Bernini e o êxtase místico de St.ª Teresa D'Ávila

Piazza Navona e Bernini
Palácios com aquele ar que em Roma
descasca de velhice o mais moderno prédio.
E a fonte de Bernini. Essa água toda
de que ele tinha em Roma o monopólio.
Mas noutra parte a colunata ascende.
E Santa Teresa, ante a seta do anjo,
vem-se de penetrada em voo de pintelhos
que o hábito lhe roçam esvoaçante
num pélvico bater que a estoura de infinito.


Jorge de Sena
Chambéry, 27/7/1971

Comentários

Manuel Galvão disse…
Sempre me pareceu que os sinais de fogo de que este jorge se queixa lhe estavam gravados no cu...
Como engenheiro foi um grande poeta, e vice-versa...

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime