Mensagens

A mostrar mensagens de 2024

Rui Moreira e o Parlamento Europeu (PE)

Rui Moreira, um monárquico do CDS cuja candidatura foi lançada por Rui Rio para a presidência da Câmara do Porto, começou cedo a vida política no MDLP até trair o seu apoiante e se aproximar do PSD para prolongar a vida política. Esquecido o passado e resolvido com a sua absolvição o caso da Quinta do Selminho, tinha as coisas bem encaminhadas para ser o cabeça de lista da AD nas eleições para o Parlamento Europeu. Marques Mendes, alter ego do PR, anunciou-o como cabeça de lista da AD, os media confirmaram e o PR em jeito de mostrar que depois de dissolver a AR manda em tudo, telefonou-lhe a confirmar a boa nova: «a semana ia ser muito importante para ele». Quando Montenegro lhe anunciou que ia atrás do comentador Bugalho, enxofrou-se o edil e recusou com estrondo. Montenegro negou, mas Rui Moreira tem o hábito de ouvir os telefonemas do PM e do PR em voz alta, no automóvel, com testemunhas mais confiáveis do que Montenegro e Marcelo. O governo de Marcelo não cai às mãos das

AD / ADN – Eleições europeias

Imagem
A batalha entre a AD, com o Bugalho, e o ADN com a Joana Amaral Dias vai ser uma luta renhida. Pode contribuir ainda mais para o descrédito da política, mas vai ser muito divertido o duelo de dois partidos incapazes com dois candidatos capazes de tudo.

AD - ELEIÇÕES EUROPEIAS

Imagem
Depois da vitória do Ministério Público nas legislativas só faltava a vitória da SIC/Universidade Católica nas europeias. Que mais nos irá acontecer?

AD – ELEIÇÕES EUROPEIAS

Imagem
A  AD escondeu o Gonçalo para mostrar o Bugalho.  Depois do fracasso de Rui Moreira, a segunda escolha foi o primeiro desastre do PSD.  O CDS, parasita do PSD, impôs a vontade ao hospedeiro. Estas eleições vão ser mais divertidas do que as legislativas.

O conclave do CDS em Viseu

O CDS é um moribundo ligado à máquina do PSD à espera de inumação, um corpo putrefacto a que Nuno Melo inventou o europeísmo cuja ausência o excluiu do PPE e que se agarra ao general Eanes contra quem o CDS votou na figura patibular de Soares Carneiro. Ressuscitou com a transfusão de sangue do PSD e respira anidrido carbónico da mentira até que o PSD lhe desligue a máquina. A invocação de Freitas do Amaral esquece que foi afastado por ser democrata e o regresso de Manuel Monteiro lembra quem saiu do CDS e falhou na criação de um novo partido no espaço onde André Ventura teve êxito.

25 de Abril - Cinquenta anos depois

 Há quem, sendo quem é, esqueça a quem o deve. Há pessoas que abril fez gente e, se pudessem, retiravam o dia 25 ao mês e suprimiam abril do calendário. Há quem exonere da lapela o cravo e da memória a Revolução, parasitas de alheia coragem, a comer frutos da árvore que não plantaram e a repoltrearem-se à farta na mesa que não puseram. Há quem cavalgue a onda da democracia com ar de enfado e sinta azia com as madrugadas. São os chulos da democracia, proxenetas da liberdade. Há quem esqueça que há 34 anos alguém arriscou a vida para nos devolver a honra, pegou em armas para nos dar a paz, derrubou a ditadura para trazer a democracia. Há quem despreze Salgueiro Maia, Melo Antunes, Vasco Gonçalves, Carlos Fabião e outros mais, quem se esqueça de recolher uma pétala vermelha de um cravo de abril em memória dos que partiram. Não sei se a Pátria recordará, como deve, os que fizeram abril. Mas certamente há de esquecer os parasitas que medram à sua custa e olham o umbigo do seu narc

Marcelo - O PR

 #montenegronaomarcelonunca O parágrafo foi a bala e a PGR a arma com que Marcelo fez tiro à democracia. Não se vai desfazer da arma.

Conversa com os leitores

Imagem
 
  Cravos Vermelhos e lágrimas Texto de Onofre Varela Vivemos o cinquent enário da Revolução de Abril. Cinquenta anos já são mais oito do que os 42 em que fomos governados pela ditadura de Oliveira Salazar continuada por Marcelo Caetano (1932-1974). Há quem não se lembre do que era Portugal antes do 25 de Abril de 1974 simplesmente porque era criança ou nem sequer tinha nascido. Ler nos livros escolares a narrativa dos factos políticos, sociais e económicos que fazem a nossa História, não é o mesmo que vivê-los. Mas também há “quem não se lembre” porque não quer lembrar, ou deseja esquecer, numa atitude política, no mínimo, desonesta, por não considerar a História, nem a comunidade no seu todo; vendo, apenas, os seus interesses políticos, económicos ou sociais particulares e egoístas, desconsiderando a existência dos seus semelhantes . Se tal atitude não for desonesta… então poderá ser desatenção ou ignorância. N ão sei qual será o melhor epíteto para designar a qualidade de
Imagem
                                                                                                                                 Cartune de Varella

JUSTIÇA

Imagem
 Se o PR e a PGR se pautassem pelos padrões éticos de António Costa ter-se-iam demitido e o País ficaria entregue a Aguiar Branco e Montenegro a quem confiaram o «início do novo ciclo» decidido por Marcelo. Mas, incapazes de um ato de contrição, anda aí o primeiro a anunciar um cargo na Europa para a vítima de ambos e a segunda a exibir a majestade do corpo em cerimónias oficiais.  

Da série - O golpe de Estado continua em curso

Imagem
Marcelo, a PGR e os media demoraram 8 anos a convencer o País de que era melhor substituir António Costa no Governo e o atual Governo demorou 8 dias a convencer o País e os media de que fizeram asneira. Quanto à PGR qual é a palavra dos desembargadores que desconhece na frase lida há minutos na SIC-N?

A confissão de Passos Coelho

A troika não confiava em Portas e exigia cartas assinadas por ele. “Para impedir uma humilhação pública do ministro de Estado e MNE, obriguei o ministro das Finanças a assinar comigo, e com ele”. (Passos Coelho). É surpreendente como se aceitou a afirmação e se viu apenas a falta de carácter de Passos Coelho e não a confissão (ou mentira) de que as instâncias internacionais exigiam como fiador Paulo Portas.

Carlos Moedas (CM) - Subsídios para a biografia do dissimulado edil de Lisboa

Imagem
O homem que não chegou à liderança do PSD a tempo de ser PM, que faz «tudo o que o PR e a Igreja mandarem», usou a popularidade do Papa Francisco para a sua promoção. Já é Cavaleiro da Ordem de São Silvestre, só lhe falta publicar as contas das JMJ com os lucros que anunciou. Moedas foi o comissário europeu de Passos Coelho, o homem que comemorou o 25 de novembro contra o 25 de Abril, na companhia da PGR e outros reacionários, sem os militares que, nessa data, saíram vitoriosos, de Eanes a Vasco Lourenço. CM, obreiro da privatização dos CTT, o que é privado é bom, é o predileto do PR que tece na sombra os golpes reacionários, da Figueira da Foz, com Cavaco a líder do PSD, contra João Salgueiro, em casa de Ricardo Espírito Santo, com Cavaco, de novo, contra Freitas do Amaral, até à desonra com o caso das gémeas e o parágrafo, escrito a quatro pés com a PGR, para levar à demissão do PM António Costa. O homem foi um dia, em modo Ventura, acusado de xenofobia. Ainda oiço o seu grito,
Imagem
                   Cartune de Varella
  VAMOS ENTERRAR DEUS? Por Onofre Varela Não. Não vamos. O meu discurso de ateu não pretende acabar com a ideia de Deus. Não é essa a minha intenção nem tal coisa é possível. São bem profundas as raízes do divino na estrutura da mente e na história das civilizações. O Homem “criou Deus à sua imagem e semelhança” porque precisou dele… e contra tal necessidade não se pode lutar irracionalmente. Mas é sempre possível lançar na mente de quem ainda alimenta a curiosidade, a interrogação sobre o porquê das coisas, incluindo nelas a sua própria fé, não se deixando embebedar pelo “medo do castigo divino”. A cabeça do crente é o verdadeiro “reino de Deus”… fora dela, não há Deus em lado algum, nem há castigos ou prémios divinos. Deus é um conceito civilizacional para ser guardado no baú dos avós como objecto de extrema importância na História do Pensamento… aí o devemos manter com a consciência de ter sido um elemento de peso na nossa evolução e na construção das civilizações, mas hoje não pass

