O PR e as condecorações aos militares de Abril

O que surpreende não é a condecoração de todos os capitães de Abril com a Ordem da Liberdade, é a ausência da venera do peito de quem legou a liberdade na imorredoura madrugada de Abril e, sobretudo, a ingratidão para os que deixaram morrer sem ela.

Não são os homenageados que estão de parabéns, é o PR, que soube reconhecer a quem deve o lugar que ocupa, e o mérito na gesta heroica em que se empenharam os bravos, sem discriminações pelas convicções de cada um ou pelo trajeto político posterior.

Há nesta decisão de Marcelo o melhor de que é capaz, fazer de um ato de justiça a festa da democracia e da inclusão de todos o aviltamento do antecessor que a todos a recusou.

Depois de o único salazarista que restituiu a Belém o mofo do antigamente, do ocupante de uma década que não ocultou a simpatia por Pides e a antipatia pelos libertadores, foi Marcelo que redimiu a direita e que, com este ato de justiça, se honrou.

Valha uma decisão corajosa para a justiça que devia aos que não precisavam da venera para entrarem no devocionário de quem ama a liberdade e não esquece a quem a deve.

Parabéns, Marcelo!

Comentários

joão pedro disse…


E, Carlos, os filo-fascistas que comandam a comunicação anti-social não referiram o acontecimento...

João Pedro
Jaime Santos disse…
Sem dúvida, parabéns Presidente Marcelo Rebelo de Sousa. Não levou o meu voto, mas mostra bem que o teria bem merecido, não fosse a necessidade de mandar para o terceiro lugar a candidatura de um oportunista de Extrema-Direita.

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime