Ateísmo, religiões e liberdade

O ateísmo, ao contrário das religiões, não cria pessoas boas ou más, enquanto as últimas moldam  o seu carácter e as levam a praticar atos da mais sublime bondade ou da mais degradante abjeção.

O Estado Islâmico assassina e tortura segundo a vontade de um ser imaginário, tal como outrora o fez o cristianismo das Cruzadas, da Evangelização e da Inquisição e, ainda hoje, o faz o sionismo judaico.

Há crentes e ateus entre os maiores criminosos da História recente. Dos primeiros, sem necessidade de recorrer ao fascismo islâmico, destacam-se Mussolini, Franco, Pinochet, Videla, Somoza e o padre Tiso, sendo Hitler designado por crente ou ateu, conforme as conveniências. Nos ateus sobressaem Estaline, Enver Hoxha, Ceauşescu, Mao, Pol Pot e Kim Il-sung. Estão bem uns para os outros.

O ateísmo dos democratas tem na Declaração Universal dos Direitos Humanos o padrão para definir a bondade do ateísmo e da crença de cada um. São correligionários os que a respeitam e adversários os que a renegam ou não a subscrevem. O mundo não se divide entre crentes e ateus mas entre quem partilha os valores civilizacionais herdados do Renascimento, do Iluminismo e da Revolução Francesa e os que se lhe opõem.

Há ateus nazis, xenófobos, racistas e misóginos à semelhança do pior que nos legaram os monoteísmos.  Não deixa de ser ateia essa gente desumana tal como não deixaram de ser cristãos nazis e fascistas e os que se lhe opuseram na Resistência.

Há boas razões para se combaterem as religiões, sem as confundir com os crentes, a sua falsidade e a sua nocividade, mas usar nesse combate as mesmas armas dos combatentes do Estado Islâmico, por exemplo, é repudiar a civilização de que nos reclamamos.

Comentários

Jaime Santos disse…
Alguem que eu conheco recebeu uma estudante iraniana que lhe perguntou se deveria, no Pais Ocidental em questao, usar ou nao o seu lenco pela cabeca. Este meu colega respondeu-lhe que a diferenca entre um Estado Teocratico e um Laico nao e que num seja obrigatorio usar um lenco pela cabeca e no outro isso seja proibido, mas justamente, que no segundo as pessoas dispoem de Liberdade de Escolha... Esse simples principio iluminista a que o Carlos alude.
Jaime Santos:

O exemplo que trouxe é a melhor ilustração possível da diferença entre um Estado laico e um teocrático. Obrigado.

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

Efeméride – 30 de outubro de 1975