Cumplicidade de Ratzinger

Dois antigos seminaristas mexicanos foram ao Vaticano em 1998 para reportar pessoalmente sobre um caso que envolvia décadas de abuso sexual por um dos mais poderosos líderes da Igreja Católica, o reverendo Marcial Maciel Degollado.

Quando partiram, encontraram o homem que um dia teria o destino de Maciel em suas mãos, o cardeal Joseph Ratzinger, e beijaram-lhe o anel. O encontro não aconteceu por acaso. Ratzinger queria conversar com eles, de acordo com declarações posteriores de testemunha, e o caso que apresentaram não demorou a ser aceito.

Contudo, pouco mais de um ano depois, surgiu a notícia de que Ratzinger – o futuro Papa Bento XVI – havia suspendido a investigação. “Não é prudente”, ele havia dito a um bispo mexicano, de acordo com duas pessoas que conversaram com o bispo posteriormente.

Comentários

e-pá! disse…
Também, muita gente, não acha prudente B16 vir a Portugal, nesta altura do campeonato...

Não é?

Mensagens populares deste blogue

Vasco Graça Moura

Notas sobre a crise venezuelana…