Dr. MANUEL LOUZÃ HENRIQUES - mais vale tarde do que nunca…

A Câmara Municipal de Coimbra resolveu, na última reunião do executivo local, desenvolver esforços para acolher o valioso espólio do Dr. Manuel Louzã Henriques recentemente falecido link.

O Dr. Manuel Louzã Henriques é uma figura incontornável da vida política, cívica e cultural coimbrã. Dificilmente se encontra alguém que, na atualidade, fosse capaz de granjear tanto respeito cívico e, paralelamente, cavalgasse de modo tão seguro, quanto natural, os difíceis caminhos da idoneidade. Foi um ‘Homem Maior’ num contexto lancinante onde a pobreza cívica e os interesses mesquinhos pontificam.

A vivência cívica e política que o Dr. Louzã Henriques protagonizou está bem presente e expressa na sua íntegra postura enquanto conceituado médico psiquiatra - a quem muitos ficaram a dever o sossego e a sanidade mental - bem como, perante os seus amigos e camaradas, onde a coerência de uma postura de militância comunista foi uma constante de vida e, finalmente, um exemplo vivo de integridade.

Mas o Dr. Louzã Henrique foi, também, um Homem da Cultura. Expressou este desiderato nos seus escritos, nas suas conferências e palestras e na virtuosa e persistente atividade como colecionista. Nesta última vertente sobressai o profundo interesse sobre a natureza antropológica, etnológica e arqueológica das coisas comuns (oriundas do Mundo Rural) e dos instrumentos (para a compreensão da evolução tecnológica) tendo reunido um amplo e valioso acervo que inclui máquinas de costura, máquinas de escrever, aparelhos de som (grafonolas e rádios antigos), entre outros objetos.

Seria bom que a iniciativa da Câmara Municipal de Coimbra se integrasse com uma outra que teve lugar em 1990, na terra mater dos seus antepassados (Lousã), e deu origem ao Museu Etnográfico Dr. Louzã Henriques, onde estão depositados instrumentos agrícolas (alfaias e sistemas de atrelagem) e que fossemos capazes de criar, na região Centro, um espaço cultural de memória digno e condicente com a grandeza intelectual, a integridade política e a dignidade cívica, atributos que nos legou o Dr. Louzã Henriques e que temos a obrigação de cultivar.  

A iniciativa da Câmara Municipal de Coimbra é manifestamente tardia mas, como diz o povo, mais vale tarde do que nunca.

Comentários

Peca por tardia esta decisão.

Mas, de facto, mais vale tarde do que nunca.

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime