AINDA A TOLERÂNCIA DE PONTO PAPISTA

Já foi amplamente demonstrado neste blog que a tolerância de ponto concedida pelo Governo a propósito da visita papal é absolutamente injustificável e inadmissível, em termos políticos e até em termos jurídicos, pelo que me dispenso de repetir a demonstração.

Quero apenas sublinhar que o caso, importante em si mesmo, é ainda mais importante por aquilo que significa e revela: a completa desmoralização, a degenerescência e o vazio ideológico em que caíu a soi-disant "esquerda".

Dizia Marx, no século XIX, que "a religião é o ópio do povo". Agora vemos, em pleno século XXI, um governo que se pretende republicano, socialista e laico traficar com esse estupefaciente estupidificante.

A direita, como é compreensível, rejubilou.

Mas o que já não se compreende é que os que se pretendem arautos da esquerda e herdeiros de Marx se remetam a um silêncio cúmplice. Com efeito, não se ouviu qualquer protesto vindo das bandas do PC e do BE. O PC nem sequer se deu ao trabalho de mandar protestar os "Verdes", esses idiotas úteis que tem sempre à mão para dizerem aquilo que a ele, PC, não convém dizer.

Que tristeza! Que "austera, apagada e vil tristeza"!

Comentários

Pai de Familia disse…
Pois sim.

Por essa lógica, estais prontos a abdicar dos feriados religiosos, a bem da "laicidade" do Estado?

Eu, por mim, e muitos outros, estaremos prontos a abdicar, por exemplo, do 25 do A.

Mensagens populares deste blogue

Vasco Graça Moura

Notas sobre a crise venezuelana…