António Barreto (AB) e outros

António Barreto, mais conhecido como comentador do que como sociólogo, ainda hoje anda à procura de um partido que lhe atribua um qualquer cargo. Nem o PSD lhe deu a oportunidade de ser cabeça de lista à Câmara do Porto onde os fidalgotes autóctones, é o caso do atual edil e o seu, gostam de exibir o seu conservadorismo.

Só o PS lhe deu guarida depois de ter sido militante do PCP e de ter saído pela esquerda, o PCP não era suficientemente revolucionário, bem instalado num exílio sem privações ou riscos, sem saber o que era um interrogatório da Pide, sem uma noite numa esquadra, sem um julgamento num Tribunal Plenário, sem medo de que lhe batessem à porta sem ser o carteiro, sem um dia de guerra colonial, a que fugiu por medo e não por convicção, pois o PCP aconselhava os militantes a ir e doutrinar outros militares.

Foi Mário Soares, na sua imensa sabedoria, que se lembrou dele para destruir a Reforma Agrária, sabedor do que um trânsfuga é capaz, depois de o ter feito deputado à Assembleia Constituinte e à Assembleia da República.

Quando viu que a direita podia tomar o poder tornou-se um Reformador útil e colocou-se ao serviço da Aliança Democrática e Sá Carneiro não lhe deu qualquer cargo. Voltou à área do PS, apoiando a candidatura presidencial de Mário Soares, e à AR como deputado do PS para perfazer o mínimo de oito anos que, ao tempo, deu direito a pensão vitalícia.

Cumprido o objetivo regressou ao seio da direita, cada vez mais à direita, sem que algum dos partidos o adotasse. Hoje encontra-se à direita do CDS, sem pisar o risco que o separa da extrema-direita, única ignomínia que ainda não assumiu. Na sua homilia semanal, no Público, procura ser ideólogo da IL, zurzindo toda a esquerda, com especial aversão ao PCP e particular militância contra o Governo PS.

Não voltaria a ocupar-me de tão ruim defunto se não levasse tão longe o dislate que vi na primeira página do luminoso SOL, “A justiça do antigo regime era mais séria do que agora”.

É preciso topete! Saberá AB que houve Tribunais Plenários, que os ‘réus’ eram agredidos aí em pleno julgamento, que se era preso discricionariamente, que um caso de pedofilia que envolvia membros do Governo e altos dignitários não pôde ser julgado, que as medidas de segurança equivaliam a penas perpétuas, etc., etc., etc.?

Na sede de vingança para com os partidos por onde passou levou longe a desinformação, não hesitou na mentira e foi cruel para os sobreviventes da justiça que os condenou a longos anos de cárcere por motivos ideológicos.

Os camaleões, répteis da família Chamaeleonidae e da ordem Squamata, não são apenas os que nasceram como tais, são também aqueles que rastejam na defesa de interesses próprios, arredios da ética e da decência.

Apostila – Sem mudar de partido, mas invertendo as posições do passado, Sérgio Sousa Pinto dá cambalhotas dentro do PS à espera da deriva liberal e substituir Assis.


Comentários

Jaime Santos disse…
Palpita-me que o problema de SSP é o mesmo de AB, o PS é ingrato e não lhe reconhece o génio. Suspeito que envereda pelo mesmo caminho do ex-Ministro da Agricultura de Mário Soares.

Pinto sabe que Roma não pagará aos traidores, mas sempre pode acabar Presidente de alguma Fundação. Um homem tem afinal que fazer pela vida!

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime

Tunísia – Caminho da democracia ou cemitério da laicidade ?