Editorial Moura Pinto

Em 1995, em Arganil, nasceu uma editora com objetivos pedagógicos, sob os auspícios de livres-pensadores que tinham por objetivo promover os valores da ética republicana, a laicidade e a democracia.

Pode dizer-se que ao longo de mais de duas décadas nunca traiu os objetivos de quem a fundou e continua a dar-lhe vida, de forma generosa, sem esperar outra recompensa que não seja a da própria consciência.

Hoje, domiciliada em Coja, uma vila onde as águas cristalinas do Alva refletem o olhar límpido de Fernando Vale, que as contemplou durante mais de um século, a Editorial Moura Pinto persiste em dar voz aos valores que, desde sempre, a inspiraram. De algum modo é a continuadora do pensamento dessa grande figura cívica e democrática que foi o médico e humanista Fernando Vale.

A Editorial Moura Pinto é a trincheira contra o esquecimento dos valores republicanos, laicos e democráticos. Ano após ano, livros e folhetos, debates e exposições, jornais e panfletos avulsos, são a voz dos valores de sempre e, não raro, convoca cidadãos para comemorações cívicas do melhor que a História nos legou e o futuro exige.

Recordar a sua fundação é agradecer aos ativistas que me deram a honra de me associar ao projeto, que persiste, e reiterar os votos de que não esmoreça o entusiasmo que os anima e, em conjunto, continuarmos a caminhada por valores que valem a pena.

Quando a vida associativa vai definhando, vítima do egoísmo de muitos e do cansaço de alguns, é preciso atrair outros para o árduo caminho da sementeira que honradamente a Editorial Moura Pinto vem fazendo, na certeza de que as ideias florescem e os frutos surgem.

Liberdade, Igualdade e Fraternidade foi, é, e será sempre a nossa divisa, e um programa comum aos anseios e à prática da Editorial que nos esforçaremos por continuar.

(Texto publicado no jornal comemorativo do aniversário da Editorial Moura Pinto)

Carlos Esperança

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime