Associação 25 de Abril

 

Reflexão e Alerta  

Como se costuma dizer, o Passado deve servir-nos para retirarmos lições sobre o que fazer no Presente para termos um melhor Futuro.  
Vem isto a propósito do enorme barulho - tipo chavascal - que a direita e a extrema direita estão a fazer à volta de um desfile comemorativo do Dia do Exército. 
Nas redes sociais, começámos por ver afirmações sobre proibições várias, no que se refere às tradições das Forças Pára-quedistas: não lhes era permitido usar a tradicional Boina Verde, não podiam cantar a sua Canção durante o desfile, não podiam marchar com o Passo que as distingue, estavam ameaçadas de extinção... 
Como se constatou em Aveiro, a mobilização surtiu efeitos e o resultado foi uma manifestação de autênticos desordeiros, que primaram pelos insultos ao Ministro da Defesa Nacional e ao Chefe de Estado Maior do Exército. 
De nada servindo o poderem ter constatado que a boina utilizada foi a tradicional de cor verde, e de lhes ter sido explicado, aos que o quiseram ouvir, que apenas a dimensão da força que desfilou, um Pelotão, levou ao não cantar da canção utilizada quando desfila o Batalhão. 
A encenação ficou patente, quando se constatou a presença nos manifestantes de ex-militares da Força Aérea, como se os Pára-quedistas ainda pertencessem a esse Ramo das Forças Armadas... 
Poderá haver alguma responsabilidade das chefias do Exército, ao não explicarem - nos locais próprios, devida e atempadamente  - a natureza das decisões assumidas. Poderá, mas nada justifica, se não houvesse outras razões e objectivos, o chinfrim, a enorme barulheira que se gerou à volta do assunto. 
No meio dos comentários dos habituais manipuladores de opinião, que tudo sabem, de tudo são especialistas, que já nem disfarçam a cruzada que fazem - de motu próprio ou por encomenda - em prol do derrube da actual situação política, com a abertura do caminho para uma solução anti-Abril, foi caricato ver a figura protagonizada por um líder partidário que, envolvido e preocupado com a disputa da sua liderança partidária, aproveitou, provavelmente assente na sua qualidade de ex-Menino da Luz, para se apresentar como legítimo defensor das Forças Armadas, vociferando e gritando histericamente contra as enormes ofensas de que estas "acabavam de ser vítimas". 
Não vi todas as intervenções feitas, mas admito que tenha ganho a taça, destinada a quem gritou mais alto!... 
Poderá perguntar-se porque estou a fazer esta reflexão?  
Precisamente porque tento aprender com o Passado
Tenho bem presente que, no processo do 25 de Abril - Conspiração, acção militar, consolidação do regime democrático - as Forças Pára-quedistas estiveram sempre do lado errado
E, se no 25 de Abril ainda conseguiram, in extremis, "emendar a mão" e colaborar na tomada da prisão de Caxias, no 28 de Setembro, no 11 de Março e no 25 de Novembro foi o que se viu ... 
Naturalmente que a responsabilidade não foi das Praças, mas sim dos Graduados, com especial relevo para quem os comandava. 
O facto é que, permitiram sempre que os manipulassem e utilizassem, empurrando-os para atitudes altamente condenáveis, porque ao serviço de forças não democráticas. 
Por tudo isso, aqui estou fazendo um Alerta e formulando um Voto: As Forças Pára-quedistas estão novamente a ser provocadas por forças anti-Abril! Não permitam que, mais uma vez, vos instrumentalizem, vos manipulem e vos utilizem para fins anti-democráticos! 
É um facto que, desta vez, quem apareceu, quem esteve no terreno, foram ex-militares que é suposto não terem condições para fazerem as asneiras que referi atrás. 
No entanto, nunca é demais alertar os que estão no activo, contra essas tentativas de manipulação!... 
Aos ex-pára-quedistas, alguns provavelmente envolvidos nas asneiras aqui recordadas, só me apetece perguntar: Não aprenderam nada com o Passado? 

Cordiais saudações de Abril 
Vasco Lourenço  

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Associação Ateísta Portuguesa (AAP) - RTP-1