Afinal existiam "almofadas"...

PSD diz que modelação no corte dos subsídios custa 130 milhões de euros...
Hoje, o Governo através da sua bancada paralamentar (e não ao contrário como seria "normal") decidiu que "os funcionários públicos que auferirem entre 600 e 1.100 euros sofrerão cortes em apenas um dos subsídios. A partir de 1.100 euros, os dois subsídios serão cortados..." link

Para tentar convencer os incautos que não existiam "almofadas" diz pretender compensar esta "benesse" (creio que pensam deste modo) com o aumento das taxas liberatórias das mais valias bolsistas. Mais um malabarismo da coligação PSD/CDS. De facto, para quem olha com olhos de ver para a evolução da bolsa, durante este ano, pode esperar tudo menos mais-valias.

Todavia, esta discreta inflexão abre uma pequena brecha. As políticas governamentais que têm sido apresentadas como "sem alternativas" começam a permitir pequenas nuances.
Essa brecha - que não satisfaz os espoliados do subsídio de Férias e de Natal - pode, num futuro próximo, acabar com a aura de inevitabilidade como muitas das medidas de austeridade e de cortes têm sido apresentadas aos portugueses.

Nota: Falta agora surgir o inefável Miguel Relvas a anunciar a incessante luta pela equidade deste Executivo... Como se a proposta de OE 2012 tivesse sido elaborada pelas Oposições e "sabiamente modelada" pela sensibilidade social da "benemérita coligação"... Isto é, falta ainda virar a realidade do avesso.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime