Querem Cavaco para PR ?

Comentários

e-pá! disse…
Não é o "negócio de favor" [para usar uma linguagem moderada] efectuado entre a família Cavaco e a SLN/BPN, em si mesmo, que deve indignar os portugueses.

O preocupante foi [e continua a ser], é a constatação do facto que o nosso sistema democrático, tenha permitido a criação de um sinistro lobby financeiro-partidário ["aquilo" seria mesmo um banco?] que, neste momento, para salvar a honra do convento, vai continuar a espoliar o Estado em milhões de euros [no fim do processo veremos a quanto monta] e usou ingénuos accionistas e incautos depositantes para montar um esquema do tipo da "pirâmide", que engordou alguns dos barões do núcleo político cavaquista, financiou campanhas políticas, perverteu o sistema bancário e frenou o estímulo às poupanças.

Por alguma razão, muitos políticos não gostam do conceito de "enriquecimento ilícito"...

Para tecer este "esquema" travestido de instituição bancária, foi só necessário "aproveitar" os anos em o cavaquismo governou o País. Depois foi, nos anos subsequentes, o fartar vilanagem, o investimento não produtivo, o favoritismo de grupo, o consumismo desvairado, o endividamento até aos cueiros, etc…
Este conúbio de interesses e a noção da acção de uma rede de favorecimentos de grupo [ou pessoais] que possibilitou o espantoso aparecimento no nosso País de uma prole de “novos ricos” e, em contrapartida, acentuou [alargou] o fosso onde mergulham “velhos & novos” pobres, é que deve assustar os portugueses...

Porque este “esquema” independentemente do apuramento das responsabilidades pessoais [ou de grupo] tem uma “marca” indelével: “cavaquismo”.
Este comentário foi removido pelo autor.
As más acções

OS LEITORES que, nos tempos do PREC, já eram crescidos, talvez se recordem do que adiante vou referir, e que na altura acompanhei de perto. Aqui vai, esperando que a memória não me atraiçoe demasiado.
.
NUMA altura em que 'toda a gente' ganhava dinheiro na bolsa, Sá Carneiro pediu dinheiro emprestado a um banco e comprou acções com ele. Pouco depois, deram-se as nacionalizações, e ficou sem poder obter as mais-valias com que contava - nem devolver o dinheiro. Teve, então, a ideia de entregar ao credor, como pagamento, as referidas acções.
Nesse seguimento, o jornal «O Diário» pegou no assunto e, durante semanas (ou meses?), fez dele 1ª página, com tudo documentado - até ao pormenor de incluir fac-símiles de extractos bancários. No entanto, isso não impediu que Sá Carneiro obtivesse, logo a seguir, uma maioria absoluta. Porquê?

Possivelmente, porque a maior parte do povo se estava nas tintas para as actividades accionistas dos políticos - mesmo os de topo; e outra parte achou que Sá Carneiro fez muito bem.

Ora palpita-me que, no caso de Cavaco (com as acções do BPN que comprou barato ou vendeu caro, - já não sei) vai suceder o mesmo, até porque não se vêem os candidatos a discutir os verdadeiros problemas que nos afectam: coisas como a dívida e o desemprego, p. ex.

Mas já falta pouco para o sabermos.
e-pá! disse…
Caro Carlos Medina Ribeiro:

Temos que ter em atenção três factos:

1º.) Não vivemos num PREC [mas sim numa situação próxima da insolvência financeira - orçamental e da dívida soberana - cuja responsabilidade não pode ser alijada do comportamento do mundo financeiro e, consequentemente, de múltiplas "negociatas" deste tipo];

2º.) Os portugueses por mais distraídos que andem, ou por mais complacentes que sejam, não chegam ao ponto de pôr uma "raposa" a guardar um galinheiro... [é que agora doí a muitos!];

3º.) Cavaco Silva não é Sá Carneiro [nem anda lá perto!];
Carlos Medina Ribeiro:
Também penso que o caso das acções do BPN não influenciam os resultados eleitorais.

O mesmo sucede com as escutas de Belém que, a terem origem no recandidato (ele nunca as esclareceu) o tornam indigno do cargo.

Pessoalmente estou certo de que Cavaco vai ser eleito à primeira volta mas a nódoa no carácter não precisava da denúncia à PIDE da sogra-madrasta.

Há demasiada pusilanimidade para que os portugueses a ignorem.
e-pá! disse…
CE:

Alguma razão haverá para que a candidatura de Cavaco Silva pretenda encerrar a todo o transe o "caso BPN".
Cavaco Silva precisa de continuar a exibir aquela imagem íntegra de homem que nasceu duas vezes, mas já não é a mesma coisa...

Nos próximos tempos vai zurzir nas políticas governamentais... apoiado, ao retardador, pelo PSD e CDS.

O "caso BPN" terá precipitado os timings tácticos estipulados, provocando a aceleração do processo conducente à queda do Governo [um plano B que poderá passar pelo FMI...].
Estou convicto de que estas duas semanas vão revelar muita coisa...
e-pá! disse…
Adenda:

Cavaco Silva poderá vencer as eleições, apesar do "caso BPN"?

Poder, pode. Mas não é a mesma coisa!
E - Pá:

«Cavaco Silva poderá vencer as eleições, apesar do "caso BPN"?

Poder, pode. Mas não é a mesma coisa!»

E Passos Coelho ficará mais livre da tutela de quem perdeu o respeito com o caso das escutas (o mais grave), da ficha da PIDE e do BPN.
e-pá! disse…
CE:

"E Passos Coelho ficará mais livre da tutela de quem perdeu o respeito com o caso das escutas (o mais grave), da ficha da PIDE e do BPN."

Passos Coelho está demasiado "verde" para dar o "grito de Ipiranga"...

Portugal vai ficar submerso na mais pungente mediocridade... o que não sendo novidade, não deixa de ser trágico.

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

Efeméride – 30 de outubro de 1975