Trumpismo* para armas

Quando várias crianças de uma escola americana foram mortas a tiro por um homicida tresloucado, Trump lamentou que os professores não estivessem armados, para defesa sua e dos alunos. Uma escola sem armas é como a casa de Trump com livros.

Há dias, um militante nazi, com a raiva antissemita, assassinou 11 judeus que rezavam numa sinagoga de Pittsburgh, nos EUA. Trump, de novo, lastimou que o templo não estivesse armado, para os crentes se defenderem. Deviam levar a Tora numa das mãos e na outra a arma.

Não sei se o devoto, que publicamente explicita a fé, conhece alguma técnica para rezar de arma na mão ou celebrar o ritual de metralhadora, com a bala na câmara. Eu próprio, que, durante dois anos, tive a amarga experiência de andar sempre armado, dependurava a G-3 nas costas da cadeira para comer, na barra da cama para dormir, e pousava o cinto das cartucheiras, quando me sentava a uma das mesas do Café Planalto, em Vila Cabral, ou tinha de me recolher à privacidade das diversas necessidades diárias.

Aquilo que julgava a exótica demência dos conservadores americanos ou do desvairado Duterte, nas Filipinas, torna-se a normalidade. Jair Bolsonaro, recém-eleito PR do Brasil, um fascista tropical, que deseja o criacionismo ensinado nas escolas, quer armar todos os adultos para evitar a onda de criminalidade e a vaga de assassínios.

A argúcia do torturador da ditadura militar é assombrosa. Se cada pessoa matar um, em breve serão exterminados todos os assassinos. Entre gente de cultura a palavra é a arma, entre boçais a arma é a palavra a que recorrem.

Bolsonaro, a bolçar inanidades, tem o mérito de lembrar a este sólido ateu uma das mais belas peças oratórias da língua comum, ‘O Sermão aos Peixes’ do padre António Vieira, que pregou em terras do Brasil e que, tendo em vista os homens, referia os peixes que se comiam uns aos outros, numa implacável alegoria aos vícios e maldades humanas.

Quem sabe se o grande paladino da língua portuguesa não evocaria hoje os répteis, a pensar em Trump e Bolsonaro!

*Trumpismo = Trump + tropismo.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Divagando sobre barretes e 'experiências'…