Dualidades…

O Governo, os meios de comunicação social e, o mais importante, os portugueses, variadas vezes (desde o início da presente crise) mostraram a sua indignação pelas notações das agências de rating em relação a Portugal.

Ontem, as três principais agências (Moody’s, Standard & Poors e Fitch) tinham um iníquo e poderoso comportamento, tendo assumido o papel de influentes e decisivos ‘actores’ políticos e influenciam de modo determinante os invisíveis ‘ mercados’ (incluindo o BCE na aceitação de colaterais). Têm sido uns verdadeiros algozes, nomeadamente, para os países europeus economicamente mais débeis (também denominados de 'periféricos').
Muitos políticos portugueses (link; link; link; link; …) criticaram, ao longo dos últimos anos, os critérios (de risco) dessas agências de rating, sugerindo inclusive, incontornáveis conflitos de interesses, intromissão abusiva na política e, finalmente, a necessidade de criação de uma agência europeia.

A mesma Moody´s cavalgando a crise sugeria, em 2010, ‘cortes mais ambiciosos’ para serem atingidas as metas orçamentais (3% do PIB em 2013) link. Pouco depois da entrada em funções deste Governo (Julho 2011) a agência Moody’s ‘atirou’ a notação de Portugal para o nível “lixo” (Ba2), link onde permanecemos (embora acalentando a esperança de ‘regressar’ aos mercados em 2013!).

Bastou, hoje, a Moody’s declarar (uma comunicação sem consequências na notação): Há “espaço para optimismo” no programa de Portugal… link, para que os comentadores 'orgânicos' e os políticos da maioria começassem a embandeirar em arco.
Contentam-se com pouco. Mostram um intolerável 'dualismo de personalidade' (enquanto repertório comportamental e cívico) que não nos credibiliza perante o Mundo, nem ajuda a ultrapassar os problemas com que nos debatemos no seio de uma Europa em profunda convulsão.

Comentários

epá eu já percebi pá que de economia pá percebes menos pá que de mercúrio na dentadura e no SNC (não con fundir com SNS que é pae e mõe da ordem dos serra-ossos)

A Esgraçadinha da Grécia é a 26ª inconomia mundial já teve melhor é claro e pedia menos emprestado
A Moodys quando andava em 1999 no pitrólio baratuchho

os eua tinham 33% para 23% em 2011 do saque

a eurropa de 35% para 25%

os 20% do saque que perderam nestes anos

pediram emprestado ós mercados

compris?

é que senão compris ê morro cá em casa
quir a um esculápio de bakchich
e bir de lá estropeado

eh pá preferia ir ao enfermeiro militar da covilhã que boçês arriaram por operar bem demais com papéis de uma gaija doutorra na ordem da ...estupidez?

ou é o excesso de cobres na bolsa que impedem ana lises...
auto-lyseis

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime

Tunísia – Caminho da democracia ou cemitério da laicidade ?