O PSD e a Câmara de Loures (PSD + CDS)

Agora percebe-se melhor a falta de espaço para um partido neonazi, mas não se esperava que o PSD de Sá Carneiro, Magalhães Mota, Pinto Balsemão e Mota Amaral chegasse a este estado com Passos Coelho.


Comentários

António disse…
Passos veio legitimar o discurso radical de direita saudosista, sob capa de neoliberalismo; como se não chegasse, veio agora dar mecha ao discurso populista racista, legitimando o sempre latente radicalismo xenófobo dos que, por exposição directa aos problemas sociais e por falta de cultura (num sentido geral), estavam apenas à espera de quem os despertasse.
É mais um notável contributo deste político para o resvalar deste país para a guerra civil [até aqui piegas v. empreendedores-"bate punho", jovens v. "peste grisalha", público v.privado].
Talvez acabe por ganhar a guerra, já que apoio mediático incondicional e bastante militante não lhe tem faltado, nem pelos vistos lhe vai faltar.
e-pá! disse…
O que o PSD de Passos Coelho mostra em relação ao 'seu' candidato à Câmara de Loures não é uma novidade.
No âmago da crise, como devemos guardar na memória, os mesmos figurantes trataram da mesma forma, e com a agravante de estarem a exercer o poder, os destinatários dos apoios sociais, p. exº, os beneficiários do Rendimento Social de Inserção (RSI).
Para os 'rapazes de Passos' (boys) esses portugueses que viviam (e ainda vivem) tremendas dificuldades, aqueles que estavam (ou continuavam) a ser atirados para a mais aviltante pobreza, não passavam de 'chulos' do Estado...
Ora, esta é a mesma bitola, em tempos diferentes. Muitos portugueses devem lembrar-se que em plena crise e com o desemprego em números astronómicos o número de beneficiários do RSI caiu para metade. O então vice-primeiro-ministro Paulo Portas, no Parlamento, 'justificou' esta abrupta descida porque teriam sido eliminados os que tinham uma conta bancária superior a 100.000 euros link . Querem maior efabulação?
O que nunca os ouviremos dizer é que os grandes empresários ou, se quisermos, os inomináveis 'patrões' e os usurpadores 'rentistas', que têm lugar cativo à mesa do orçamento de Estado e paralelamente ainda beneficiam de todos os perdões (fiscais inclusive), são uns 'chulos'...

Mensagens populares deste blogue

Nigéria – O Islão é pacífico…

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …