Viva o 25 de Abril! Sempre

«Esta é a madrugada que eu esperava
O dia inicial inteiro e limpo
Onde emergimos da noite e do silêncio
E livres habitamos a substância do tempo»
(Sophia de Mello Breyner Andresen, in 'O Nome das Coisas')

Na véspera d’ ‘o dia inicial inteiro e limpo’, a minha homenagem vai para os capitães de Abril, para todos os que não hesitaram em derrubar a ditadura, e devolveram ao povo o direito à liberdade.

Os salazaristas reciclados, os que mais lhe devem, os que mais longe chegaram graças à generosidade dos que tudo arriscaram, sem nada receberem, nunca lhes perdoaram. Para os almocreves do salazarismo os heróis de Abril não passaram de insurretos suspeitos.

Houve quem negasse ao mais emblemático capitão de Abril a pensão que guardou para os pides, quem exonerasse da lapela o cravo e do pensamento a democracia, e chegasse aos cargos mais elevados da República.

Mas, no coração do povo português, depois de apodrecidos os ressentidos e esquecidos os protofascistas que a democracia beneficiou, haverá sempre alguém que recorde:

 «o povo unido, jamais será vencido!»,

e gritará nos séculos que vierem,

Viva o 25 de Abril!

Comentários

Manuel Galvão disse…
Calma, ainda não chegámos lá!

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

Efeméride – 30 de outubro de 1975