Perplexidades

Depois de ter assistido em direto à leitura da súmula da decisão instrutória pelo juiz Ivo Rosa sobre a Operação Marquês, sem a ter visto previamente divulgada e explicada pelo grupo Cofina, estupefacto pela ausência da violação do segredo de justiça, confrangi-me a ler opiniões de alguns dos 10 milhões de investigadores criminais oriundos do setor da virologia e agora com alvará para sentenças transitadas em julgado.

Perdoem-me os leitores a solidão nas dúvidas que me afligem, a ausência de opinião e o receio de que os direitos, liberdades e garantias de alguém possam não ser respeitadas enquanto 10 milhões de concidadãos, independentemente das decisões do juiz Ivo Rosa, já tinha certezas inabaláveis que resistirão aos recursos, aos factos e à decisão final.


De facto, aos costumes digo nada.

Comentários

Luis disse…
Não posso estar mais de acordo depois das dezenas de especialistas em covid-19 que se gastaram milhares de horas nas televisões ,agora chegou a vez dos especialistas em direito e até proccuradores e mais umas centenas de horas nas mesmas tv,s a desfilarem o seu fel contra o juiz caso em apreço ,a cara de enterro do Ricardo Costa que dois dias antes era só certezas absolutas e nunca fizeram trabalho de investigação se limitaram a colocar cá fora o que só a accusação sabia de forma a formatar a opinião pública , o que há a esclarecer ,que há sem dúvida ,seja julgado conforme o direito e não na comunicação social .
Luís:

Um povo que julga por emoções é um povo condenado às injustiças.
Jaime Santos disse…
Um povo julga sempre pelas emoções, Carlos Esperança. O apelo ao pathos é a arma dos demagogos desde a Grécia Antiga, quando o termo foi inventado.

Mas mais do que isso, diria que o que é particularmente chocante é o apelo às falácias na boca de jornalistas supostamente respeitáveis, como o inenarrável José Gomes Ferreira. Segundo ele e outros, Ivo Rosa é ingénuo (e merece uma lição) porque acredita na prova testemunhal produzida pela defesa.

Quem trabalhou com Sócrates só pode mentir para defender Sócrates...

Ou seja, devemos acreditar que Sócrates, muitos anos após ter deixado o Governo, continua a controlar a mente de toda esta cáfila, disposta a cometer perjúrio para o defender.

Porque deveriam pessoas honradas e sem cadastro criminal fazê-lo, pergunto eu... Ivo Rosa procurava, naturalmente, contradições entre os diversos testemunhos e não encontrou nenhuma...

Ou aquele outro jornalista do Observador que, quando ouviu a explicação de Francisco Teixeira da Mota de que um Juiz é independente dos seus pares e que mesmo alguém com opiniões distintas da maioria tem um papel relevante a desempenhar, como se vê pelas opiniões do juiz vencido nos colectivos, que com frequência são depois aceites pelos tribunais superiores, perguntava como pode a comunidade perceber e aceitar isto. Mota respondeu admiravelmente que a dita comunidade tinha que fazer um esforço...

Parece-me que os conceitos do Primado e Soberania da Lei sobre a opinião dos homens são demasiado complexos para serem entendidos por muitas cabecinhas. O pior é que elas entenderiam esses conceitos se quisessem, mas não lhes convém...

'O segredo do demagogo é fazer-se tão estúpido como aqueles que o ouvem, para que eles acreditem que são tão espertos como ele' B. Krueger
Jaime Santos,

Vale a pena ler a opinião de um antigo condiscípulo meu no liceu da Guarda, velho amigo, e excelente jurista no blogue Causa Nossa:

https://causa-nossa.blogspot.com/2021/04/praca-da-republica-52-o-terramoto.html
Jaime Santos disse…
Já tinha lido, Carlos Esperança. Sem dúvida...

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime