Laicidade – O que esconde o Burkini? _ 2

Refletindo sobre perigos religiosos, convém referir que o Wahhabismo é um movimento muçulmano ortodoxo e ultraconservador, referido como ‘seita’ do islamismo sunita.

Ligado à formação da Arábia Saudita, está na vanguarda do fundamentalismo islâmico e é a raiz ideológica do Estado Islâmico, que pratica uma interpretação literal do Corão.

Aliás, a Arábia Saudita, é o berço e o patrocinador do terrorismo islâmico a nível global, e o exportador do Wahhabismo. As suas enormes reservas de petróleo e baixo custo de exploração sustentam uma família real corrupta e corruptora e a uma teocracia cruel que financia, com biliões de petrodólares, partidos políticos nos EUA e na Europa, enquanto submete as mulheres a condições impiedosas, mesmo para padrões islâmicos.

Um dia saber-se-á por que motivo os quatro execráveis Cruzados (Bush, Blair, Aznar e Barroso), face ao crime financiado, organizado e cometido por sauditas contra as Torres Gémeas de Nova Iorque, decidiram, perante o clamor público, retaliar contra o Iraque.

Ontem, no jornal Libération, o editor egípcio Aalam Wassef previne contra a influência do Wahhabismo, também conhecido por salafismo, hoje indiferenciável (embora tenha origem e passado diferente), cujo burkini é um dos símbolos femininos.

Wassef, num artigo bem documentado e ponderado, defende a interdição do burkini por autarcas da Córsega e de Cannes, afirmando que fizeram o que deviam. Denuncia, aliás, o ‘Coletivo Contra a Islamofobia em França’ (CCIF), que acusou os referidos autarcas de islamofobia, de ter o direito, por opção ou ignorância, de se associar ao Wahhabismo, e ao Estado francês o direito e dever de defender o conjunto dos seus cidadãos.

O Wahhabismo é uma seita que apela ao martírio, ao terrorismo cego e ao proselitismo demente, baseada no Corão e na Suna. Quer impor a sharia e submeter ou matar todos os que rejeitam a sua interpretação. Sendo o mais jovem e rico ramo do Islão, nascido na Arábia Saudita e com metástases no Qatar e no Kuwait, tem o poder e projeção para semear o terror a nível global.

Não podemos andar distraídos. O burkini esconde o Wahhabismo.

                                               Ponte Europa / Sorumbático

Comentários

Manuel Galvão disse…
O Burquini não é exibido nas praias de França, por mulheres islâmicas, até porque nessas praias abundam os homens semi-nus exibindo suas reduzidas sungas.

A uma mulher islâmica é vedado olhar para homens nesse estado de nudez....

É tudo propaganda.
Manuel Galvão

Não é mera propaganda. Um amigo que vive em França e que assiste a ruas de Paris interrompidas ao trânsito por muçulmanos que fazem provas de força rezando virados para Meca.

E nas praias e piscinas, há mulheres islâmicas que são instigadas a ir de burkini.

Há fotos tiradas por amigos de confiança com mulheres de burka e outras em topless em diversas praias francesas.
Manuel Galvão disse…
O que eu quis dizer foi que "é tudo propaganda islâmica",uma vez que nenhuma mulher islâmica convicta, ao ponto de usar burkini, pode estar na presença de homens e mulheres palados. Nem o permitiriam seus maridos, pais ou irmãos do sexo masculino...

Mensagens populares deste blogue

Nigéria – O Islão é pacífico…

A desmemória e a dissimulação

Miranda do Corvo, 11 de setembro