Alberto João Jardim (AJJ) e o Presidente da República

O velho sátrapa madeirense, um salazarista que nunca se converteu à democracia, e que procurou limitá-la no espaço onde ficou à solta na excessiva autonomia, continua, após a saída de cena, a ser um boçal sem freio.

Querendo o PR honrá-lo, a pretexto de um prémio atribuído ao ex-autarca, manifestou a intenção de ser ele próprio a entregar-lho na deslocação para assinalar o 45.º aniversário da Assembleia Regional.

Surpreendentemente, já com o PR na Madeira, AJJ alegou estar de férias, e a cerimónia teve de ser adiada. Nunca um PR foi humilhado no espaço nacional de forma tão soez, nem uma afronta de tal dimensão mereceu tanto silêncio.

As televisões não convocaram os comentadores do costume, os psicólogos não foram chamados a diagnosticar os sintomas do primata, e os média, habituados a condenar o ofendido e a ignorar a ofensa, pouparam o PR e optaram por desvalorizar o incidente.

Ao dar um coice a Marcelo, o execrável cidadão não o ofendeu, quem se avilta é o agressor e não a vítima, mas injuriou o órgão de soberania e todos os portugueses.

Em campanha eleitoral autárquica numa das freguesias do Funchal, em desafio ao poder nacional, ainda ampliou a afronta: “Nunca tivemos, na história da autonomia, uma dupla tão ferreamente antiautonomia como este primeiro-ministro e este presidente da República.” [sic]

Depois de Cavaco ter abandonado a cerimónia de posse do segundo mandato deste PR, sem o cumprimentar, pensava-se que a rudeza de maneiras não teria sucessor. Tínhamos esquecido do que era capaz o abrutalhado cacique insular.  

Os portugueses invejam-lhe o fígado que destilou hectolitros de poncha, mas deploram o chantagista que incita a Região contra os órgãos de soberania nacionais.

Comentários

Jaime Santos disse…
A Direita boçal e salazarenta em que pontuam Cavaco e AJJ não perdoa a MRS o facto de que ele é um filho dileto do antigo regime que se converteu plenamente à Democracia (e ainda por cima alguém com pedigree social e intelectual, ao contrário deles). É por isso que não perde uma ocasião para o humilhar.

O reformado AJJ não pode interromper as férias para se dignar a receber a honra das mãos do PR? Pois bem, este deveria virar as costas ao sátrapa madeirense...
egr disse…
Recordemos que o sátrapa já impediu . em certa ocasião , saudoso PR Cavaco . de ir á
Assembleia Legislativa e o dito obediente ficou-se pelo hotel !
Eduardo Gastão Ramos
Monteiro disse…
Eu ainda sou do tempo que o dito boçal tratava o outro por senhor Silva e também recordo vagamente e disso não há qualquer registo histórico, em defesa da honra do dito, em que o representante do MFA na Madeira lhe aplicou um valente par de estalos.
Monteiro:

O coronel que esbofeteou Jardim usou a única linguagem que o energúmeno percebe.

Vasco Lourenço mandou arquivar a queixa de Jardim... na retrete.

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime