O que levou Marcelo a denunciar a Revolução?

Marcelo Nuno, PR, deu uma entrevista telefónica à jornalista Alexandra Tavares-Teles, na revista Notícias Magazine, suplemento dominical do DN, recordando, ‘como viveu o 25 de Abril’, data que amanhã se celebra.

O PR, refere a resposta que deu ao pai, um influente ministro da ditadura, depois de este lhe ter dito que Marcelo Caetano lhe garantira que vinham a caminho de Lisboa tropas fiéis ao governo. Marcelo afirmou: «Disse-lhe o que sabia. ‘Não, pai, não vêm forças nenhumas, não pensem nisso, isto está a correr rapidamente. Acabou.’»

E a jornalista perguntou-lhe: «De onde vinha essa certeza?»

Marcelo respondeu com aquela candura que usa na intriga e nos afetos:

- O António Reis [militante e dirigente político ligado ao PS] tinha-me avisado da proximidade do 25 de Abril com alguma precisão. E embora o meu pai fosse dos membros do governo teoricamente mais bem informados, percebi, naquele momento, que, de facto, estava muito pouco informado. Penso que ele terá transmitido a informação a Marcello Caetano e que este terá respondido: “Esse Marcelo Nuno só traz más notícias. Isso são coisas do contra». *

Não sei o que mais admirar, se a insensatez do jovem político António Reis, a devoção filial ao ministro fascista ou a maldade da denúncia da Revolução ao governo e a traição à (in)confidência do amigo.

Aliás, era interessante saber quando foi «aquele momento», o da indiscrição de António Reis a Marcelo Nuno ou o da delação ao governo, através do [pai] ministro de Caetano.

Felizmente, Marcelo Caetano não o levava a sério.

* In Notícias Magazine, 22 de abril de 2018, pág. 20, 3.ª coluna.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Os incêndios e a chantagem ao Governo

O último pio das aves que já não levantam voo