Rui Rio e o Movimento Europa e Liberdade (MEL)

Alvo de uma advertência, o presidente do PSD é o primeiro líder social-democrata alvo de uma sanção pelo Conselho de Jurisdição Nacional do seu próprio partido.

Não vem ao caso o facto de o PSD desconfiar da democracia representativa e desprezar a liberdade de consciência dos seus deputados na legalização da eutanásia, exigindo um referendo para sufragar direitos individuais.

A verdade é que este PSD afrontou o líder que representou, depois de Passos Coelho, a esperança que Marcelo levou a Belém depois do negro consulado cavaquista.

Bastavam os erros próprios e as traições internas para tornar Rui Rio um líder cauto e diferente, capaz de selecionar melhor os colaboradores e de não se comprometer com a extrema-direita.

O MEL é o albergue espanhol onde se reúne a pior direita com a direita tradicional e os seus acólitos liberais do PS, Luís Amado e Sérgio Sousa Pinto, o último numa frenética viagem onde renega o passado à espera de futuro.

Rui Rio, em termos políticos, foi infeliz na normalização do partido fascista nos Açores, e reincidiu no eufórico regozijo do que considerou a vitória contra o PCP pelo seu maior adversário, independentemente de qualquer sucessor não o enjeitar como muleta.  

Quando uma sentença exemplar da juíza que transformou a imagem do líder fascista, de herói dos salazaristas em delinquente, Rio, com a sua presença, deu palco ao adversário que lhe leva os eleitores.

É um erro de que não mais recuperará. Na reunião do MEL até o ora catedrático, Passos Coelho, mereceu maior atenção mediática e foram mais sonoras as críticas que o líder fascista e o da IL lhe dirigiram do que o eco da sua comunicação. Deveria ter isolado a extrema-direita e não o fez. Foi a oportunidade perdida de quem, no passado, provou ter coragem.

Depois de o PR, na pele de comentador de largo espetro, se ter referido ao líder do PSD que emergir das eleições autárquicas, de um bando de alegados independentes, o irmão do PR incluído, ter dado o apoio que lhe negam ao candidato à Câmara de Lisboa, Rio sairá da liderança sem ter reconduzido o PSD à herança de Sá Carneiro nem higienizado o espaço da direita democrática.

É a vida!


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Associação Ateísta Portuguesa (AAP) - RTP-1