"Angelicais" e precoces avisos…

Embora o PS tenha vencido as Legislativas de 2009 [com uma maioria relativa] nos restantes actos eleitorais [autárquicos, europeu] em que participou sofreu derrotas sucessivas e expressivas. Nas últimas duas eleições presidenciais, embora o PS não possa ser linearmente envolvido, repetiu-se o mesmo cenário e será, politicamente, difícil autonomizar estes factos políticos. Eles, não põem em causa qualquer tipo legitimidade democrática, mas têm um efeito abrasivo sobre a influência PS no tecido político nacional. E o actual Governo, suportado pelo PS, "apanha por tabela", embora os desaires eleitorais referidos sejam estranhos à governação. Sob um intensa usura política derivada da crise económico-financeira e social, os recentes resultados eleitorais aprofundam a sua debilidade política.

Cavaco Silva venceu estas eleições mas, pessoalmente, saí fragilizado. A sua “aura” de espartana independência perante o poder económico e financeiro foi, no mínimo, beliscada. Sendo assim, a Direita que se congregou à volta do actual presidente, cedo aparecerá para colher os louros políticos e apoderar-se da vitória. A retórica de Passos Coelho, expendida no rescaldo eleitoral, de que não fazia uma "leitura partidária" das presidenciais é uma tirada para consumo externo.

Significativas são as declarações produzidas [hoje] por Ângelo Correia [um "ideólogo" da actual direcção do PSD] sobre a reeleição de Cavaco Silva: "Espero que dê tolerância mínima em relação aos erros do governo durante este segundo mandato"… i online. pt
Do apelo à "tolerância mínima" à intolerância [pura e dura] a fronteira será muito ténue ou nem sequer existirá… E... não são decorridas 48 horas do "acto".
Vivemos, deste modo, os primeiros dias de "estabilidade"...

Comentários

Eu,um simples operário emigrante na Holanda desde 1964 e já velhote
(quase87anos,a minha opinião é a de
que o PS e o PSD são como dois irmãos gémeos que se guerreiam na disputa da herança da Quinta que é Portugal,pois a Política de ambos
pouco difere uma da outra e a polémica entre êles é académica.
Ambos apoiam a Política emanada de
Bruxelas e são apoiantes da Horda mercenária da NATO e de suas guerras sujas.A Direita(PS;PSD e CDS/PP)continua tendo a maioria na Assembleia da Rèpública e resta à Esquerda a missão de continuar esclarecendo o Povo para que veja
quem lhe atira as pedradas e em vez
de morder a pedra,deve morder quem a atira.
Mas,porém,todavia,contudo.....

Com populismo e demagogia/muita mentira,verdade parece/mas em liberdade e democracia/o Povo tem o Governo que merece.

De Boliqueime também sou eu/mas não
alinho com Cavaco/sou filho da Plebe,sou plebeu/sou um algarvio de pataco.

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido