domingo, março 27, 2011

No reino dos habilidosos…

O PSD votou contra o PEC IV, apresentado pelo Governo no Parlamento, por considerar que não ia "suficientemente longe" para resolver o problema da dívida pública, afirmou este sábado Pedro Passos Coelho, em entrevista à agência Reuters. link Bem! Tornou-se absolutamente alucinante a cadência de contradições e de dislates que um putativo candidato a PM é capaz de proferir em tão curto espaço de tempo. Por outro lado, a irresponsabilidade [ou a desfaçatez] exibida é tal que admite, na mesma entrevista, perante uma situação de emergência, José Sócrates poderá pedir ajuda externa ["empréstimo temporário?"]… link

Isto é, pretende continuar a viver na sua torre de marfim, enunciar bitates avulsos, não assumir qualquer tipo de ónus e cozer o PS em “lume brando”… Provavelmente, Pedro Passos Coelho estará convencido que disputará as próximas eleições, sem opositores. Que a chegada ao poder será uma alegre passeata pelas avenidas do improviso, do facilitismo, do diletantismo e do serôdio triunfalismo. O variegado emaranhado de propostas, compromissos e de “soluções” apresentadas, pelo PSD, durante a [ainda] curta vigência desta crise política, desde o aumento do IVA, à aceleração das privatizações [CGD, TAP e CP…], até à espantosa descoberta da “mansidão” do PEC IV, não auguram nada de bom para o País.