A Rússia e o porta-aviões

A passagem do Kuznetsov nas águas territoriais portuguesas (ZEE) está a ser vigiada pela força aérea nacional.

Parece uma peça de teatro encenada dentro de um museu. Passa um gigante obsoleto, com medo de não chegar à Síria, e levantam velhos aviões com necessidade de regressar à base por falta de combustível.

A vida dos países, tal como a das pessoas, está difícil.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Nigéria – O Islão é pacífico…

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …