A Escola de Quadros do CDS

A formação política dos quadros do CDS, a avaliar pelas notícias da comunicação social que, nos últimos tempos, o apadrinha, não se limita à formação universitária e a cursos intensivos nas madraças da sua juventude partidária. Também faz seminários.

“O futuro da Europa” vai ser o próximo tema, destinado à formação política dos jovens militantes e decorre em Peniche, de ontem a domingo, tendo como convidado especial Marques Mendes e vários ‘independentes’. O encerramento do curso ficará a cargo da Dr.ª Cristas.
 
É essencial que o CDS reflita sobre a Europa, pois o seu ceticismo já o levou à expulsão do Partido Popular Europeu (PPE), onde regressou com o apoio de Durão Barroso para poder integrar o Governo, quando o PPE ostracizava partidos nacionalistas, xenófobos, racistas e misóginos.

Peniche, pelo arrepio que causa o presídio onde foram torturados e longamente presos destacados antifascistas portugueses é um bom local de reflexão para o partido que não sentiu necessidade de existir durante a ditadura salazarista.

O Forte de Peniche, local sinistro da ditadura, há de interpelar os jovens militantes, que aspiram a uma carreira política, sobre a Europa que querem: a que sonharam Adenauer, Churchill, De Gasperi, Paul-Henri Spaak, Schuman, Jean Monnet e outros, ou a que pretendem Le Pen, Órban e Salvini. Identificam-se com o que pensavam os fundadores do CDS ou com o que pensam os conselheiros nacionais que declararam apoio a Órban?

Se os últimos são o modelo que os inspira, a próxima pós-graduação será no Tarrafal, cuja reabertura se deve ao seu ex-presidente cuja longevidade lhe conferiu o estatuto de senador.
 
É irónico ver jovens do CDS a caminho de Peniche, não para homenagearem as vítimas do fascismo, mas para aprenderem a moldar a Europa que querem. Da próxima vez não dispensam Sousa Lara, o impenitente censor de Saramago que interpretou a “falta de senso e de gosto” do governo de Cavaco que o agraciaria, quando foi PR, com o mais elevado grau da Ordem do Infante D. Henrique, indiferente às infamantes acusações de que o agraciado fora alvo no processo da universidade Moderna.

Sousa Lara é uma celebridade das sacristias e do Largo do Caldas, e a glória do partido que votou contra o SNS, o planeamento familiar, a Lei de Procriação Medicamente Assistida (PMA), a despenalização do aborto e a introdução da pílula do dia seguinte.

Os portugueses não sabem o que pensa o CDS da Europa, mas, pelo menos, gostariam de saber o que pensa de Portugal. Sabe-se que odeia a esquerda, qualquer esquerda, mas ignora-se a que direita pertence.

Apostila – Por ironia do destino, foi ontem a enterrar o cor. Gertrudes da Silva, o capitão de Abril que comandou a poderosa força que saiu de Viseu, juntou as companhias de Aveiro e Figueira da Foz e, a caminho de Lisboa, neutralizou a defesa do Forte de Peniche, onde deixou uma companhia a cercá-lo. O CDS não guardará o minuto de silêncio nem proporá na AR o voto de pesar que dedicou ao cónego Melo.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Vasco Graça Moura

A lista VIP da Autoridade Tributária