Momento de poesia


Dissertação sobre o meu nascimento…



Quando eu nasci

no mês de Maio

a vinte e cinco

do ano de quarenta e quatro

minha mãe disse

que o sol dera duas voltas

e a lua andava aluada

tal como a cadela

que passou o dia a ganir

nessa noite os astros fizeram greve

e até uma senhora

vestida de branco aterrou

numa figueira, lá no quintal,

julgando ser uma azinheira

alguém a viu estatelada no chão

a praguejar contra a triste sorte

e a rezar orações estranhas

então a parteira, depois do susto,

virou-me de cabeça para baixo

para eu começar a chorar

e foi nesse momento que falei,

pela primeira e única vez,

a dizer que não queria ser santo,

guerreiro, nem banqueiro,

para não conspurcar o mundo

minha mãe julgou que eu

não iria sobreviver…

Alexandre de Castro

Lisboa, Maio de 2010

Comentários

Graza disse…
1º de Maio, 13 de Maio, 28 de Maio... que mês! :))

Um grande abraço de Parabéns Alexandre.

Mensagens populares deste blogue

Vasco Graça Moura

Notas sobre a crise venezuelana…