Vamos combater a crise 7

Este texto circula na Net:

Orçamento 2005, (...)

Em relação aos postais anteriores, relativos às dotações orçamentais dos gabinetes dos ministros, quando soube desta notícia, fiquei chocado, mas com uma dúvida:200 milhões de euros, é muito dinheiro, e não consigo imaginar quanto, sem possuir um termo de comparação. Tentei por isso comparar estes gastos com outros de caráter similar.

O primeiro que escolhi, e que me deu a primeira luz sobre o assunto, foi a dotação orçamental da presidência da republica para o ano de 2005.

Esta dotação que cobre os gastos de Sampaio, o seu staff, a manutenção do Palácio de Belêm, as viagens e os vestidos de Maria José Rita é de 13.325 milhões de euros.

O valor atribuí­do à presidência da república para 2005, pode-se considerar até espartano quando comparado com as dotações orçamentais dos ministros da república dos Açores e Madeira que é “ mais de 200 milhões de euros para cada um, e com a dotação orçamental do gabinete do ministro da defesa que é de 159 milhões de euros, dotação essa, que o sucessor de Paulo Portas, presumo que tenha herdado sem questionar.

Mas esta comparação não me deixou satisfeito, precisava de arranjar mais um termo de comparação. Tentei saber quanto custa Chirac ao estado Francês, mas a busca foi infruti­fera.
A mesma busca porém, direccionou-me para o
relatório de contas da Real Casa de Windsor, chefiada por Sua Majestade Fidelí­ssima Isabel II.

Fiquei logo a pensar que a minha depressão ia desaparecer, pois ao ler os gastos de Isabel II, pensei (lírico) que iria passar a considerar os nossos ministros da republica da Madeira e Açores, como uns pobres pedintes de pé descalço.
Da leitura do relatório de contas reais “ Royal Public Finances 2003-2004", fiquei a saber que:

A famí­lia real britânica possui 5 tipos de rendimentos:

- Lista Civil* Salários dos funcionários reais - 303 funcionários (2004)- Subvenções do Estado (Grants-in-aid)* Destinados à manutenção dos palácios reais, salários dos respectivos funcionários - 111 funcionários (2004) - e viagens de estado -- Privy Purse Rendimentos das propriedades particulares da Casa de Windsor- Riqueza pessoal e outros rendimentos- Despesas pagas directamente pelo estado*

* - Fundos públicos

Quando li os valores envolvidos o queixo caiu ao chão, eram verdadeiramente inacreditáveis, mas não no sentido em que estava a pensar:Em 2004, os gastos com dinheiros públicos foram os seguintes (Milhões de Libras):Lista Civil - 9.953Subvenções do Estado - 21.645Despesas pagas pelo Estado - 4.872Total de fundos públicos - 36.470
(53.993 milhões de euros)

NOTAS: As despesas das subvenções do estado destinam-se aos paácios reais ocupados, que são:- Palácio de Buckingham;- Palácio de St. James;- Clarence House;- Marlborough House;- Palácio de Kesington;- Palácio de Hampton Court;- Castelo de Windsor, seu parque e edifi­cios nele existentes.

Não acreditando no que estava a ver, pensei que tinha lido mal os números, faltam de certeza dois ou três zeros. Não! Afinal os meus olhos não me tinham enganado, lido e relido o relatório, os valores estão todos expressos em Milhões de Libras, aplicando a taxa de câmbio do dia de ontem (1£=1.4804945 €) verifiquei que toda a Monarquia Britânica custa ao erário público do Reino Unido uns módicos 53.993, ou seja 54 milhões de euros.

Resumindo, aquilo que o Reino Unido gasta com toda a famí­lia real, chega apenas para "alimentar" um gabinete do ministro da república, das nossas regiões autónomas, por um mí­sero trimestre e quatro meses do Gabinete do ministro da defesa.

Gostaria de saber como é que os Srs. Ministros da república dos Açores e da Madeira, justificam gastos anuais 4 vezes superiores aos da Sua Majestade a Rainha Isabel II.
É certo que viajam muito de avião, é certo que moram em palácios, mas estes palácios estão para Buckingham, tal como uma barraca da Cova da Moura está para os duplex da Torre de São Gabriel. E a Rainha de Inglaterra tem mais 6 palácios. A presidência da república representa apenas um quarto de rainha de Inglaterra.
Como cidadão, exijo uma explicação! Uma explicação por parte de quem elaborou este orçamento, por parte de quem obrigou à sua aprovação e por parte de quem tem, neste momento, a obrigação de o aplicar. Se esta explicação não for dada, o acto de fugir aos impostos não pode mais, ser considerado um crime, deve ser considerado um dever patriótico.
Para os mais cépticos, deixo aqui os links, para verem com os seus próprios olhos:"

Comentários

Anónimo disse…
Com socialistas destes o PS não precisa de inimigos.

De que lugar estaria à espera e que não obteve?
Ze esterco disse…
Acima de ser socialista este individuo era Português...e quer fazer justiça porque ele não tem que trabalhar para que certas e determinadas pessoas vivem á "chulice" do seu dinheiro..
Carlos Felício disse…
Ao anónimo:

Não é da minha autoria o texto que divulguei. Apenas exerci o meu direito de cidadania.

Ora o ze esterco disse tudo, não preciso de dizer mais nada.
Taxeira disse…
Amigo Felício

Lá porque circula na NET não passa a ser mais verdade e não legitima a sua publicação neste blog que, pelo menos, tenta passar uma imagem de alguma seriedade.

Esse texto começou a circular iniciado por um tal de "Patriota", da Figueira da Foz, que manda mails a tudo o que mexe e que gosta muito de falar grosso. Este texto foi logo desmontado por um texto que se seguiu quase de imediato.
Mas o meu caro amigo não deve ter recebido ou então apagou sem ler...

Deixo só um pequeno reparo que mostra as inverdades deste texto:

"Esta dotação que cobre os gastos de Sampaio, o seu staff, a manutenção do Palácio de Belêm, as viagens e os vestidos de Maria José Rita é de 13.325 milhões de euros"

Nesta frase onde está 13.325 milhões de euros deveria estar 13,325 milhões de euros... É diferente, não é?

O resto do texto é igualmente cheio de inverdades que são facilmente comprovadas.

Mas o meu amigo preferiu publicar logo em vez de tentar confirmar. O que era extremamente fácil...

Cumprimentos de um dos poucos que por aqui ainda se vai mantendo mas que começa a sentir-se muito só.
Independentemente da solidariedade que me merece um colaborador do Ponte Europa, regozijo-me com a explicação do «Taxeira» e corroboro as suas afirmações.
1313 disse…
Combater a crise?

Qual crise????
Anónimo disse…
...enquanto houver gente atenta para chamar à atenção dos mais desatentos, está tudo bem! Boa taxeira! Era evidente que nunca na vida poderia ser.
Há que ser ceptico...pensar um pouco com a cabeça, por vezes dá resultado!

Perene
Anónimo disse…
A gralha detectada talvez seja como esta:

Relatório Constâncio com erro

O relatório do Banco de Portugal tem uma «gralha» no quadro das cativações da despesa do Estado, que corrigida faz descer o défice previsto para este ano de 6,83% para 6,72%, avança a edição de hoje do Público.

Afinal de contas o tal felício tinha razão à uns tempos atrás, não andará ele mais atento!?
bm disse…
CFelicio:
Extracto de texto de um antigo ajudante da campo na PR (81/83), enviado a um semanário:
...
c) Cartaz numa escola militar: «O Exército é o espelho da Nação». Da Nação:
Na Presidência da República: se meia centena de altos e médios funcionários se justificavam no período de estabilização pós 25Nov75, gabinete, casa civil e casa militar, tal orgânica, num regime pouco presidencialista, é hoje totalmente anacrónica. Com um governo normal e suposto de eficiente e eficaz, um pequeno staaf para o protocolo, em vez de um governo sombra.
Na Assembleia da República: as sucessivas legislaturas e o elevado elenco em deputados, sucedem-se ano após ano com um resultado único – mais papel no DR. Sem eficiência que se note. Da legislação sobre o «Emparcelamento da Propriedade Rústica» aos trabalhos da «Comissão Parlamentar de Defesa». Metade, dois terços dos 230 deputados a trabalhar a tempo inteiro, com outro rendimento, resultados e economia –e um mês de férias.
...
Caro BM:

Estaria completamente de acordo com o seu pensamento se a redução do número de deputados não tivesse como consequência, a prazo, a eliminação dos pequenos partidos (PCP, CDS, BE) reduzindo, ainda mais, o pluralismo necessário.

Onde o regabofe se faz sentir é nos 308 concelhos à solta, nos milhares e freguesias e em duas Regiões Autónomas.

Um abraço.
Ze esterco disse…
Eu até concordo..desdeque houvessem pelo menos cinco deputados independetes e todos trabalhassem no verdadeiro sentido da palavra...cumprimentos...
Anónimo disse…
Citando Jan Neruda, "Quem não sabe nada, tem de acreditar em tudo".

E fico-me por aqui!
obser disse…
a verdade não é de direita nem de esquerda.....é apenas a verdade
Anónimo disse…
Looking for information and found it at this great site... » » »

Mensagens populares deste blogue

Nigéria – O Islão é pacífico…

A desmemória e a dissimulação

Miranda do Corvo, 11 de setembro