Notas Soltas – outubro/2021

Afeganistão – Um mês após a capitulação dos EUA e seus aliados da Nato, tornou-se intolerável o ritmo de atrocidades, em especial contra as mulheres. A demência tribal e religiosa do Governo talibã faz amputações públicas e a sharia é o seu código penal.

França – O presidente da comissão nacional de investigação da pedofila na Igreja disse ter havido “entre 2.900 e 3.200 criminosos pedófilos", padres e frades do clero Católico, desde 1950, com mais de 300 mil vítimas. Urge escrutinar o clero de outras religiões e países.

Forças Armadas – Foi a impaciência do ministro da Defesa na mudança do CEMG da Marinha, acordada entre PR e PM, ou o pretexto do PR para assumir a luta partidária e liderar a oposição? De onde partiu a fuga de informação, de Belém ou de S. Bento?

Espanha – O líder do PP, Pablo Casado, prometeu em Valência revogar todas as leis da esquerda quando chegar ao Governo. A competição com o partido fascista VOX tornou-se a obsessão do partido fundador da democracia, cada vez mais propenso a traí-la.   

Pandora Papers – A nova revelação refere três ex-ministros, só os políticos importam, com celebridades mundiais a acompanhar as portuguesas. Enquanto se fala de eventuais corruptos, folgam os corruptores. É de políticos que a voragem mediática se alimenta.

Política Portuguesa – Em 2005, foi o caso Freeport; em 2009, as escutas de Belém; em 2014, a Operação Marquês; em 2019, Tancos; em 2021, a Rússia e a CML e, depois das autárquicas, a substituição do CEMA. Qual é o escândalo ou o caso judicial à espera?

Conselho Superior da Magistratura – A pena de demissão do execrável juiz e cidadão Rui Fonseca e Castro foi um ato de higiene para a Justiça e a justa reparação a quem, na pandemia, teve o discernimento que a beca não conferiu ao embrutecido negacionista.  

Polónia – O PM, Mateusz Morawieckide, desafia a justiça europeia e ameaça a saída da UE. O extremista que despreza os direitos humanos e a independência do poder judicial, subverte os valores democráticos e humanistas gravados na matriz da União Europeia.

China – A admissão do recurso à força militar da ditadura, para a anexação de Taiwan, é o pretexto que estimula o nacionalismo chinês, determinado a unir o País e a torná-lo a primeira potência mundial. Será uma tragédia para a sobrevivência das democracias.

Social-democracia – Após décadas de neoliberalismo, regressou aos países nórdicos, Suécia, Dinamarca, Finlândia, Islândia e Noruega; à Alemanha com o SPD; à Península Ibérica, com o PSOE e o PS. A Europa não está reduzida à direita e extrema-direita.

Lítio – A extração é necessária na transição para energias limpas, mas não há mudanças sem custos ecológicos. Difícil é entender que os mesmos que exigem a transição sejam os mais avessos à extração deste metal essencial. Estão de acordo, mas noutro sítio!

Aeroporto Internacional – É inaceitável que obras de interesse nacional possam ficar à mercê dos humores e interesses partidários dos autarcas dos concelhos para onde foram projetadas. O interesse municipal não pode sobrepor-se ao nacional.

Aristides Sousa Mendes – A desobediência a Salazar, que salvou milhares de judeus de fornos crematórios, foi um exemplo de coragem e humanismo. O Memorial que o honra em Vilar Formoso, Fronteira da Paz, no concelho de Almeida, exige ser visitado.

Parlamento Europeu – O ultimato à presidente da CE, Von der Leyen, para promover o congelamento de fundos à Polónia e Hungria, foi uma decisão louvável na defesa dos Direitos Humanos e do Estado de Direito que o pragmatismo adiou.

Monarquia espanhola – Juan Carlos e Felipe VI, herdeiros impostos por Franco, estão cada vez mais associados a posições de direita e extrema-direita, e o regime, que nunca foi sufragado, desfruta, segundo as sondagens, de cada vez menor apoio popular.

Angela Merkel – Após 16 anos consecutivos de exercício de funções, a homenagem do Conselho Europeu teve na sua apoteótica unanimidade um gesto merecido que honra a maior estadista europeia deste século. Vai fazer falta a mais europeísta dos alemães.

Turquia – Dez embaixadores pediram, em declaração conjunta, a libertação do ativista Osman Kavala, preso político há 4 anos, acusado de espionagem. Erdogan expulsou os embaixadores, incluindo EUA, França e Alemanha. São assim as ditaduras!

OE-2022 – Quando a Esquerda desilude não é a Direita que seduz, são a frustração e a vingança que determinam a intenção de voto que beneficia a última. Não se pode querer conquistar votos à custa do Orçamento indiferente à sua exequibilidade.

Geopolítica – A aliança EUA, RU e Austrália, em torno da rivalidade sino-soviética, é a mudança do centro de gravidade do Atlântico para o Pacífico, com o definhamento da Nato e a segregação da União Europeia. A Índia e o Japão são aliados naturais contra a China.

Balcãs – Já bastava a criação de um Estado pária – Kosovo –, um entreposto da droga e do terrorismo islâmico. O Montenegro estrou em convulsão com a entronização do novo dignitário da Igreja Ortodoxa sérvia, e a Igreja Ortodoxa montenegrina ameaça a paz.

Eleições – Desde o chumbo, na pior altura, à abusiva intromissão do PR e à preferência que manifestou por Paulo Rangel, parece ter havido uma enorme leviandade quanto às consequências económicas, financeiras e políticas que a instabilidade pós-eleitoral trará.

Cimeira do Clima – A baixa expetativa sobre a capacidade de unir o mundo na defesa do seu futuro cria enorme angústia quanto à possibilidade de se manterem condições de sobrevivência para as gerações vindouras. Na COP26 trava-se a batalha decisiva.  

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime