sábado, janeiro 26, 2008

CONVITE (COIMBRA)


EVOCAÇÃO DO MOVIMENTO REVOLUCIONÁRIO DE 28 DE JANEIRO DE 1908

Na passagem do 1 º centenário do movimento revolucionário de 28 de Janeiro de 1908, a Delegação do Centro da Associação 25 de Abril evoca aquela que foi a segunda e última tentativa para implantar a República, antes do 5 de Outubro de 1910.

Na sua preparação e execução tomaram parte muitos dos homens – civis e militares - que, dois anos depois, poriam termo à Monarquia – Cândido dos Reis, António José de Almeida, João Chagas, Afonso Costa, França Borges, Correia Barreto, Machado Santos, Luz Almeida, Ribeira Brava, entre os mais destacados. Apesar do fracasso, as consequências foram fatais para a monarquia.

O movimento culminou um período de intensa agitação revolucionária e crescente hostilidade ao regime monárquico. A subida de João Franco ao poder e a violenta repressão que se seguiu, tiveram um efeito contrário mais grave, tornando irreconciliáveis as posições em confronto. O primeiro episódio marcante da contestação ao regime fora o movimento académico de 1907, iniciado na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, e que propagara a todas as escolas superiores do País, originando incidentes graves. A 10 de Maio, as Cortes foram violentamente encerradas, dando início à última ditadura na vigência do regime. Começou então uma fase de perturbação na política portuguesa, sem precedentes na história da monarquia liberal. Nem mesmo durante o «cabralismo» o poder fora exercido de forma tão despótica e repressiva, dando origem a uma reacção popular de autêntica insurreição nacional. Foi este o ambiente que desembocou na tentativa revolucionária de 28 de Janeiro de 1908, que teria o seu trágico desfecho no regicídio, quatro dias depois. Visando antecipar a proclamação da República, o movimento acabaria, provavelmente, por a atrasar.

Pesem embora as suas características específicas, considera-se que, numa perspectiva de longa duração, o 25 de Abril de 1974 culmina uma tendência histórica de luta democrática, que remonta as suas origens aos princípios do século XIX, onde se inscreve, de forma determinante, o activismo revolucionário republicano do final desse século e começos do seguinte, designadamente os movimentos revolucionários de 31 de Janeiro de 1891 e de 28 de Janeiro de 1908 e a Revolução de 5 de Outubro de 1910, e se retoma, depois, na série de novas tentativas revolucionárias e revoltas fracassadas contra a ditadura militar e o Estado Novo, desde o 3 de Fevereiro de 1927 ao 16 de Março de 1974.

Daí o sentido da evocação do «28 de Janeiro de 1908», a levar a efeito pela Associação 25 de Abril.

A evocação do «28 de Janeiro de 1908» terá lugar na Casa Municipal de Cultura (salão de conferências), no próximo dia 28 de Janeiro, pelas 18H00.

Além de outras intervenções, será apresentada uma comunicação específica sobre o tema pela Dr. ª Noémia Malva Novais, historiadora, jornalista, escritora e investigadora.

Participe nesta iniciativa de memória democrática e cidadania.