Covid-19 – Alarmistas de todo o mundo, uni-vos

A suspensão da vacina AstraZeneca, por medida de precaução, não é um drama em si, é um contratempo que os ignaros exploram, os alarmistas ampliam e os terroristas sociais comemoram.

Não há medicamentos inócuos. A grande vantagem da ciência, ao contrário das crenças, é o uso do método dialético, a cada avanço uma ponderação, a cada tese outra antítese, num permanente processo de novas sínteses.

Eu estava marcado para ser vacinado hoje, às 11H36, com a vacina supracitada. Se não tivesse sido interrompido o processo de vacinação ter-me-ia submetido, certo de que os benefícios seriam incomparavelmente maiores do que os riscos. Fiquei desolado, mas aceito a decisão das autoridades sanitárias a quem os néscios exigem que não tropecem, que não avancem nem recuem, que tenham verdades tão imutáveis como as crenças.

A SIC-N já está a perguntar a ignorantes o que pensam, como se as decisões científicas pudessem ou devessem ser decididas por referendo.

Imagino a alegria dos “médicos pela verdade”, dos movimentos anti vacinas, dos fátuos que alardeiam ‘eu bem dizia’, dos que têm mais fé no credo romano do que na ciência, dos que preferem alegadas verdades imutáveis à permanente autocrítica científica.

Lançar a dúvida sobre as vacinas, regozijar-se com um contratempo, entrar em euforia com um passo atrás, é um ato de terrorismo contra a saúde pública, é ignorar o que, em medicina, é o estado da arte.

Quem sabe que a toma de uma simples aspirina pode provocar um choque anafilático, fulminante e fatal?

Falta censurar o Governo por não ter previsto eventuais efeitos secundários cuja análise cabe aos cientistas.

Deixemos os chacais uivar enquanto os políticos, acossados pela turba ignara, recuam ao primeiro sinal de alarme.

E se for uma guerra entre multinacionais farmacêutica pelo controlo da galinha dos ovos de ouro?

Comentários

Luis disse…
A CS que temos é a vergonha de Portugal uivam a qualquer instante ,querem sangue e quanto mais melhor aberturas de telejornais com muitos mortos e, as pessoas ficam preocupadas ,agora quanto há vacina se fossem inteligentes diriam que qualquer pessoa que toma um medicamento se
ler a literatura diz lá que pode ter efeitos adversos mas,são todos os medicamentos, não é necessário chamar resmas de especialistas para dar esta informação basta o bom senso ,eu tomei a vacina da Astrazeneca dia 22 de fevereiro tive uma dor no local da administração e senti um certo cansaço mas,no dia seguinte estava fino e isto também tem a ver com o organismo de cada um e as pessoas que tiveram reações possivelmente têm problemas que nem elas sabem,por isso é aguardar serenamente tudo tem uma justificação.
Monteiro disse…
Todas as seis empresas farmacêuticas ocidentais têm antecedentes de impropriedade (!) e quatro das seis foram mesmo condenadas - não acusadas ou suspeitas de - mas condenadas por crimes que vão desde a falsificação de pesquisas, a suborno de médicos, de reguladores, de legisladores e mesmo de oficiais ou agentes da lei. Até o marketing de drogas para crianças funcionaram em condições não aprovadas pelos reguladores e com propaganda enganosa. Amar o capitalismo democrático sim, mas cuidado que nem sempre é a ciência que os assiste.

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime