Vasco Graça Moura


Vasco Graça Moura (VGM), apesar de defensor da pena de morte, não é um troglodita e a linguagem, digna do mais rancoroso rural, não faz dele inimputável.

Debita adjectivos como balem as ovelhas ou palram os papagaios, com a facilidade do mais erudito dos almocreves e o acinte do mais primário e boçal ferrador de solípedes.

VGM, na sanha contra a esquerda pós-soviética, onde inclui toda a esquerda, revela-se o mais genuíno dos paladinos da direita pós-fascista.

O defensor de todos os líderes do PSD, e carrasco dos simpatizantes de qualquer outro partido, denomina «patéticas deslocações do sr. Solana» os esforços de paz do ilustre espanhol ao serviço da União Europeia e denomina a política diplomática de Espanha de «progressismo alvar do sr. Zapatero». Deve ser trauma anti-castelhano.

O Governo italiano, depois de ter perdido o notável cançonetista Berlusconi e o pio Roco Butiglioni, passou a ser a «periclitante salada de esquerda do sr. Prodi».

Só não esperava que o último almocreve do cavaquismo começasse a prosa da quarta-feira, no DN, com a afirmação «A ONU não presta para nada», conceito que Salazar e os esbirros de serviço repetiram à exaustão até ao momento em que uma cadeira nos aliviou do homem que a providência nos enviara, segundo os Graças Mouras desse tempo.

Já quanto à empolgada fixação em Bush e Blair, deve ser a inteligência do primeiro e a canina devoção do segundo que seduzem o homem que um dia foi ajudante de ministro.

Depois, mesmo que palre alguma coisa acertada ou crocite uma evidência, é difícil que alguém o possa levar a sério. É a versão erudita de Alberto João Jardim.

Comentários

Anónimo disse…
Quem é o Vasco Graça Moura?
...
Conheci um Vasco Granja dos desenhos animados... mas não deve ser o mesmo?...
e-pá disse…
VGM é um escritor, dramaturgo, poeta e tradutor...

Quando se mete na política, ou no comentário político, torna-se um persistente insulto à inteligência.

É a personificação do ditado popular:
"Não vá o sapateiro além da chinela"

Niguém serve para tudo!

Continuamos a precisar de boas traduções poesia, da prosa, de ensaios e das suas excelentes traduções literárias...
don pirlo disse…
O Vasquinho é um tipinho do PPD. Que tem muitas estórias para se contar...
Não recomendo.
Anónimo disse…
«A ONU não presta para nada»

Dito por um deputado do parlamento europeu, alguem lhe deveria responder se «O PE serve para alguma coisa»?
Refiro-me ao PE de VGM. E já agora do seu herói 'cherne'.
BM

Mensagens populares deste blogue

A lista VIP da Autoridade Tributária