sexta-feira, outubro 31, 2008

O erro dos rankings

Concordo com Vital Moreira que critica a forma como os rankings são apresentados à opinião pública.

É pena que o governo socialista - e supostamente republicano - continue a contribuir para esta permanente degradação da imagem da escola pública...

É a escola pública que cumpre o grande sonho de Abril: promover a igualdade de oportunidades, a solidariedade entre as diferentes classes sociais e o reforço da coesão social e nacional.

A escola pública melhorou muito nos últimos três anos.
Já temos escola a tempo inteiro, actividades extracurriculares e professores colocados por um período de 3 anos, entre outras medidas.

Mas a repetida mensagem segundo a qual as escolas privadas oferecem melhor preparação é um erro grave e coloca em causa os fundamentos da República.

É evidente que um pequeno colégio que receba jovens de classes socio-económicas mais favorecidas, com mais apoios pedagógicos e com mais altas expectativas de realização profissional, terá melhores resultados nos exames do que uma grande escola aberta a todas as classes sociais e a todos os alunos!

Neste ranking - perdoem-me o orgulho! - sabe sempre bem saber que, ano após ano, é a (minha) Escola Secundária Infanta D.ª Maria, de Coimbra, a que obtém melhores resultados, no plano das escolas públicas.

Notas soltas: Outubro/2008

Itália – Leis à medida de Berlusconi, populismo, xenofobia e domínio da comunicação social, são a marca de um Governo que envergonha a Europa e corrói a democracia.

Áustria – A crise mundial, o bloqueio do Tratado de Lisboa e o esquecimento do nazismo permitiram o triunfo de oportunistas cujo discurso se baseia na xenofobia e na propaganda antieuropeia, discurso que seduziu um terço dos eleitores.

EUA – O plano de 700 mil milhões de dólares chumbou no exame, passou com deficiência no recurso e não resolvia o caos financeiro. Era um xarope amargo, criado por Henry Paulson e vendido por Bush, responsáveis pela doença, a pagar em prestações suaves pelas próximas gerações de contribuintes.

Portugal – Os arautos do ultraliberalismo não se conformam com a partida que o seu modelo lhes pregou. Desorientados com a realidade, desacreditados pelos factos, amaldiçoam os factos e a realidade ansiando que sejam curtas a crise e memória.

Paraísos fiscais – A abolição tornou-se uma exigência ética depois do apocalipse financeiro. A persistência compromete os Estados na corrupção, fraudes e crimes para que vierem a contribuir.

Centenário da República – A presença do bispo, Manuel Clemente, na Comissão Consultiva das celebrações, é tão surpreendente como seria a de um membro da Associação Ateísta Portuguesa numa comissão equivalente, no centenário das alegadas aparições de Fátima.

Casamento gay – O PS procedeu mal em negar a liberdade de voto ao seu grupo parlamentar. Conceder direitos a uma minoria não obriga a maioria. Adiou a solução de um problema que torna infelizes vários cidadãos.

Coreia do Norte – Os EUA anunciaram que vão retirar o país da lista negra do terrorismo. Bush deve acreditar, como o líder parlamentar do PCP, Bernardino Soares, que não há razões para pensar que a obscura ditadura não seja uma democracia.

Crise financeira – O merceeiro que não liquide as dívidas aos fornecedores fica sem a mercearia, sem a casa e sem o carro. Os banqueiros… têm os Governos a correr em seu auxílio. E nenhum vai preso.

Reino Unido – Deve-se a Gordon Brown, primeiro-ministro inglês, o plano coerente e viável contra a crise, que a União Europeia adoptou e os EUA copiaram neste penoso crepúsculo de Bush. Resta saber se a crise se rende.

Portugal – Em 38 anos, a mortalidade infantil (até aos cinco anos) caiu 86% e a de crianças 89%. Foi idêntica a redução da mortalidade perinatal e ainda mais acentuada a materna. Nos últimos 30 anos a esperança de vida aumentou 9,2 anos. Os dados da OMS são preciosos para se avaliar o mérito do Serviço Nacional de Saúde.

Orçamento de Estado – Entre aplausos do Governo e críticas das oposições não houve propostas alternativas. Prever o futuro num ambiente tão instável é um exercício de alto risco.

Açores – A participação de todos os líderes na campanha conferiu às eleições significado nacional. CDS, BE, PCP e PPM entraram no parlamento, enriquecendo-o, e a maioria absoluta de Carlos César ligou Sócrates e o PS a uma sólida vitória.

Barack Obama – O apoio de Colin Powell, ex-secretário de Estado de Bush, no primeiro mandato, foi mais uma prova do descrédito da Administração republicana, dentro e fora dos EUA.

Hipocrisia – O virtuoso líder da extrema-direita austríaca, Jörg Haider, defensor da família e da moral, falecido num desastre de viação, alcoolizado e em excesso de velocidade, afinal… era homossexual. Públicas virtudes!

Crise – Há profecias que são fáceis de fazer. O pior está para vir e, como aqui já foi dito, a minha geração é a última que viveu melhor do que a anterior. O futuro não se recomenda.

Cavaco Silva – O novo veto ao Estatuto dos Açores, apesar de votado por todos os partidos, é um veto político legítimo que procura pôr termo à jardinização dos Açores e a maiores excessos da Madeira.

Dinamarca – O eurocepticismo não impediu o país de solicitar ao Banco Central Europeu um acordo de troca de divisas com o seu banco central, no valor de 12 mil milhões de euros, a fim de evitar a ruína da moeda nacional – a coroa.

Somália – A lapidação de mais uma mulher acusada de adultério – como gosta Maomé –, por islamitas convictos, é uma nódoa irreparável numa religião que aumenta a repulsa das pessoas civilizadas pela doutrina que prega.

Bancos – Miguel Cadilhe, ex-ministro das Finanças e actual presidente da sociedade que controla o BPN, denunciou ao Ministério Público os quadros superiores do referido banco, por suspeita de fraudes. Que outros bancos cometeram fraudes?

Justiça – O julgamento de Jaime Giménez, na Figueira da Foz, embora legítimo, é caro e inútil. O perigoso assaltante de bancos e assassino de polícias terá pena máxima em Espanha. Portugal dispensava o turismo do facínora se a lei o permitisse.

Contradições de um nazi

Lisboa Notícia avançada ontem pelo Correio da Manhã (CM) revela que um dos militantes do PNR, partido da extrema-direita em Portugal está preso por lenocínio e auxílio à imigração ilegal, o que vai contra aos ideais do seu partido.
.
António Pereira Frazão nasceu na antiga República Federal da Alemanha e é filiado no partido de extrema-direita PNR (Partido Nacional Renovador). Segundo o CM, no dia 9 de Abril deste ano, foi detido pelo SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras), na sua casa em Belas, por alegadamente auxiliar a imigração ilegal e por lenocínio.

quinta-feira, outubro 30, 2008

Julgamento inútil

O julgamento do espanhol Jaime Giménez Arbe, conhecido pela alcunha "O Solitário", na Figueira da Foz, por tentativa de assalto à dependência da Caixa de Crédito Agrícola, em 23 de Julho de 2007, é tão legítimo quanto inútil e caro.

O perigoso delinquente, autor do assassínio de polícias espanhóis e assaltante de vários bancos, à mão armada, não deixará de ser condenado pela legislação espanhola a pena máxima, de acordo com o número e violência dos crimes cometidos.

A onerosa deslocação a Portugal, com fortes medidas de segurança, com a mobilização de magistrados, polícias e advogados, não altera o destino que o espera – o resto dos dias numa cadeia de alta segurança.

A mais elementar economia de recursos, sempre escassos, levaria o Estado português a prescindir de um julgamento sem utilidade prática nem carácter pedagógico. A lei exige o julgamento do crime cometido na Figueira da Foz, onde o facínora foi preso com uma metralhadora e não hesitaria em matar os polícias que, de forma eficaz, o prenderam, mas, do mesmo modo que os processos são arquivados quando um criminoso morre, também o deviam ser quando a privação da liberdade estivesse assegurada, como está.

Este julgamento da Figueira da Foz, indiscutível à luz da lei vigente, é uma inutilidade que todos pagamos. Até parece que o tribunal não tem mais processos e que sobram os meios que se esbanjam com o delinquente espanhol!

A lei é assim? – Mude-se. Para este arguido não é julgamento, é turismo.

Filhos dilectos do Vaticano (2)

Por

E - Pá

SOBRE O ESTADO, A IGREJA, OS EMÉRITOS E O LAICISMO

Bento XVI, não é um chefe religioso amorfo. Mantêm uma liderança da Igreja em vários campos da sociedade civil – pena de morte, moral sexual, política de família e, no caso presente, na bioética - não abdicando de intervir decisivamente na sua condução.Para a lidar com estas políticas tem, como os toureiros – passe a comparação – os seus peões de brega.

Os Prof.s Daniel Serrão, Walter Osswald e Jorge Biscaia são figuras eminentes do nosso meio científico e eméritos académicos.
Com um “pequeno” problema. Aquilo que, popularmente, se chama um “senão”. Isto é, a ausência de isenção pessoal, dados os seus conflitos de interesses em relação às determinações religiosas oriundas do Vaticano, como bulas, cartas pastorais, encíclicas, etc. que, moralmente, os vinculam.

A introdução da Bioética em Portugal entrou por um caminho cheio de escolhos, na sua esmagadora maioria, colocados pela Igreja.Basta não esquecer toda a polémica – sustentada pelo Vaticano e adoptadas pelas personalidades a condecorar – à volta das células estaminais e dos embriões in vitro, entre outras “condenações”.
Tendo entrado por estes caminhos onde encontrou o Sr. PR relevantes contributos para um reconhecimento público?

Neste campo, porque excluiu o PR o Prof. Alexandre Quintanilha que tem trabalhos relevantes nesta área?

Lembro-me de um escrito em que o Prof. Quintanilha, glosando com a lógica da Igreja quanto a descobertas científicas e suas aplicações, se interrogava: porque não proibir a produção de energia eléctrica em alguns países (poucos) onde ainda se utilizam a “cadeira eléctrica para aplicar a pena de morte? (*)

Mas os tempos são de perseguição e de honrarias aos executores. Na Igreja sempre foi assim. Copérnico (Senhor Presidente estou a falar da mesma pessoa que distorceu o nome…) foi perseguido, tal como Galileu, pelas suas descobertas sobre o sistema solar. A "sua" Ciência chocava com os dogmas da Igreja.

Esta condecoração de Cavaco e Silva dirige-se, subtilmente, a todos os cidadãos que nos últimos tempos têm defendido e agitado questões relativas ao laicismo do Estado.

Visa, em minha opinião, condicionar grandes questões que vão entrar na agenda política e social da próxima legislatura, como p. ex., a eutanásia.

A Igreja nunca deixou de imiscuir-se nos assuntos de Estado e o seu objectivo é o triunfo da Fé sobre a Razão Científica.

Por isso não me espantou - apesar de toda a polémica - que tenha sido vedada a sua entrada e vetada a sua prelecção na Universidade La Sapienza em Roma. Não sendo importante - foi um incidente - a ICAR deveria ter dissecado as razões desta atitude oriunda da mais prestigiada Universidade romana. Algo está a mudar.

Contudo, para os defensores do Estado laico, não é crucial o que aconteceu em 1633, nem em La Sapienza, mas as questões bioéticas que as enormes capacidades científicas que a Biologia Moderna detém no seu seio, está a desenvolver (felizmente!), e nos vai colocar à frente dos olhos, num futuro próximo.

(*) Era a época em que a "cadeira eléctrica" ainda não tinha sido banida, por provocar mortes horrorosas...completamente violadoras da dignidade do condenado.

Caso de polícia

Com ameaças e impropérios. Assim foi recebido esta quarta-feira pelos estivadores do Porto de Lisboa, junto à Câmara Municipal, Sousa Tavares, líder do movimento de cidadãos contra o alargamento do terminal da Doca de Alcântara.

Comentário: Lamento que trabalhadores tentem impedir a liberdade de expressão e o exercício da cidadania. Independentemente do mérito da causa, manifesto a minha solidariedade a Miguel Sousa Tavares e repúdio perante a atitude dos estivadores do porto de Lisboa.

Factos & documentos


Número de escolas: 609

quarta-feira, outubro 29, 2008

Brancura imaculada do BPN

Filhos dilectos do Vaticano

CENSURA, MEDO & COBARDIA...

Por

E - Pá

Sobre a "charia & derivados" não vou adiantar muito, porque para além da crueldade da pena, o problema central entronca-se, primeiro, na "não-separação" entre a religião e o Direito e, consequentemente, a "não-existência" de Estados laicos - os Estados modernos pós-Revolução Francesa.

Já a determinação do Director da BBC - Mark Thompson - que "proibiu qualquer conteúdo irónico sobre muçulmanos", merece-me outros comentários. Mr. Thompson é um católico praticante e não será de estranhar que, qualquer dia, proíba ironias relativa à ICAR, ou a Bento 16.

Há sempre um começo por piedosas razões (agora chamam-se "sensibilidades religiosas"), há precedentes com situações artísticas... Depois, a sua atitude consagra a vitória do Estado securitário, censório (não tenhamos medo das palavras), sobre as liberdades fundamentais.

O medo apossou-se da Europa.

O medo depende das ameaças da sensação de insegurança, dos meios disponíveis para a nossa defesa, etc., mas a cobardia que o Mr. Thompson revela é pior que o medo, sendo subsidiária da falta de carácter.

Dizia Victor Hugo:

"É pela ironia que começa a liberdade"...

Turquia - Parabéns à República e Parabéns a Atatürk


Comemoramos, hoje, o 85.º aniversário da fundação da República da Turquia.
Todos os republicanos e laicos devem saudar esta data com alegria e entusiasmo.
A Turquia do pós-guerra (1914-1918) soube transformar-se de uma grande nação islâmica, com um passado imperial, em um Estado moderno, laico, com separação de poderes e submetido ao princípio do Estado de Direito.
Nem sempre tudo foi, nem é ainda, perfeito e imaculado no plano da democracia e do respeito pelos direitos humanos. Mas a Turquia constituiu e constituirá um dos mais poderosos aliados contra o obscurantismo, a barbárie e o fundamentalismo que ameaçam a paz global.
A Turquia sempre teve um papel importante na História da Europa. E deverá ter, no século XXI, um papel reforçado como actor fundamental da Europa e do Médio Oriente.
Recomendo a leitura dos textos publicados pelo Embaixador da Turquia no jornal Público e no Diário Económico.

terça-feira, outubro 28, 2008

Somália – Adultério e lapidação

Segundo informação da agência Reuters, os islamitas da Somália lapidaram uma mulher acusada de adultério. As testemunhas que assistiram à execução afirmaram tratar-se da primeira execução pública depois de vários anos.

A execução na praça pública foi presenciada por centenas de pessoas enquanto Maomé, algures no Paraíso, se rebolava de gozo e os guardas abriram fogo, quando um familiar corria para a vítima, e abateram um menino.

Por mais respeito que a fé possa merecer e por muito apreço que o multiculturalismo suscite, não pode haver na cultura europeia e na herança recebida do Iluminismo o menor respeito ou a mais leve consideração por tão boçal manifestação de barbárie.

Que teria sucedido à Europa se tivesse parado no tempo das Cruzadas a recordar Urbano II ou se, há um século e meio, Garibaldi não tivesse reduzido Pio IX à insignificância, à criação de dogmas e excomunhões?

A tradição é o mais obsceno argumento que a inteligência e o humanismo, de que nos reclamamos, podem aceitar. Na Índia, de vez em quando, ainda surge a família de um defunto a empurrar a viúva para a pira funerária mas a justiça já consegue parar os trogloditas que ousam assar viva uma pobre mulher.

A Europa, pregando o respeito pelas tradições e violando a soberania dos países, como sucedeu no Iraque, perde a força moral para se opor ao fundamentalismo religioso que grassa no seu próprio espaço.

Há dias, o Director da BBC proibiu qualquer conteúdo irónico sobre muçulmanos e deu um exemplo intolerável de censura e cobardia.

O medo e a pusilanimidade são o húmus onde florescem a intolerância e a fé.

Ponte Europa/Sorumbático

Altino do Tojal ganha processo

(Clique na imagem para aumentar)

Denúncia do autor em Altino do Tojal . Fica o aviso para outras editoras desonestas.

Resultados das eleições para a Federação Distrital de Coimbra do PS

Resultados das eleições para a Federação Distrital de Coimbra:
Lista A - 1424 (41%)
Lista B - 2086 (59%)

A candidatura "Assumir a Diferença" obteve vitória nos seguintes concelhos:
* Arganil;
* Coimbra (incluindo sectoriais);
* Mira;
* Oliveira do Hospital;
* Pampilhosa da Serra;
* Vila Nova de Poiares;

É possível avançar, provisoriamente, que a Lista A elegeu 275 delegados e a lista B 418.

Preocupante


As autoridades norte-americanas anunciaram, esta terça-feira, que desmatelaram um plano para assassinar o candidato democrata à presidência dos EUA, Barack Obama.

Momento de poesia



Dissertação para enganar os espelhos


Já nada me impressiona o olhar
talvez seja do espelho embaciado
onde recolho o rosto todas a manhãs
a casa ficou abandonada
e o sol deixou de a aquecer
e foste tu a trancar as janelas
eu apenas fechei a porta
confunde-me a sombra que ficou à deriva
depois da tua partida
sobram as noites
visitadas pela lua
e os lençóis ainda são os mesmos
há essências que não te devolvo…

Alexandre de Castro

segunda-feira, outubro 27, 2008

Quem nos acode?


Civilização e censura são incompatíveis

Tenho dificuldade em acreditar que a censura e o medo já atingiram o país da Magna Carta, berço da democracia, com provas dadas na defesa da liberdade.

Quando o Director da BBC proíbe qualquer conteúdo irónico sobre muçulmanos não é apenas um acto intolerável de censura que se exerce, é um indício de cobardia que avilta quem decide e envergonha quem se submete.

As susceptibilidades dos crentes, descrentes ou anti-crentes não se podem sobrepor ao direito de expressão, crítica e sátira. Os prosélitos de qualquer credo não desistem de intimidar os que se lhe opõem, recorrendo ao terrorismo, se puderem. E há quem veja na capitulação perante a demência fanática o caminho da paz.

A Europa é hoje um espaço urbano graças à luta contra o pensamento único, o carácter divino do poder e o clericalismo. A cobardia de uns e a cumplicidade de muitos conduzem a um caminho de difícil retorno.

A BBC foi um santuário da liberdade. A imagem de confiança e rigor jornalísticos fica seriamente afectada. Não se admite que capitule perante o medo do fascismo islâmico. É a civilização que está em causa. É a Europa que exige coragem.

HUMOR

O presidente do Governo Regional da Madeira garantiu, esta segunda-feira, que o PSD-M nunca foi «um elemento perturbador» para qualquer liderança nacional do partido, escreve a Lusa.

Factos & documentos

Desta vez tem razão


O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, vetou hoje o Estatuto Político-Administrativo dos Açores, argumentando que o diploma possui duas normas que colocam «em sério risco os equilíbrios político-institucionais».

Diário Digital / Lusa

Comentário: Alguém tem de parar a jardinização de Carlos César.

domingo, outubro 26, 2008

Peregrinações militares a Lourdes. Opinião de um leitor

Por

E - Pá

NOVAS TENÇAS?

Essa história das peregrinações oficiais de militares a Lourdes em representação de um Estado laico (que contra-senso!) terem começado em 1977, não serve nem como justificação, nem como desculpa ou remissão da grave violação dos deveres de Estado.

O PS governa com maioria absoluta, há pelo menos 3 anos.

O PS, segundo me parece continua a reger-se pela ética republicana. Teve tempo de sobra de acabar com estas excrescências, cuja origem e motivação seria interessante averiguar.

As tenças acabaram há séculos…O Estado – não pode fazer-se representar em qualquer cerimónia religiosa – seja em Lourdes, em Fátima, Jerusalém, Istambul, Lhassa, Medina ou Meca…É representado pelo português, maior de 35 anos, eleito por votação directa e com residência oficial em Belém ( não na Palestina, mas junto ao Tejo e ao Centro Cultural), nas cerimónias previstas pela Lei e pelo protocolo de Estado.Esse português pode delegar a representação de acordo com a Constituição.Mais nada.

O Prof. Nuno Severiano Teixeira tem a soberana oportunidade e o estrito DEVER de acabar com estas derivas religiosas, ofensivas à laicidade do Estado. Tanto mais fácil é a tarefa quanto parece ser verdade que a ideia original não lhe pertence, a Lei serve-lhe de suporte e a Ética republicana de escudo (já que estamos a falar de questões militares).

Surpreendeu-me a arrogância e tom assertivo do gabinete do ministro ao afirmar que a peregrinação é legal, sem direito a qualquer outra explicação. É legal e ponto final.

Saiba V. Senhoria – chefe de gabinete, consultor, assessor, ou o que seja - que para os cidadãos que vivem neste Estado laico é procedimento indecente, indecoroso, obsceno, inoportuno e de uma total irreverência em relação aos ateus, aos agnósticos e aos praticantes de outras religiões que não a católica. E mais não digo por me parecer redundante.

Já acabamos com tradições mais antigas e a honra não nos caiu na lama.

INACEITÁVEL

sábado, outubro 25, 2008

Associação Ateísta Portuguesa


Lisboa, 24 Out (Lusa) - A Associação Ateísta Portuguesa recorreu na quinta-feira ao primeiro-ministro para obter esclarecimentos sobre a participação de militares portugueses numa "peregrinação militar internacional" a Lourdes, após não os ter obtido, desde Junho, do ministro da Defesa Nacional.
5:03 Sexta-feira, 24 de Out de 2008

Lisboa, 24 Out (Lusa) - A Associação Ateísta Portuguesa recorreu na quinta-feira ao primeiro-ministro para obter esclarecimentos sobre a participação de militares portugueses numa "peregrinação militar internacional" a Lourdes, após não os ter obtido, desde Junho, do ministro da Defesa Nacional.

Na carta enviada a José Sócrates, a que a Agência Lusa teve acesso, o presidente da Associação Ateísta Portuguesa (AAP), Carlos Esperança, recorda os pedidos de esclarecimento enviados a 2 de Junho ao ministro da Defesa Nacional, Nuno Severiano Teixeira, e que por este nunca terão sido prestados.

Com base numa notícia difundida pela agência Ecclesia, a AAP ficou a saber que "Portugal levou 700 peregrinos [militares] ao Santuário de Lourdes (França) para participarem numa Peregrinação Militar Internacional".

No entender da AAP, "num Estado laico, as Forças Armadas não devem apoiar oficialmente a devoção a uma religião".

Acresce que, para a AAP, "o facto de um cardeal austríaco ter presidido à peregrinação e dado instruções aos militares portugueses configura uma grave interferência na soberania de um país laico e uma usurpação de funções que cabem ao Ministério da Defesa Nacional ou, por delegação, aos chefes dos estados-maiores".

Pergunta assim a AAP se "os militares peregrinos viajaram a título particular ou oficial" e se "usaram as férias normais ou tiveram uma semana suplementar para este propósito".

Quer ainda saber a AAP se "as Forças Armadas colaboraram na despesa da expedição eucarística" e "no caso de ter havido custo para o Erário Público, qual a disposição legal aplicada e o cabimento orçamental previsto".

Finalmente, Carlos Esperança interroga, em nome da AAP: "Por se tratar de uma missão militar no estrangeiro, foi autorizada pelo Comandante Supremo das Forças Armadas, o senhor Presidente da República?"

OM.

Lusa/fim

sexta-feira, outubro 24, 2008

Vídeo da discórdia



A sátira de os "Gato Fedorento", "Louvado sejas, ó Magalhães" bateu o recorde de reclamações na Reguladora. Nem todos os católicos acharam graça à reprodução da homília com um texto a bajular o computador infantil. Veja o vídeo da polémica, aqui, neste post.

Pena de morte - Solução bárbara e ineficaz

(Goya)
Jacarta – Os três islamitas que foram condenados à morte pelos atentados cometidos em Bali em 2002, e que causaram 202 mortos, vão ser fuzilados no início do mês de Novembro.

Referência mundial do neoliberalismo faz acto de contrição

Alan Greenspan


Foram precisos mais de 40 anos para o antigo presidente da Reserva Federal reconhecer falhas na sua teoria de mercado livre. Foi durante uma audiência no Congresso que Greenspan admitiu que os mercado de derivados deviam ser regulados.

Comentário: Os órfãos estão inconsoláveis e todos nos sentimos receosos.

Prémio justo para dissidente chinês

Hu Jia (Foto AP)

Defensor dos doentes de Sida, do ambiente e da liberdade de expressão o chinês Hu Jia foi recompensado com o Prémio Sakarov 2008.

Terminou a litigância

Comentário: mais importante do que a derrota política de Carlos Encarnação é a vitória de uma solução com imensas vantagens e modestos inconvenientes.

quinta-feira, outubro 23, 2008

Áustria - Esqueletos da extrema-direita

Stefan Petzner, nomeado líder da extrema-direita na Áustria após a morte de Joerg Haider, afirmou num programa de rádio que mantinha uma relação amorosa com o falecido líder, um opositor extremista dos direitos LGBT. O partido tentou impedir a emissão do programa na rádio pública, mas sem sucesso. Em resultado da confissão, Petzner foi demitido.

Haider era gay, confessa ex-amante.

Comentário: Que levará os gays clandestinos à homofobia pública?

C O N V I T E

A fé e a tolerância

Jorge Sampaio, defendeu hoje a necessidade de serem criadas novas políticas para responder ao problema da integração das minorias muçulmanas na Europa.

Partilho com Jorge Sampaio ideais políticos, descrença religiosa e tolerância. Admiro-o muito e continua a ser, para mim, uma referência ética e política. Penso que é a pessoa certa como Alto Representante das Nações Unidas para a Aliança das Civilizações.

Nem posso dizer que estou em desacordo com a necessidade de integração das minorias, nomeadamente as de origem muçulmana, embora tenha algumas objecções contra nazis, pedófilos, proxenetas, traficantes e terroristas, minorias cuja integração se torna difícil sem renunciarem aos hábitos que contesto.

Não creio que o Islão seja uma civilização, como não o são o cristianismo e o judaísmo, por exemplo. São apenas religiões que influenciaram as civilizações e cultos, com forte pendor prosélito e vocação totalitária. Há, de facto, uma civilização árabe cujo declínio e fracasso se deve á deriva belicista e demente do Islão. O que faz uma civilização não é a fé que pratica, é a distância que mantém em relação às práticas religiosas individuais.

Não sei com que legitimidade se pode, em nome da tolerância, transigir com quem não respeita, onde é poder, as culturas e os credos alheios, no respeito pelo pluralismo que é condição indispensável da democracia. A freira assassinada, há dias, por fanatismo, e os cristãos erradicados no norte do Iraque merecem-me a solidariedade que não concedo aos cinco pilares do Islão.

A inclusão cidadã pode levar, e leva, à perda de identidade tribal, mas deve ser tentada. Integrar cidadãos é um dever, contrário à condescendência com práticas que humilham a mulher, torturam, impõem casamentos e fazem recomendações corânicas que, sendo do domínio da fé, são sobretudo casos de polícia.

Se não fosse o Iluminismo e a Revolução Francesa ainda hoje teríamos, na Europa, as monarquias absolutas e a ausência de liberdades. A laicidade do Estado tornou possível o pluralismo mas temo que a integração do proselitismo religioso e do Corão tornem a democracia inviável. Não estou disponível para renunciar ao pluralismo e confiar às religiões o que cabe ao sufrágio, secreto e universal.

As religiões que não se conformarem com a abolição da pena de morte, com a igualdade entre os sexos e a renúncia à xenofobia, ao racismo, ao ódio sectário, à homofobia e ao espírito misógino não podem andar à solta.

Em nome da civilização devem proteger-se os cidadãos dos demónios das suas crenças. As homilias que incitam ao ódio, à violência e ao crime caem sob a alçada da lei e os pregadores devem ser demandados ao abrigo do Código Penal.

Faltam Bush, Barroso e Blair

Querid@s compañer@s,

os escribimos nuevamente para recordaros que este sábado 25 de octubre la PLATAFORMA JUICIO A AZNAR reanuda sus tareas. Muchos nos habeis escrito confirmando vuestra asistencia y otros lamentando no poder asistir. Este correo es sólo para confirmaros que la asamblea del sábado será a las 11 de la mañana en Madrid, en el Paseo 15 de Mayo, nº19 (Metro Marqués de Vadillo)

Os anunciamos también que a partir de ese día ya estarán disponibles los DVDs de las Jornadas de Reflexión y Debate celebradas el pasado mes de febrero.
Mientras tanto, podeis participar en los Foros de la Plataforma Juicio a Aznar (en el anterior correo no llegó bien el enlace)

FOROS DE LA PLATAFORMA JUICIO A AZNAR

http://www.larepublica.es/foro/index.php?board=21.0
Salud y adelante!
Plataforma Juicio a Aznar
juicioaaznar.net <http://juicioaaznar.net/>

Isto é liberdade religiosa?

CIDADE DO VATICANO - O presidente do Pontifício Conselho para a Cultura, monsenhor Gianfranco Ravasi, propôs nesta quarta-feira que as escolas italianas tenham uma hora de leitura da Bíblia por dia, para que os alunos “conheçam o grande código” da cultura católica e “entendam a identidade” da religião.

quarta-feira, outubro 22, 2008

Foto e texto bem humorado de um leitor

Quando menos contava, a crise do subprime veio bater-me à porta. Já entreguei a casa ao banco. Mudei-me transitoriamente para este sítio. Peço a vossa compreensão para o momento difícil que atravesso, nomeadamente evitando levar ostensivamente as mãos ao nariz. Presumo ter já amanhã fechadas as negociações com um vizinho rico para um retemperador banho mensal.

Emocionado, digo-vos OBRIGADO.

a) DMA

EUA - A crise deve ser pior do que se sabe

Washington, 21 out (EFE).- O candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, tem a maior vantagem até o momento em relação ao republicano John McCain, segundo o Centro Pew, que coloca o senador por Illinois 14 pontos à frente.

A sondagem divulgada hoje dá a Obama 52% de apoio popular, contra 38% de McCain.
.
Comentário: 14% de vantagem não é uma vitória, é o desespero à espera de D. sebastião.

A crise financeira e a recessão

Com a mesma facilidade com que os excelsos peritos mundiais lançaram um terramoto nos mercados financeiros garantem agora os especialistas que a tempestade já passou.

Compreende-se a piedosa intenção de tranquilizar os cidadãos que sofrem a borrasca e esperam sobreviver à intempérie, mas os tempos são de instabilidade e o futuro incerto.

Vale a pena recordar, perante o caos assustador dos mercados financeiros, a reacção dos principais dirigentes mundiais. Bush ficou em estado de choque, tal como no longínquo 11 de Setembro, até que o seu secretário de Estado, co-responsável pela tragédia, propôs o plano de 700 mil milhões de dólares que chumbou no primeiro exame, passou com deficiência no recurso e não resolveu o problema. Era um xarope amargo, criado por Henry Paulson e vendido por Bush, responsáveis pela doença, a pagar em prestações suaves pelas próximas gerações de contribuintes.

Na Europa, enquanto os cúmplices da tragédia, recolhiam magníficas recompensas e as vítimas começavam a perder os empregos e as poupanças, os principais dirigentes políticos pareciam baratas tontas a hesitarem entre o salve-se quem puder e a resposta concertada dos Estados.

Foi perante a ansiedade e desorientação da Europa que apareceu um plano coerente e exequível, da autoria do melhor ministro das Finanças inglesas das últimas décadas, Gordon Brown, que, com a intuição da senhora Angela Merkel, foi acolhido pela União Europeia e aproveitado pelos EUA.

Nicolas Sarkozy e Durão Barroso, oportunistas, quiseram pôr-se nos bicos dos pés e apanhar o comboio do mérito, embora de futuro incerto. Rumaram aos EUA para andarem de jipe, guiados por Bush. Pareciam dois agentes funerários em conversações com um coveiro, à espera do despedimento. Foi o último acto de vassalagem que prestaram ao xerife do Texas.

Ponte Europa/SORUMBÁTICO

PORTO - CONVITE

Valorizar a história das lutas pela liberdade e preservar a memória da resistência à opressão do Estado Novo são finalidades da associação/movimento "Não Apaguem a Memória!", cujo núcleo do Porto promove, no próximo sábado, as seguintes actividades:

Sábado, 25 de Outubro de 2008

Museu Militar do Porto (edifício da delegação do Porto da PVDE/PIDE/DGS, sito na esquina da Rua do Heroísmo com o Largo de Soares dos Reis)

15.30 h - Conferência pelo Prof. Doutor Manuel Loff: "O Tarrafal e a Opressão Salazarista"

16.30 h - Debate
18.00 h - Encerramento da exposição de fotografias de Orlando Falcão "Tarrafal, Lugar de Memória", que está a decorrer no mesmo local desde 24 de Setembro.

O núcleo do Porto da Associação "Não Apaguem Memória!"
http://maismemoria.org/ maismemoriaporto@gmail.com

terça-feira, outubro 21, 2008

Espanha – Os esqueletos levantam-se das valas

Direita insiste em esconder a verdade

Mal o juiz Baltasar Garzón se declarou competente para julgar os crimes franquistas de 1936/75, logo os procuradores apresentaram «recurso contra a decisão de investigar crimes do passado» – como informa hoje o DN –, sabendo-se que difícil é investigar os crimes do futuro, embora a «guerra preventiva», inventada por Bush, seja um contributo para a punição de crimes por cometer.

Há jurisprudência bastante para que os crimes contra a humanidade não prescrevam e bastaria o facto de continuarem mortos os criminosos para que a direita espanhola e a Conferência Episcopal não manifestassem tão violenta oposição aos crimes que dizem prescritos. Podiam salvar a imagem, se a sua natureza fosse diferente e tivessem limpa a consciência.

Entre desaparecidos e assassinados chegou quase ao milhão as vítimas do franquismo. As primeiras valas abertas por ordem de Baltasar Garzón trazem à superfície as provas de uma metódica, sinistra e vingativa campanha de ódio executada ao longo dos anos.

Curiosamente, a direita e o episcopado conviveram bem com a orgia de mártires que a luta política fez canonizar, com a memória – infelizmente verdadeira – das suas vítimas, mas não suporta que se repare a memória das vítimas do lado vencido.

Na ânsia de canonizar os apoiantes de Franco, uma espécie de legitimação póstuma do franquismo, até um padre torturador entrou no rol dos que ascenderam aos altares, tão difícil foi a tarefa de averiguar o currículo de tanto bem-aventurado e tamanha era a pressa.

Este maniqueísmo faz parte da natureza dos que ontem abençoaram a violência e hoje querem sepultar a memória. O mundo tem o direito de saber que, bem comungado e benzido, um feroz ditador exterminou centenas de milhar de compatriotas com a cumplicidade da Igreja. Foi «Francisco Franco, Caudillo de España por la Gracia de Dios».

Nódoa que envergonha

É cada vez maior o fosso entre ricos e pobres em Portugal. Nos últimos anos, agravaram-se as desigualdades na distribuição de rendimentos. A revelação vem expressa no último relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).

Alma atormentada de um crente

Está promulgada a nova Lei do Divórcio. O presidente da República rendeu-se, mas deixou alertas, principalmente para o facto desta lei introduzir, na sua opinião, “profunda injustiça”, sobretudo para os mais vulneráveis.

Comentário: Parece pesar mais a fé do que a justiça nos comentários, dispensáveis, após a monumental derrota política.

PSD no seu melhor

A presidente do PSD garante que a discussão em torno da candidatura de Santana Lopes à Câmara Municipal de Lisboa num momento em que a prioridade do partido é o debate do Orçamento de Estado é um facto lamentável mas que representa “o PSD no seu melhor”.

Momento de poesia

Cachão da Valeira

À Teresa Firmino, por ocasião
da sua primeira visita ao
vale do Douro


Foi no meio das águas turvas e barrentas
do Douro
que os meus olhos inocentes
da infância
viram o clarão da bíblica visão
da criação do Mundo, ali,
no grande cachão,
onde os rabelos se despenhavam
largando a grossa carga e afogando gentes...

Rio maduro e violento
rasgando xistos, cavando o vale,
ora se finando na secura dos estios
ora galgando as margens, alagando quintas,
nos invernos duros das cheias
com as águas endoidecidas à deriva
repetindo o Dilúvio Universal...

Foi dali, do cachão da Valeira,
que olhei as imensas penedias
erguidas na vertical do meu espanto
e dominadas pelo vôo da águia real...

A terra fervia em lume brando
no seu telúrico silêncio
cortado pelo piar das aves...

Pensei por um momento
que foi dali, daquele mítico lugar,
que Deus criou o Homem,
depois de ter criado, também dali,
o Céu, a Terra e Mar...

Alexandre de Castro - Agosto de 2004

segunda-feira, outubro 20, 2008

Medo dos parasitas de Deus


A Sony adiou o lançamento mundial do jogo de vídeo para a PlayStation 3 “Little Big Planetdepois da denúncia feita num fórum da internet de que uma das músicas da banda sonora do jogo continha duas frases do Corão, o livro sagrado dos muçulmanos. O lançamento mundial era para ter acontecido na sexta-feira.

Que admiração!

Comentário: Antes de Pio XII numerosos Papas condenaram judeus às chamas do Santo Ofício. O anti-semitismo é uma tradição cristã apoiada no Novo Testamento.

Coreia do Norte



Bernardino Soares, líder parlamentar, considera a obscura ditadura hereditária uma democracia, Jerónimo de Soura, secretário-geral, pensa que é um país socialista e Octávio Teixeira, ex-líder parlamentar, afirma que não é uma coisa nem outra.

Em que ficamos?

O cardeal e a democracia

domingo, outubro 19, 2008

Açores - Maioria absoluta do PS

A vitória em todas as ilhas, pela primeira vez na história, e a repetição da maioria absoluta são motivo de satisfação para o PS, Carlos César e José Sócrates.

O aumento do número de partidos com representação parlamentar reforça a democracia.

O facto de o PSD afirmar na campanha eleitoral que cada voto em Carlos César seria um voto em Sócrates e o empenhamento pessoal de todos os líderes partidários conferiram a estas eleições uma leitura nacional.

Debandada

Washington, 19 out (EFE).- Colin Powell, ex-secretário de Estado americano durante o primeiro mandato do presidente George W. Bush, anunciou hoje seu apoio ao candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, a quem descreveu como uma "figura transformadora".

Intriga contra o Presidente da República

O Presidente da República deverá anunciar para a semana que vai promulgar a Lei do Divórcio, mas, segundo o “Correio da Manhã”, “não deixará de esclarecer os portugueses de que a lei é profundamente injusta para as mulheres de mais fracos recursos financeiros e desprotege os filhos do casal”.

Comentário: O Presidente da República respeita os outros órgãos da soberania e não confunde os deveres de Estado com as suas devoções particulares. É presidente de todos os portugueses e não o sacristão da Sé de Lisboa.

Idiossincrasia

Há quem passe a vida no banco de trás, de costas, sempre virado para a direita, com o pé no estribo, pronto a fugir do perigo ou da vergonha: MRPP, Governo, Açores, caos financeiro ou amigos comprometedores.

Fim das tréguas entre o Vaticano e Meca

«Preparando o confronto final entre o Mundo Cristão e o Radicalismo Islâmico» *

A comunicação social tem ignorado as recentes mudanças ocorridas na Igreja católica, relativas ao Islão. Deu mais atenção ao alarido da rua islâmica relativo ao discurso do Papa Bento XVI na Universidade de Ratisbona do que ao ódio surdo que cresce nas sacristias e extravasa nos paços episcopais, ódio que é retribuído de forma mais ruidosa e primária pelos islamitas.

O ecumenismo é o ardil que as religiões utilizam para camuflar o proselitismo. Convém lembrar o ataque do cardeal Ratzinger contra o diálogo religioso através da «Declaração da Congregação para a Doutrina da Fé Dominus Iesus», do ano 2000. Nesse documento, Ratzinger diz que a Igreja católica é “a Igreja verdadeira” e que as “Igrejas particulares” (ortodoxas) e as comunidades eclesiais (protestantes e anglicanas) “não são Igrejas no sentido próprio”, num tom que igualmente exclui as religiões não cristãs. A reiterada denúncia da «ditadura do relativismo» é redundante.

É neste contexto que um grupo de bispos participantes no Sínodo sobre a Palavra de Deus, no Vaticano, acusaram o Islão de não considerar os direitos da mulher, no casamento e na família, de acordo com a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

O catolicismo é particularmente misógino, quer nos textos bíblicos, quer na doutrina, considera a mulher portadora de pecado original e não ratificou a Declaração Universal dos Direitos do Homem. Espanta, pois, uma acusação tão desabrida feita por quem não tem particulares pergaminhos na defesa dos direitos da mulher e da igualdade de género.

Mas a verdade é que os bispos têm a razão que pode faltar à sua Igreja mas sobra na impiedade da fracassada civilização árabe e nas atitudes tribais da religião islâmica.

Não tenhamos ilusões a respeito do confronto religioso que se desenha no seio da Igreja católica, no plano intelectual, e que aguarda a oportunidade de arrastar Estados.

A gradual secularização das sociedades democráticas e consequente perda de influência religiosa substituirá a propalada guerra de civilizações, eufemismo com que se mascara o desejo hegemónico das religiões, pela luta entre a civilização e a barbárie, o laicismo e as teocracias, o Estado de direito e o direito canónico.

O pior que pode acontecer à civilização e aos Estados democráticos é deixarem associar a defesa das liberdades a uma qualquer religião e permitirem que os direitos individuais e a modernidade fiquem reféns de um credo.

* Subtítulo de «O Mundo Secreto do Opus Dei» de Robert Hutchison, 1997

Apostila - A luta referida no penúltimo § não se deseja armada. Nem guerra preventiva. Alude-se à luta de ideias.

sábado, outubro 18, 2008

Espanha - Terror da direita aos esqueletos

O Partido Popular, da oposição, abriu guerra ao mais mediático magistrado de Espanha, Baltasar Garzón. Isto devido à decisão do juiz de investigar os crimes cometidos pelos franquistas durante a guerra civil espanhola, que se prolongou de 1936 a 1939.

Quem defende a abolição de Jardim?

Por estar sempre a produzir jurisprudência restritiva à Madeira

Jardim defende abolição do Tribunal Constitucional

Até os bispos notam

VATICANO - Um grupo de bispos participantes do Sínodo sobre a Palavra de Deus, que está a ter lugar no Vaticano, acusaram o Islão de não considerar os direitos da mulher, no casamento e na família, de acordo com a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Cientistas respondem ao moralista

ROMA (AFP) — Cientistas italianos responderam nesta sexta-feira ao Papa Bento XVI, que, em um discurso, criticou a “arrogância da pesquisa científica e a busca do dinheiro fácil”.

sexta-feira, outubro 17, 2008

Algum consolo


O director para o Protecção Social e Integração da Comissão Europeia, Jérôme Vignon, notou "impaciência" na 7.ª Mesa-Redonda sobre a Pobreza e a Exclusão Social, que nos últimos dois dias decorreu em Marselha. "Os resultados até agora não são brilhantes." A taxa de pobreza da União Europeia (UE) está nos 16 por cento desde 2000.
.
Em Portugal caiu, e mais do que em qualquer outro país.

À procura da solução

Metáfora auspiciosa

Fonte: DN, hoje.

Documentário surpreende os factos


Documentário sobre João Paulo II surpreende Igreja portuguesa

O ataque falhado do desvairado padre católico, Fernandez Khron, ao Papa polaco, foi o momento de alucinação mística de um sacerdote embrutecido que julgou João Paulo II um progressista capaz de modificar a Igreja católica.

Nem o Papa era liberal nem o padre equilibrado. O primeiro era crente e supersticioso e o segundo um indivíduo perturbado pelas leituras pias. Quando quis apunhalar o Papa, a menos que fosse só um gesto para promover a Cova da Iria na comunicação social, logo os guarda-costas o dominaram.

Podia ter servido o acto para justificar o 3.º segredo de Fátima mas, perante o fracasso, JP2 guardou-o para uma bala que a Virgem acompanhou à mão na viagem de circum-navegação à volta das suas vísceras, por baixo da batina que ofereceu ao santuário.

Em 12 de Maio de 1982 o padre Khron não conseguiu atingir o Papa, embora tivesse ficado ao alcance de uma bênção. A TV mostrou claramente os gestos e os figurantes.

O documentário cinematográfico «Testemunho», com base nas memórias publicadas no ano passado por Stalislaw Dziwisz, arcebispo de Cracóvia, é um piedoso embuste para enaltecer o mártir e comover os crentes.

A Igreja católica fez de JP2 uma estrela pop e quer fazer do Papa polaco um mártir para relançar a fé e comover os crentes. O cardeal que inventou, agora, os ferimentos não se dá conta de que teria cometido um crime ao ocultar a agressão, se tivesse existido, crime bem maior do que a piedosa mentira com que pretende provocar o culto do Papa polaco.

Os desígnios do cardeal Stalislaw Dziwisz são insondáveis.

O Presidente da República cala-se?

Os presidentes do Governo Regional e da Assembleia Legislativa da Madeira acusaram, esta quinta-feira, o Tribunal Constitucional (TC) de «estar sempre a produzir jurisprudência restritiva em relação à Região», escreve a Lusa.

quinta-feira, outubro 16, 2008

Espaço dos leitores

(Fotógrafo desconhecido)

A fé é que nos salva, mas a polícia é mais eficaz

MADRID (AFP) — Oito pessoas foram detidas nesta quinta-feira durante uma operação que desarticulou "uma célula vinculada ao terrorismo islâmico que prestava apoio" a membros da Al-Qaeda, informou o ministério do Interior.

Portugal está farto dele

Quo vadis, PSD?

A candidatura de Pedro Santana Lopes à Câmara Municipal de Lisboa foi aprovada pela distrital lisboeta do PSD com 22 votos a favor e dois contra. Entretanto, a TSF soube que o nome de Santana Lopes está a levantar reservas na Comissão Política do PSD.

Timor - Protectorado do Vaticano

O bispo de Baucau, Basílio do Nascimento, costuma dizer aos colegas europeus em Timor-Leste que “os princípios de Descartes não se aplicam aqui”. (LUSA)

Vaticano - Transparência e respeito pela informação

O papa João Paulo II, morto em 2005, ficou ferido em um ataque realizado por um padre armado com uma faca em 1982, um anos depois de o pontífice ter sido alvejado com tiros na praça São Pedro, disse um assessor dele em um documentário.

O ferimento a faca, no entanto, foi mantido em segredo. (REUTERS)

quarta-feira, outubro 15, 2008

Morte pouco gloriosa de um nazi

O líder do partido populista austríaco de extrema-direita BZOe e governador da Caríntia, Joerg Haider, conduzia com uma taxa de alcoolemia de 1,8 gramas de álcool por litro de sangue quando no último sábado morreu num acidente de viação com o seu carro.Haider, 58 anos, morreu na madrugada do passado dia 11 quando o carro que conduzia a 142 km/h, cerca de duas vezes o limite máximo, se despistou numa estrada no sul da Caríntia.

Relatório da OMS

No espaço de 38 anos, a mortalidade infantil (até cinco anos) em Portugal caiu 86% e a de crianças diminuiu 89%. Indicadores como estes colocaram Portugal na lista dos cinco países do mundo que mais reduziram a mortalidade, de acordo com um relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS), que foi divulgado ontem.

Igual êxito se verificou na mortalidade perinatal.

Nos últimos 30 anos a esperança de vida dos portugueses aumentou 9,2 anos.

Somos, definitivamente uma democracia de sucesso.

Há diferenças...

Lapso enviado por DMA

O princípio do fim de Manuela Ferreira Leite

A disponibilidade de Paula Teixeira da Cruz para concorrer em Lisboa nas Autárquicas de 2009 lançou a indecisão na comissão política nacional do PSD. Com mais ou menos consenso, tudo indicava que a equipa de Manuela Ferreira Leite estava a postos para dar a conhecer uma decisão formal em relação à candidatura de Pedro Santana Lopes ao município lisboeta, mas o facto de a presidente da Assembleia Municipal de Lisboa estar a ponderar entrar na corrida levou ao adiamento de uma tomada de posição.

Zangaram-se as comadres

Comentário: O PSD só é notícia por más razões.