Mensagens

A Igreja é uma instituição politicamente neutra?

 Por ONOFRE VARELA -- Vice-presidente da Associação Ateísta Portuguesa A   Igreja é  uma instituição politicamente neutra?   O  semanário  Alto Minho , na sua edição do dia 2 de Junho último, dedica uma página à notícia protagonizada pelo padre Tiago Rodrigues (não confundir com Tiago Brandão Rodrigues, ministro da Educação!), pároco de Cardielos, Serreleis, Torre e Vila Mou, em Viana do Castelo. O  jornal divulga que o  sacerdote não quer que “os leigos com nomeação episcopal se envolvam nas eleições autárquicas deste ano” e diz ter tomado tal posição para que “a neutralidade da Igreja seja mais visível e concreta”. Naturalmente  que  a posição do padre Tiago só pode causar polémica  numa sociedade democrática aberta a todas as tendências políticas e religiosas como,  saudavelmente,  é a nossa. Perante as primeiras  críticas da população  à sua atitude, o padre apressou-se a esclarecer que não pretende proibir ninguém de se envolver nas eleições. Apenas “declara que os membros da Fábr

Fernando Nobre (FN) – um perigoso demagogo e provocador

No início de 2010 ainda considerava o médico, Fernando Nobre, uma figura fascinante e referência ética da solidariedade e do humanismo. Só a ignorância do seu carácter me levou a tão grosseiro erro de avaliação que o próprio se encarregou de confirmar. Não conhecia então a composição dos órgãos sociais da AMI, que da multinacional do altruísmo um empreendimento familiar. Quando em 2010 se candidatou à presidência da República, ainda me interroguei se era um homem bom cuja ambição o traiu ou um dissimulado que fazia o bem para alcançar objetivos que escondia. Ao apresentar-se sem ideologia, declarando não ser de direita nem de esquerda, deixou clara a opção de direita, que não tinha o direito de esconder. O anúncio da candidatura junto ao Padrão dos Descobrimentos denunciou, pelo carácter simbólico do local, um nacionalista serôdio a prenunciar o populista perigoso, mas foi a incoerência dos apoios políticos a que já tinha emprestado, ou viria a emprestar, o nome que confirmou a l

COVID-19

Imagem
A obrigatoriedade de usar máscara na rua terminou esta semana, mas não se esqueça de se defender e de defender os outros quando houver concentração de pessoas.

Zita Seabra e António Barreto

Imagem
Zita Seabra nunca deixou de ser estalinista, no PCP, quando este já deixara de o ser, no PSD, Opus Dei e Intervenção Liberal. Primeiro, sofreu a violência da ditadura, depois, a vergonha das cambalhotas, cinco sacramentos e o persistente radicalismo. António Barreto é a Zita Seabra de calças, sem a coragem e a capacidade de sofrimento da última. À clandestinidade preferiu, legitimamente, o exílio e a fuga à guerra colonial, a que talvez deva a Ordem Militar de Nosso Senhor Jesus Cristo, dada por Cavaco. Saiu do PCP, que considerava demasiado à direita, para a extrema-esquerda, e regressou ao País para se acolher no PS e dedicar-se à destruição entusiástica da Reforma Agrária. Saiu do PS para integrar a AD, e pediu o regresso para completar o tempo de deputado para a reforma vitalícia que, ao tempo, era regalia dos deputados. Obtida esta, sem apoio para as ambições, rompeu com a social-democracia e rumou à direita ultraliberal. Só lhe falta passar a fronteira da democracia para o f

No funeral civil de Jorge Sampaio

Imagem
As cerimónias fúnebres, que hoje terminaram, tiveram a dignidade do Estadista de que hoje se despediram os portugueses, e os mais altos dignitários do Estado souberam honrar a memória do homem de exceção. Todos, viúva, filhos e populares anónimos, viveram na dor a harmonia de um país que se associou à merecida homenagem ao político humanista que nos deixou.

11 de setembro – efemérides

1891 – Faleceu Antero de Quental, o influente pensador, escritor e poeta, que marcou o movimento da Geração de 70. O seu pensamento é o património e herança que assumo. 1942 – Vítima da ditadura fascista, depois de sete anos prisão e tortura no presídio salazarista do Tarrafal, morreu, com 40 anos, Bento Gonçalves, secretário-geral do PCP, juntando o nome ao de outras vítimas que o sinistro ditador de Santa Comba desterrava para o campo da morte, em Cabo Verde. 1973 – O presidente do Chile, Salvador Allende, eleito democraticamente, foi derrubado por um general indigno, Augusto Pinochet, apoiado pela CIA. Tornou-se o paradigma do torcionário, ladrão e fascista que semeou o terror no seu país. 2001 – O ataque aos EUA, perpetrado pelo terrorismo, destruiu as torres emblemáticas do World Trade Center, em Nova York, provocando uma carnificina de quase três mil pessoas. Na apoteose da demência do fascismo islâmico, tornou-se a caricatura de uma religião que floresce na decadência da f

Jorge Sampaio, uma referência da II República

Imagem
Jorge Sampaio acaba de falecer. A morte esperada do antigo presidente da República, a oito dias de perfazer 82 anos, deixa uma enorme saudade do combatente antifascista que aos 20 anos foi presidente da Associação Académica da Faculdade de Direito da UL e aos 22 secretário-geral da Reunião Inter-Associações Académicas (RIA) – 1961/62. Ex-secretário-geral do PS, foi pioneiro das alianças à esquerda, tendo liderado a lista do PS/PCP que em 1989 obteve uma maioria absoluta contra Marcelo Rebelo de Sousa nas eleições autárquicas à Câmara de Lisboa. Quatro anos depois repetiu a coligação, ampliada à UDP e ao PSR, e obteve a mais ampla maioria de sempre, em Lisboa, passando de 9 para 11 vereadores, em 17. Em 1995 decidiu candidatar-se à Presidência da República, o que o levou a demitir-se da presidência da Câmara de Lisboa. A eleição à primeira volta contra Cavaco Silva foi o início dos seus 10 anos em Belém (1996-2006). O 18.º PR português, depois de cessar funções presidenciais, foi