Para memória futura

Imagem
  Montenegro limita-se a usar os truques de Passos Coelho.

Retaliação ao ataque de Israel à embaixada iraniana.

Imagem
Enquanto Marcelo convoca Conselho Superior de Defesa Nacional para terça-feira, a fim de intimidar o Irão, Passos Coelho adia a apresentação do livro em Teerão.

Governo insiste que não mentiu

Imagem
 

Da série: O teste do algodão.

Imagem
Ao contrário do que se diz, ainda bem que era mentira porque o Orçamento resiste bem a uma mentira e seria péssimo que fosse verdadeiro o aventureirismo fiscal anunciado. Só o sábio Cavaco Silva podia imaginar Montenegro «mais bem preparado do que eu estava», para ser primeiro-ministro. Só o ódio à esquerda e a modéstia podiam levar o mestre da banalidade, como lhe chamou Saramago, a tão insólito patrocínio.

O PRIMEIRO-MINISTRO MENTIU

O Expresso errou. Pior, publicou uma notícia falsa. Pelofacto pedimos desculpa aos nossos leitores. A publicação desta notícia seguiutodas as regras e procedimentos que exigimos antes da publicação de umanotícia. Analisámos, fizemos perguntas, contactámos especialistas e váriasfontes. Não contávamos era com o facto do primeiro ministro ter, no Parlamento,ludibriado os portugueses . Começou mal.

Direitos individuais

Imagem
Montenegro, ao contrário de partidos social-democratas e conservadores, e de Rui Rio, é contra a consagração do aborto como direito fundamental na UE. Afinal está mais próximo de Passos Coelho, de Ventura e dos partidos fascistas do que dos partidos conservadores e liberais europeus.

Abuso de autoridade:

Imagem
  A PGR aos jornalistas: “As investigações judiciais tomam o tempo que tomarem. Tão simples quanto isso!”. O País pode tolerar o gozo que inebria a senhora Dr.ª Lucília Gago e o silêncio do PR que a cobre (salvo seja)?

Portugal – Estado de Direito democrático?

Imagem
Sou do tempo em que Sá Carneiro obrigou o militante número 7 a sair do PSD porque não queria um assassino no partido. Ou saía por si ou seria expulso. Não quis um assassino no PSD. Hoje pergunto se Marcelo não terá condecorado clandestinamente Ramiro Moreira com a Ordem da Liberdade, como fez a Spínola. Ao ver a PGR, substancial e ignara, indiferente ao abuso de poder do MP sobre António Costa, pergunto se vivemos num Estado de Direito e remeto-me ao silêncio para não perder a compostura e desatar aos insultos.

Em abril de 2014 era assim

Imagem
  Durão Barroso ainda não tinha a concorrência de Passos Coelho e Santana Lopes.

Um processo kafkiano

Imagem
 

Marcelo e as veneras

Marcelo é tão magnânimo na atribuição das veneras como nos conteúdos que fornece aos media. É de uma generosidade cativante com bens de luxo a custo zero. A atribuição clandestina do Grande Colar da Ordem da Liberdade ao general Spínola só pecou por tardia. Era uma devoção que trazia e, se não tivesse transpirado, o ensaio para atribuição de igual venera a Marcelo Caetano e, talvez, ao próprio pai, gesto que os atuais membros do Conselho das Ordens gostariam certamente de sufragar. Que heróis de Abril sejam distinguidos com o grau de Oficiais e o chefe do MDLP com o Grande Colar, o mais elevado grau, é o critério que mostra coerência, algo que já tinha mostrado na atribuição a Cavaco Silva e António Barreto, um salazarista empedernido o primeiro e ideólogo neoliberal o segundo, agraciados com o grau igual. Há na clandestinidade do gesto talvez a cativante confissão do desejo de ter pertencido ao MDLP, a solidariedade para quem pôs bombas para evitar um Governo à esquerda do PSD,

Identidade e Família – Entre a consistência da tradição e as exigências da modernidade

Imagem
Produto da madraça cavaquista lá estava a apresentar o livro quem não é conhecido por ser leitor, Pedro Passos Coelho, professor catedrático convidado pelo Prof. Sousa Lara, censor de Saramago e dirigente do PSD, primeiro, e do Chega, depois. Era um friso de devotos saídos do Concílio de Trento para a produção de um livro sobre “Família tradicional” por gente que ignora antropologia, história e sociologia no modelo que inventou, com claque do Chega. Era um friso de homens devotos homofóbicos e misóginos, pais de família casados com rainhas do lar, aplaudidos por Nuno Melo, Ventura e mulheres submissas, autores de um libelo reacionário onde pontificava a Opus Dei, o cardeal Clemente e um Otero, autor da diatribe: “(…) não tenhais medo, porque não é pecado, desejar o enterro do 25 de Abril”. O PSD, talvez por respeito ao modelo de família de Sá Carneiro e Snu Abecasis, primou pela ausência. Não se revê no modelo do cardeal Clemente ou de Ventura a que aderiu o ex-liberal Passos Coe
Imagem
                  Cartune de Varella
  O NEGÓCIO DA FÉ Por Onofre Varela A fé é um negócio como qualquer outro, e quem o explora espera obter lucro. É como vender hambúrgueres e Coca-Colas… se a loja não der lucro fecha-se a porta ou muda-se de ramo… mas as lojas que são as igrejas, estão isentas de alguns impostos, o que lhes dá alguma folga económica nas despesas. Os lucros são óbvios… a demonstrá-lo está a divulgação do santuário de Fátima que obteve um rendimento superior a 21,70 milhões de euros ao longo do ano de 2023, superando todos os números de visitantes pré-pandemia Covid: um total de 6,8 milhões de peregrinos. A fé tem esta característica: depois de o cliente se habituar ao produto, passa a consumi-lo desregradamente (como se fosse uma droga viciante) porque foi para isso que os seus clientes compulsivos foram educados. Ao contrário do jogo e do álcool, que são viciantes e têm contra-indicações merecendo alguns recados de instituições governamentais no sentido de se ter atenção a regras, na fé isso não aconte

A opinião de Vital Moreira

Imagem
  TERÇA-FEIRA, 9 DE ABRIL DE 2024 Não dá para entender (38): Fusão doutrinária das direitas? Publicado por  Vital Moreira 1.  Não se compreende bem como é que um liberal assumido, como Passos Coelho, se dispõe a apresentar e, implicitamente,  a patrocinar «um 'manifesto' contra “os adversários da família”, “a ideologia de género” e “a cultura de morte” », que é coletânea de textos de um conjunto de autores, que, embora com algumas exceções, representa doutrinariamente o que de mais radicalmente de direita antiliberal existe entre nós, combatendo todos os avanços das últimas décadas no sentido de alargar a liberdade individual, nomeadamente a emancipação feminina, a IVG, o casamento de pessoas do mesmo sexo, a morte assistida em condições-limite, etc. A publicação de um "manifesto" destes é especialmente inquietante em cima das celebrações do cinquentenário do 25 de Abril,  que abriu caminho, desde logo na Constituição de 1976 e na subsequente revisão do Código Civil,

Manual dos inquisidores

Imagem
Passos Coelho condena sovietização do ensino, mas não disfarça a sua própria nazificação ao assumir a ideologia Opus Dei / Chega. Bagão Félix, João César das Neves e o padre Gonçalo Portocarrero de Almada parecem saídos da Idade Média para atear novas fogueiras.

Não são conservadores, são reacionários

Imagem
  Passos Coelho apresenta livro "Identidade e Família", que ataca “a ideologia de género” e “a cultura de morte” Todos, todos, todos.

51.º aniversário da morte de Picasso (8-4-73)

Imagem
Faleceu há 51 anos o maior pintor do século XX e o que mais revolucionou as artes plásticas onde competiu com outros criadores geniais, como Matisse, Duchamp ou Braque.   Picasso foi um notável pintor, escultor, ceramista, gravador, cenógrafo e poeta.

Monólogos de Filho & Pai

Imagem
Filho - «Segue um assunto que o meu Pai passou para a Dra. Maria João Ruela, mas até hoje nada evoluiu e ninguém falou com os Pais das crianças”, lê-se no email enviado à assessora de Marcelo Rebelo de Sousa». Pai - «Terão de perguntar ao próprio, tem 51 anos, é maior e vacinado».

A FRASE

Imagem
(…) Forças Armadas fortes são navios, aviões e blindados, mas são, sobretudo, quem os navega, os pilota e os conduz e que, ou têm estatuto condigno para serem militares e se manterem militares (…) – (O PR, comandante supremo que não foi à guerra). Apostila – O ministro da Defesa tem experiência partidária na compra de equipamentos. #montenegronaomarcelonunca

A NOTÍCIA

A NOTÍCIA – «Luís Montenegro felicita e deseja sucesso a novos secretários de Estado». #montenegronaomarcelonunca  É a primeira vez que um PM felicita e deseja sucesso a membros do seu governo, dando a impressão de que lhes dá os parabéns por terem sido convidados e lhes deseja sucesso para, a seguir, os abandonar à sua sorte no governo de onde parece ficar ausente. Resta saber se felicitou e desejou sucesso aos que apresentou ao PR, aos que o PR lhe impôs ou a todos, todos, todos.

Promessas de Montenegro - Para memória futura

Promessas de Montenegro elencadas por Susana Valente, ZAP // Lusa – Reduzir os impostos   – Aumentar os salários e as pensões – Isenção do IMT para a compra da primeira habitação – Valorizar as carreiras – Lançar um “Programa de Emergência na Saúde” – Promover a natalidade – Fixar os jovens qualificados no país – Regular a imigração – Melhorar e modernizar os serviços públicos – Combater a corrupção – Defender a paz e os direitos humanos

REGULADOR JÁ AUTORIZOU VENDA DE EMPRESAS DE LUIS MONTEZ À MEDIALIVRE

Grupo do Correio da Manhã compra rádios falidas e comdívidas fiscais a familiares de Cavaco Silva «Neta do ex-presidente da República, agora com 27 anos, já tem experiência de administração de uma empresa… em falência técnica e com dívidas ao Estado.» A passagem por Belém deu-lhe preparação. Alguma coisa terá aprendido com o avô.

A Rússia a aproximar-se da NATO

Imagem
 

Para memória futura

Imagem
 

XXIV Governo de Portugal

Imagem
 Ao esconderem o Gonçalo mostraram que têm vergonha dos amigos , mas não dos cúmplices, como se vê pelas presenças na cerimónia. Este governo tem gente incapaz e gente capaz de tudo.

3/4/ 92 - 32.º aniversário da morte de Salgueiro Maia

Imagem
Uns devem-lhe os lugares onde chegaram e todos lhe devemos a liberdade que gozamos. Uns ficaram-lhe eternamente gratos; outros querem esquecê-lo; e há quem não lhe perdoe. Ele arriscou a vida, outros só 1 parágrafo.

XXIV GOVERNO DE PORTUGAL

Imagem
 A despertar do coma alcoólico em que sonhou metade dos portugueses em risco de pobreza, Luís Montenegro ameaçou com novas eleições para ver o PSD mais votado do que o PS, antes de assustar o eleitorado com a sua governação. Agora que tem o PR e a PGR do seu lado, só lhe resta governar. E perguntar ao Rangel se pensa da Palestina o mesmo que o PR «vocês é que começaram». É altura de Portugal se preparar para reconhecer o Estado da Palestina, à semelhança do que pensa fazer o governo de Espanha que Rangel já insultou.

XXIV GOVERNO CONSTITUCIONAL

Conferida a posse pelo promotor, que garantiu apoio, com a PGR na assistência, tomou posse o Governo que teve no PM a voz desafiante de quem julga que basta o apoio do PR para desafiar a oposição de esquerda. As entradas de leão, apesar dos padrinhos, parecem antecipar a saída de sendeiro.

48.º aniversário da Constituição da República Portuguesa

Imagem
A CRP é o programa comum de todos os democratas. Urge defendê-la, inclusive perante quem jurou cumpri-la e fazer cumprir.

O PM que o PR derrubou

Imagem
 Nós é que agradecemos. Muito obrigado.

Os meus tweets de hoje:

1 – SERVIÇO MILITAR OBRIGATÓRIO (SMO): Quando foi abolido havia bons argumentos para o evitar, mas as juventudes partidárias do PS, PSD e CDS obrigaram um governo de António Guterres a aboli-lo. Hoje são más as razões a favor da reintrodução do SMO. 2 – MINISTRO DAS FINANÇAS: Miranda Sarmento entra como o Centeno do PSD, mas arrisca-se a sair como a Maria Luís de Montenegro.

1 DE ABRIL - DIA DO COMENTADOR

Imagem
 

Os meus tweets de hoje

1 – Marcelo foi no anterior governo provedor dos sindicatos, No próximo será provedor do seu governo, para ser tudo e o seu contrário. 2 – À guisa de cumprimento, porque hoje é dia de Páscoa para os católicos: Os dois últimos líderes mundiais progressistas são católicos: António Guterres, sec. Geral da ONU; Papa Francisco. (Carlos Esperança, ateu há 67 anos, sem recidivas). 3 – Pensamento do dia em forma de pergunta: Se o Conde d’Abranhos chegou a ministro da Marinha, por que razão Nuno Melo não podia chegar a ministro da Defesa?
Imagem
                                                                                                                                        Cartune de Varella
  Ética   n a Publicidade Por Onofre Varela Em 1974 saí de uma litogra f ia, onde era desenhador maquetista ( Designer , como passou a ser bonito dizer- se ), para ser criativo gráfico numa agência de  p ublicidade.  Era o concretizar de uma vontade que me acompanhava desde 1968 quando regressei da Guerra Colonial e não  consegui emprego na área.  Ao tempo , n o Porto, as agências de publicidade eram poucas, e só meia dúzia de anos depois pude concretizar o sonho profissional numa agência com sede em Lisboa  (a CM-Sistema) , que abriu uma sucursal no Porto.   A experiência que vou contar, já a contei  há alguns anos  num programa de televisão  n o Porto Canal, para o qual fui convidado na qualidade de ateu  (se acaso ser ateu configura alguma qualidade!...) , tendo por companheiros de painel três religiosos de vários credos.  Reparei que o companheiro sacerdote católico arregalou os olhos de espanto por ver um ateu a falar de ética (!)…  e eu também me espantei  por me aperceber da exi