Não gosto de ser atropelado por fanáticos

Depois de Nice e Berlim (2010), Estocolmo e Londres (2017), onde veículos movidos a ódio e conduzidos por crentes tresloucados pelos versículos do Corão, assassinaram 108 transeuntes e estropiaram centenas de outros, juntam-se agora 13 mortos (para já) e uma centena de feridos na cidade de Barcelona.

‘Las Ramblas’, que recordo como espaço cosmopolita onde pessoas de todas as idades e das mais diversas proveniências vagueavam durante a noite, gozando a tranquilidade de uma cidade imensa onde a beleza e a cultura as atraíam, ficaram agora manchadas pelo sangue inocente que facínoras de Alá provocaram.

Os 687 jihadistas detidos em Espanha, desde 2010, não foram prevenção bastante para a macabra sucessão de crimes religiosos que o fascismo islâmico prossegue com metódica e implacável regularidade.

Aos 191 mortos da estação ferroviária de Atocha, juntam-se agora os de Barcelona, e já há notícias de mais crimes da mesma inspiração.

Dizer que o Corão é mal interpretado, e reafirmar que o Islão, de que as maiores vítimas são os próprios muçulmanos, é uma religião de paz é como dizer que o Mein Kampf foi mal compreendido e que o nazismo é uma ideologia patriótica e pacífica.

É tão grave incluir todos os muçulmanos na responsabilidade dos crimes como ingénuo absolver o livro que os intoxica e os clérigos que os acirram.

Não há pachorra!

Comentários

Já ninguém se lembra de Saddam Hussein. Esse ex-amigo Dos USA disse,quando foi por estes atacado: esta é a mãe de todas as batalhas!!! Todos os boçais se riram. Hoje essas palavras são as duma profecia que se cumpre,na íntegra! Vale a pena lembrar quem chegou lume ao rastilho? Lágrimas de crocodilo metem nojo!
mensagensnanett disse…
Spanish Badalhocos:
-» fortes e intolerantes com os fracos, fracos com os fortes.
.
Espanhóis:
--1-- fortes e intolerantes (e altamente mauzões) com a meia-dúzia de gatos pingados do País Basco que ambicionavam TÃO SOMENTE a sobrevivência da sua Identidade;
--2-- fracos (lambe-botas) do pessoal que ambiciona ser 'donos-disto-tudo' -» em Espanha multiplicam-se as manifestações de lambebotismo aos islâmicos; etc.
.
.
Nota:
O grande legado de Donald Trump foi/é as reacções aos seus discursos:
- A alta finança, capital global, está apostada em terraplanar as Identidades, dividir/dissolver as Nações para reinar... como Donald Trump andou a falar em fronteiras (logo, subentende-se, é possível uma Identidade defender-se/sobreviver) os Spanish Badalhocos (e outros) chegaram ao ponto de andar a evocar a imigração para a América... quer dizer, ao mesmo tempo que os Spanish Badalhocos (e outros) andam por aí a acusar pessoal de deixar 'pegada ecológica' no planeta, em simultâneo, eles (e outros) revelam um COMPLETO DESPREZO pelo holocausto massivo cometido sobre povos nativos na América do Norte, na América do Sul, na Austrália, que (apesar de serem economicamente pouco rentáveis) tiveram o «desplante» de quererem ter o SEU espaço no planeta, de querem sobreviver pacatamente no planeta, de quererem prosperar ao seu ritmo.
-» Tal como a alta finança, capital global, os Spanish Badalhocos SÃO NAZIS: eles são intolerantes para com os povos autóctones - economicamente pouco rentáveis - que procuram sobreviver pacatamente no planeta.
[nota: nazi não é ser alto e louro, blá, blá, blá... mas sim, a busca de pretextos com o objectivo de negar o Direito à Sobrevivência de outros]
.
.
.
.
P.S.
-» DEMOGRAFIA E SEPARATISMO-50-50: Todos Diferentes, Todos Iguais... ou seja, todas as Identidades Autóctones devem possuir o Direito de ter o SEU espaço no planeta -» inclusive as de rendimento demográfico mais baixo, inclusive as economicamente menos rentáveis.
-» Os 'globalization-lovers', UE-lovers e afins, que fiquem na sua... desde que respeitem os Direitos dos outros... e vice-versa.
---» blog http://separatismo--50--50.blogspot.com/.
.
P.S.2.
-» Democracia sim, todavia, há que mobilizar aquela minoria de autóctones que se interessa pela sobrevivência da sua Identidade... para dizer NÃO ao nazismo-democrático, leia-se: é preciso dizer não àqueles que pretendem democraticamente determinar o Direito (ou não) à Sobrevivência de outros.
.
P.S.3.
-» Imagine-se manifestações (pró-Direito à Sobrevivência) na Europa, na América do Norte (Índios nativos), na América do Sul (Índios da Amazónia), na Ásia (Tibetanos), na Austrália (Aborígenes), ETC... manifestações essas envolvendo, lado a lado, participantes dos diversos continentes do planeta... tais manifestações teriam um impacto global muito forte.



Mensagens populares deste blogue

Nigéria – O Islão é pacífico…

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …