Charles Darwin sempre teve razão

ILUSTRAÇÃO ALEX GOZBLAU

Comentários

Jaime Santos disse…
Eu confesso que tenho medo, porque a manifestação de atavismos cavaquistas no novo 'Homo Costinensis' é sempre uma possibilidade e nós sabemos bem o que nos custaram 30 anos de influência do 'Homo Cavaqus'. Recorde-se que se a figura parece ter-se resignado à sua reforma política, mau grado o fel que de vez em quando exala quando decide dar-nos a conhecer mais um capítulo das suas excitantes memórias, os seus émulos ainda andam por aí a popular o PSD. A palavra 'evolução' está carregada de uma carga teleológica que não poderia estar mais longe das ideias de Darwin, que não via no processo contingente de alteração das espécies por via da pressão seletiva, ela igualmente fruto da História, nenhum objetivo. Aliás, se as coisas não fossem como ele defendia, como explicar o 'Homo Trumpinensis' após o 'Homo Obamensis'?

Mensagens populares deste blogue

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Nigéria – O Islão é pacífico…

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …