Notas Soltas – dezembro/2020

Eduardo Lourenço – Faleceu um dos nossos mais originais e influentes pensadores de sempre. Fecundo ensaísta, filósofo, historiador, escritor e crítico literário, nascido em S. Pedro do Rio Seco (Almeida), foi uma figura ímpar da segunda metade do séc. XX e do século que deixou aos 97 anos.

Eduardo Lourenço_2 – A missa nos Jerónimos, com dois cardeais, foi a confiscação feita pela Igreja, Governo e PR do cadáver do intelectual cujo pensamento recusou duas ortodoxias, o catolicismo, alicerce ideológico da ditadura, e o marxismo.

Sérgio Moro – O juiz venal que perseguiu Lula da Silva e foi ministro de Bolsonaro, é o novo diretor da empresa de consultoria americana Alvarez & Marsal, administradora judicial da Odebrecht, empresa que ele investigou e usou para perseguições políticas.

Hungria – O eurodeputado de extrema-direita, József Szájer, casado e com 1 filho, foi detido pela polícia belga numa orgia gay com mais 25 homens. Da máxima confiança do PR Viktor Orban era o grande defensor das políticas homofóbicas do seu partido.

Espanha – Militares na reforma discutiram golpe de Estado e fuzilamento de milhões de espanhóis no WhatsApp tendo o apoio do partido fascista VOX, o que levou o chefe do Estado-Maior a garantir lealdade à Constituição. A democracia corre perigo.

PR – Depois de várias comissões de inquérito durante 30 anos, da decisão dos Tribunais de que foi acidente e do Tribunal Europeu dos Direitos Humanos ter validado a decisão, ao considerar que foi crime, feriu o Estado do qual ele é a primeira figura. Deplorável.

EUA – O ato de higiene que afastou Donald Trump da Casa Branca foi um folhetim que envergonhou a América e a tornou suspeita aos olhos do mundo, com danos irreparáveis para as democracias de que a sua Constituição e a prática eleitoral eram exemplo.

FDA – A ameaça de demissão do chefe de gabinete da Casa Branca ao diretor da FDA para aprovar a vacina da Pfizer, segundo o Jornal Washington Post, atinge a autoridade e o prestígio mundial da Administração de Alimentos e Medicamentos norte-americana.

Pacto ecológico europeu – O Conselho Europeu chegou a acordo para uma redução de 55% nas emissões de CO2 até 2030, tendo como referência os valores de 1990. Não é a meta desejável, mas é um esforço notável para abrandar o aquecimento global.

França – A laicidade é a exigência da neutralidade religiosa e não pode a sua defesa ser considerada uma medida contra qualquer religião, mas é o obstáculo ao proselitismo e a defesa da cidadania contra o comunitarismo violento onde medra o terrorismo islâmico.

Joe Biden – O regresso ao Acordo de Paris sobre o clima, a reintegração dos EUA na OMS e a recuperação dos acordos internacionais, especialmente o acordo nuclear com o Irão, são relevantes na reposição da previsibilidade internacional da política americana.

Donald Trump – A sua derrota não causou surpresa ou regozijo, apenas a sensação de alívio, a pausa na náusea e no medo da fragilidade democrática. Foi só o furúnculo que rebentou sem que a infeção do Senado e do Supremo Tribunal fosse debelada.

Eutanásia – A proposta do PSOE, com apoio parlamentar de Podemos, Ciudadanos e PNV, 198 votos a favor, 138 contra e duas abstenções, legalizou a eutanásia e o suicídio assistido, direitos individuais. Espanha tornou-se o 6.º país a regular uma morte digna.

Rio de Janeiro – O presidente da câmara, Marcelo Crivella, foi preso na operação que investiga uma rede de lavagem de dinheiro na autarquia. O autarca, bispo da IURD e aliado do Presidente Bolsonaro, atribuiu a sua prisão à “perseguição política”.

Reino Unido – O Brexit, infeliz decisão que lesou o RU e a UE foi o fator de discórdia que prejudicou as relações dos dois lados do Canal da Mancha. A lepra do nacionalismo corroeu a coesão e influência da Europa com consequências danosas mútuas.

Graça Freitas – O regresso da abnegada diretora-geral de Saúde que, com a ministra, foi presença constante a aconselhar os portugueses em tempos da pandemia, merece a simpatia e a gratidão de quem vê nela a amiga que aconselha e transmite confiança.

Europa – O difícil acordo da UE com o RU foi a decisão inevitável que evitou maiores danos, mas são já irreparáveis os prejuízos sofridos, e a Escócia está em vias de exigir a secessão para se tornar uma “nação europeia independente”, na UE.

Rui Moreira – O autarca do Porto, monárquico do CDS, dececionado por o PSD não o convidar a encabeçar a lista, é presidente independente. Se for condenado judicialmente, que partido será julgado? Os independentes são políticos disfarçados e perigosos.

El País – O diário espanhol, um dos mais prestigiados da Europa, virou à direita. Joseph Oughourlian, principal acionista do grupo editor explicou: “Não investi 300 milhões de euros para poder fazer favores ao Governo”. É mais rentável a direita.

União Europeia – A assunção de dívida comum, atitude sempre repudiada, e a decisão de vacinação simultânea contra a covid-19, em todo o seu espaço, mostram que o nosso futuro coletivo só será melhor com maior integração e solidariedade.

Madeira – Com obras públicas em curso, a violência da chuva provocou inundações, a prisão de 8 turistas num túnel, e a destruição de casas e do cemitério de Ponta Delgada. No Continente, o PR já teria admoestado o ministro das Infraestruturas e da Habitação.

China – Quando a lei penal de uma autocracia considera 12 anos a idade mínima para a responsabilidade criminal, punindo as crianças como adultos, a aversão às ditaduras aumenta. A lei, aprovada no dia 26, entrará em vigor a 1 de março de 2021.

Covid-19 – A vacina é uma janela de esperança que se escancara, mas a prevenção do contágio deve continuar rigorosa, e a tragédia provocada nos empregos, na economia e na sociedade manter-se-á durante décadas, e exige um novo modelo económico.

Ponte Europa / Sorumbático

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime