Na morte de Otelo

Costa não decretou luto nacional e Marcelo concordou. Sinto vergonha. O meu silêncio passaria despercebido, mas a consciência havia de pesar-me nos dias que ainda tiver. O penúltimo militar a ter direito a luto nacional foi Spínola, mas esse não comandou o 25 de Abril, foi o chefe do MDLP.

Os heróis de Abril são demasiado grandes para precisarem da bandeira a meia haste, foram eles que içaram a bandeira da liberdade, e Otelo foi o comandante militar desses heróis. 

Obrigado, Otelo. 

Nunca tantos choraram tanto um só homem.

Comentários

Está muito bem, mas "propositado, necessário ou acidental, o bem que se faz gera, em quem o pratica, inilidível responsabilidade pela perpétua dignificação da memória dos feitos junto de quem deles se apercebeu, pelo que nenhum ídolo tem o direito de boicotar a própria obra; e, em matérias tão importantes e sensíveis como a Liberdade e a Democracia, não pode a tal ponto desiludir, quase renegar”. Desenvolvo o tema em https://mosaicosemportugues.blogspot.com/2021/07/otelo-o-espinho-que-nem-morte-arrancou.html. Terei gosto em ler o que quiser comentar.

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime