Parabéns Sr. Presidente Aníbal Cavaco Silva

Percebe-se como foi difícil substituir Soares e Sampaio, duas referência da resistência à ditadura e cidadãos de enorme cultura cívica e política. Ninguém podia esperar que tão elevados padrões de patriotismo se eternizassem, e o País tornou-se mais indulgente.

A História é feita de grandes vultos e de pessoas vulgares, de quem foi preso e torturado sem lhe arrancarem uma confissão e de quem voluntariamente lhe adiantava nomes; de quem arrostou o exílio e de quem se acomodou à ditadura, de quem sacrifica tudo pelos nobres ideais e de quem tem ideias para ganhar a vida e proteger a família.

Uns foram perseguidos, difamados, demitidos da função pública ou deportados, outros aproveitaram as portas que se abriram.

A partir de hoje, V. Ex.ª é de novo PR, eleito à primeira volta, por vontade do povo. Merece-o porque teve de sujeitar-se a eleições, embora as considere caras, e porque é apanágio da democracia o sufrágio universal e secreto que o reconduziu no cargo.

Claro que o caso das escutas, uma ameaça ao Estado democrático, exige as explicações que recusou dar, certamente para proteger a reeleição, mas de que a dignidade do cargo não pode prescindir. Basta para o diminuir o caso das acções da SLN e os intervenientes nesse lucrativo negócio quando era – segundo as suas palavras – um mísero professor.

Felicitando-o pela reeleição peço-lhe, pela nobreza do lugar que ocupa, que dê ao país esclarecimentos sobre o suspeito contrato da casa da aldeia da Coelha, sobre as obras feitas antes de estarem autorizadas, sobre o IMI pago (?) e eventuais mais-valias de um negócio nebuloso que a primeira figura do Estado não pode deixar com dúvidas sobre os contornos de estranhas permutas, valores suspeitos e parca documentação.

A honestidade de V. Ex.ª nunca esteve em causa, o que está em dúvida é o crédito que ela merece se continuar a furtar-se ao que, para leigos, parece ser um caso de polícia.

Não podendo ter um presidente de elevado gabarito intelectual e de assinalável cultura, apesar de catedrático de Literatura pela Universidade de Goa, o país precisa de saber que tem um PR alheio aos biltres que vigarizaram o País com a SLN e as negociatas de terrenos que obrigaram à transferência do aeroporto da Ota.

Comentários

Manolo Heredia disse…
Parabéns uma óva! sínico!
Manolo Heredia:

«Parabéns uma óva! sínico!»

Limitei-me a cumprir a praxe democrática sem erros de ortografia.
a esquerda unida foi derrotada por um comedor de bolo rei...
septuagenário disse…
Atiremos com Defensor Moura às canelas de Cavaco!

Defensor, génio político!

Aos 12 anos já participou na campanha de Humberto Delgado.

Criança prodígio!
Septuagenário:

Eu devia ter 14 anos e escrevi a Arlindo Vicente a felicitá-lo.
septuagenário disse…
Carlos Esperança,

mais avaria fiz eu que fui pela mão de meu pai até à escola da parvalheira, e fiquei à porta enquanto meu pai votava nas eleiçóes de Norton de Matos!

Só não escrevi ao N.Matos porque nem o conhecia.

Mas a preocupação de cada idade tem o a sua vez.

Quando assim não é, ou somos prodígios ou há algum trauma!

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido