 2010, por forma a emagrecer a estrutura da autarquia, afirmou o vereador responsável pelo pelouro das Finanças, José Cardoso da Silva, em entrevista publicada esta segunda-feira no Diário Económico.

domingo, agosto 19, 2007

Vocação separatista do velho autocrata

Jardim defendeu Estado federado na Madeira em 80

Com a cumplicidade de altas figuras do Estado e a incúria dos órgãos de soberania foi possível, ao arrepio da vontade dos portugueses, entregar a Madeira a um presidente vitalício enquanto a regionalização do País continua adiada.

Os que pretendem bloquear a acção governativa com o recurso a referendos têm aqui um tema que devia ser posto à consideração dos portugueses: os limites das autonomias dos Açores e da Madeira.

O futuro avizinha-se conflituoso e Portugal não admitirá a chantagem, a má-criação e os insultos que o sofrível cidadão e medíocre governante continua a destilar.

O PR tem o dever de fazer respeitar a Constituição e obrigar ao cumprimento das leis. Não pode propor o diálogo entre o Governo de Portugal e o da Região Autónoma quando é o cumprimento das leis que está em causa.

Desrespeitar a lei não é um problema político, é um caso de polícia.

Ministério Público do Porto sob investigação


«O Ministério Público do Porto está sob investigação, no âmbito do processo Apito Dourado. O semanário Expresso adianta que o procurador-geral da República recebeu uma denúncia - não anónima - que põe em causa o arquivamento dos processos que envolviam Pinto da Costa e que entretanto foram reabertos pela equipa coordenada por Maria José Morgado».

Nuno Álvares Pereira fez um milagre


Demorou mas fez um grande milagre no ramo da oftalmologia. Temos santo.

sábado, agosto 18, 2007

Fundamentalismo católico

O presidente do Pontifício Conselho "da Justiça e da Paz", Cardeal Renato Raffaele Martino, acusou a organização de defesa dos direitos humanos, Amnistia Internacional (AI) de responder à violência com a violência, por apoiar o aborto, no caso de gravidez resultante de estupro.

Comentário: O fundamentalismo, palavra que começou por ser atribuída, no início do século XX, ao protestantismo evangélico, que pregava um Deus vingativo, apocalíptico e violento, é comum a todas as religiões monoteístas.

A condenação do aborto, em casos de violação, é uma atitude de uma violência inaudita, própria de quem nega o direito ao divórcio, ao planeamento familiar e ao uso do preservativo.

A impiedade contra as mulheres é uma herança misógina que corrói a Igreja católica desde Santo Agostinho. Imagine-se como seria o direito penal se dependesse do Vaticano.

PSD - Eleição do líder


Mal um cidadão sai da Pátria logo se desinteressa das tricas entre figuras menores do PSD, que certamente se digladiaram no Pontal, uma espécie de Chão da Lagoa algarvio, mais urbano e civilizado, com protagonistas incapazes de proferir sólidos impropérios e de ingerir a mesma quantidade de líquidos de tão elevado teor alcoólico.

Logo que se regressa fica a saber-se que o anunciado despique entre Marques Mendes e Filipe Meneses não é uma opção dos militantes por um dos Luíses, é uma luta entre agências, uma batalha entre a Be One e a Cunha Vaz & Associados, respectivamente.

Barroca desiste da candidatura a favor de Menezes. Vem em letras gordas nos jornais. Penso em Marcelo, Ferreira Leite e Leonor Beleza e sinto vergonha de não saber quem é Barroca cuja importância pode decidir a contenda. Inútil. Não sei quem é, apesar de o dito ter dado uma conferência de imprensa que perdi.

Trata-se do presidente da Junta de Freguesia de Taveiro. Chama-se José Maria Barroca e traz o nome nos jornais. Não me vou esquecer deste autarca. Há mais de quatro mil presidentes da Junta mas este foi o único que anunciou a candidatura à liderança do partido. E creio que o PSD ficava melhor servido.

Agora só falta a desistência de Castanheira Barros a favor de Marques Mendes para que a correlação de forças se restabeleça. Um voto para cada lado.

Madrid - Notas de viagem

As três Graças (Rubens)

À noite a capital de Espanha rivaliza com as mais cosmopolitas cidades do mundo. As pessoas vêm para as praças e avenidas desfrutar a alegria e o bulício, indiferentes às horas tardias e ao encerramento dos transportes públicos em que só restam táxis depois da uma e meia da madrugada. Espectáculos de música, dança e teatro acompanham a oferta diversificada onde não faltam outras propostas para os mais exóticos gostos.

Museu Rainha Sofia – A primeira vez que vi o gigantesco quadro de Picasso foi no Palácio do Bom Retiro, motivo da deslocação e homenagem ao pintor que exigiu que a democracia precedesse a entrega da oferta que fez ao povo espanhol. Os desenhos, datados e assinados, mostram que o génio não dispensa o trabalho e a inspiração o suor.
Agora, conto as viagens a Madrid pelo número de vezes que revejo a Guernica como se de uma peregrinação se tratasse para homenagear o milhão de vítimas do franquismo e o maior pintor do século XX. E não faltam quadros de mulheres que choram, dramático testemunho do pintor, num post scriptum pungente registado no seu traço inconfundível.

Prado – Quem visitou o Louvre, os museus do Vaticano e a Galeria dos Ofícios não há-de sentir-se defraudado neste espaço ímpar da pintura universal. À pintura espanhola de Goya, El Greco, Rivera e Murillo junta-se a flamenga de Rubens, van Dick e Brueghel e a italiana de Fra-Angélico, Botticelli, Rafael, Tintoretto e Ticiano. Pintura francesa e alemã completam o imenso espaço museológico de que só as pernas se queixam.

Museu Thyssen – Uma exposição temporária de van Gogh é motivo acrescido para uma visita a este belo museu, mas quem conhece o Museu de Orsay fica sempre insatisfeito, no que se refere ao impressionismo, ainda que se trate de van Gogh. Fica assim mais valorizada a colecção permanente do museu.

O barão de Thyssen lembra o comendador Joe Berardo, ambos coleccionadores de arte. Mas a generosidade, o extremo bom gosto, a delicadeza e o desapego ao dinheiro são a característica dominante do benemérito aristocrata que encontrou em Espanha a derradeira paixão: uma mulher bela, inteligente e sensível. A ela e ao ministro socialista da cultura, Xavier Solana, se deve a decisão de Thyssen. A maior colecção particular de arte é hoje património espanhol.

terça-feira, agosto 14, 2007

Espaço dos leitores


Momento de poesia

… E um Soneto

Sou um senhor doutor, ando de carro.
Estreio, em cada ano, dois, três fatos.
Uso modelos vários de sapatos
E acendo num cigarro outro cigarro.

Dos vícios e prazeres não me desgarro.
Detesto frequentar lugares baratos.
Às refeições agradam-me bons pratos,
Com vinho velho a transbordar no jarro.

Sou conhecido em “boites” clandestinas,
Onde se bebe whisky, com meninas
Da nossa sociedade mais selecta.

Distraem-me, aos serões, jogos de vasa.
E, altas horas, ao voltar a casa,
Fecho-me no quarto… e sou poeta.

Armando Moradas Ferreira