É preciso descaramento!

1 – O CDS a pedir a demissão do ministro da Defesa por falha de uma unidade militar, quando não a pediu no roubo de metralhadoras G3 na Carregueira ou quando se soube, via governo da Alemanha, que houve suborno na venda dos submarinos a Portugal. Bem sabemos que era outro o ministro!

2 – O silêncio dos juízes perante o despautério da ASJP lesa o respeito e confiança que merecem. A chantagem e as ameaças ao Governo e ao regular funcionamento das instituições democráticas são incompatíveis com as funções e a dignidade de titulares de um órgão de soberania de que se espera que seja o último reduto do Estado de Direito.

Comentários

e-pá! disse…
O CDS de Cristas ainda não percebeu onde se meteu.
Primeiro, 'indignou-se' com as férias do Primeiro-Ministro não entendendo que essa atitude (política e não de mera vilegiatura) a pôs no palco a 'falar sozinha'. Transformou a 'jogada' numa espécie de 'Monólogo do Vaqueiro' que, na ausência do público esperado, teve de ir penosamente representar na 'corte' de Belém.
António Costa ao ausentar-se temporariamente da cena política pretendeu dar espaço e tempo a aquilo que sempre defendeu: um apuramento cabal dos factos, uma investigação séria e, finalmente, uma retirada de consequências que contenha 'soluções de futuro'.
Chegado de férias, o Primeiro-Ministro, revelou o inevitável - reafirmando a confiança política nos ministros visados pelo CDS - e deixou a Assunção Cristas como única possibilidade de salvar a face a apresentação de uma 'moção de censura' ao Governo.
Cristas sabe - porque são públicas - que um dos eixos desta solução governativa (as 'posições conjuntas') é a rejeição liminar de um moção deste tipo, i. e., vinda da Direita.
O que será mais difícil é saber qual o nível de desgaste político que essa chicana causará nas hostes centristas e, mais remotamente, na Oposição. Portanto, o tiro saiu-lhe pela culatra, não colheu - por manifesta extemporaneidade, leviandade e ausência de concertação prévia - a solidariedade (cumplicidade) que esperava do seu companheiro de Direita (PSD).
Vamos ver como Cristas descalça a bota no debate do Estado da Nação.

Mensagens populares deste blogue

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Nigéria – O Islão é pacífico…

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …