Eleições presidenciais - A bom entendedor...

Muitos já se esqueceram do PRD, o defunto partido feito à medida da ambição de Ramalho Eanes, servido pela voz beata da D. Manuela Neto Portugal, esposa do sorumbático general que aguarda agora o bastão de marechal das mãos de Cavaco Silva.

O PRD nasceu do populismo contra os partidos. Quem ganhou com o logro foi o PSD. Nasceu à esquerda do PS e desaguou à direita. Nasceu na sacristia e morreu na sarjeta.

Foi num momento parecido com o actual. O PRD esvaziou-se pela falta de preparação política do seu mentor, alheamento dos que aderiram de boa fé e pelo oportunismo dos que transitaram com armas e bagagens para o combóio cavaquista que passava.

Eanes foi, entretanto, doutorar-se à Universidade de Navarra, um doutoramento que convém à Universidade, que liga o seu nome a um presidente da República eleito democraticamente, quando o Opus Dei, a quem pertence, tem um passado obscuro de cumplicidade com as ditaduras.

Quando a esquerda se pulveriza, alenta-se a direita, empobrece a democracia e o futuro colectivo torna-se mais incerto para Portugal.

É estreita a vereda onde viajam algumas das melhores referências democráticas da nossa história recente. O desastre consuma-se quando alguém circula sem prudência ou não consegue travar a tempo.

Comentários

Cónego D. Frederico... disse…
Ó amigo Carlos,
Se continua a colocar fotos deste calibre, não sei se aguento. Isto tem sido demais; olhe que começo a ter saudades das imagens religiosas do DA, tais como aquela em que o sagrado coração de Jesus, enorme, sai sempre por de fora das molduras do quadro. Por favor, a agonia a que nos tem submetido com essas horríveis imagens já roçam o masoquismo.
Anónimo disse…
Que nojo de post!
O teu juízo disse…
Com toda a honestidade acho que estás a precisar de tratamento. Cada post é mais nojento e despropositado que o anterior. Passeia, lê um livro, vê um filme, masturba-te mas pára para teu bem. Tudo de bom que escreves-te está a ir pelo cano. Estou com pena de ti.
O teu juízo said...

«Tudo de bom que escreves-te está a ir pelo cano. Estou com pena de ti».

RE: A segunda pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo é «escreveste» e não «escreves-te».

Também tenho pena de ti. Fizeste bem em não pôr o nome.
juízo meu disse…
Apoiado!
Tudo!
Mano 69 disse…
Você não pára Carlos Esperança até já começa a preparar o terreno a montante e a jusante do Cavaco.
Por falar em preparar o terreno, já começou a pensar no discurso de derrota para dia 22 do corrente mês? É que já falta pouco...
Mano 69:

Só são derrotados os que não têm convicções ou estão à espera de algum benefício.

A eventual vitória de Cavaco iria (ou irá) trazer mais derrotas aos cavaquistas do que aos socialistas.

Por mim, enquanto tiver um livro de Eça, divirto-me a escalpelizar a sociedade que temos e a burguesia.

E há sempre um Saramago que, embora não escreva tão bem como o Prof. Dr. Manuel Antunes, como disse aqui no Ponte Europa um cavaquista, é o maior ficcionista que li em toda a vida.
Anónimo disse…
Para quem não percebeu, este post é uma tentativa de colar a candidatura de Manuel Alegre ao PRD. A ideia de que Manuel Alegre criará alegremente, após as eleições, um novo partido e que este não seria mais do que um PRD II.
Contudo as diferenças são claras e nítidas. O PRD, ao contrário do que o post afirma, não nasceu à esquerda do PS mas ao centro, entre o PS e PSD. Depois pq foi um partido que nasceu para prolongar a vida política de Eanes, tentando q este, após PR, fosse primeiro ministro. Terceiro pq não nasceu contra os partidos mas pelos partidos (a ideia nunca foi a afirmação da sociedade civil contra os partidos mas a renovação destes, daí o título renovador). Finalmente pq surgiu numa altura em que os Partidos Renovadores eram um moda europeia - aliás o PRD inseriu-se no Partido Renovador Europeu.
A candidatura de Manuel Alegre é diferente. Primeiro pq surge fora dos partidos e na sociedade civil. Segundo pq não se irá formar um partido baseado na figura de um homem (e tenho dúvidas que tal aconteça - a formação do partido). Terceiro pq não é uma moda europeia, é um facto europeu - a intervenção da sociedade civil, fora dos partidos, na política dos países é na Europa um facto enriquecedor das democracis, só em Portugal é que esta é constantemente abafada, se calhar é tb por isso que continuamos a ficar mais pobres.

blogdelsniper.blogspot.com
blogdelsniper.blogspot.com


Apreciei o seu post honesto e coerente. Tem um ponto de vista diferente do meu.

Mas quando afirma que «O PRD, ao contrário do que o post afirma, não nasceu à esquerda do PS mas ao centro, entre o PS e PSD» não é exacto.

Não invoco a minha idade e o facto de conhecer muitos dos que lançaram o PRD como argumento, mas não posso deixar de lhe dizer que muitos quadros do PS, de esquerda, estiveram na sua origem.

Depois, até gente do PCP viajou para o PSD no combóio do PRD.
Cónego D. Frederico disse…
anónimo das 10:26,
Bons temas para discussão coloca V. senhoria.
Mas então se é bom ter uma sociedade civil forte, desprendida dos aparelhos partidários e da sua lógica absorvente, por que não votar Manuel Alegre?
Carlos Alberto disse…
Estive com uns quantos em Matosinhos, que nos idos 80's, criaram o PRD. Como um albergue Espanhol, tudo lá se encontrou. E tem razão, querendo aparecer com um partido que nascia entre o PS e o PSD, a maioria dos seus elementos provinham de esquerda do PS e já alguns que tinham atempadamente abandonado o PC. Dessa realidade, fui testemunha. Depois enquanto o castelo do partido novo e diferente, se desfez, muita dessa gente marchou Alegremente com o Cavaquismo.

Diz-se que: "Manuel Alegre afastou o cenário da eventual formação de um partido político a partir do movimento cívico que suporta a sua candidatura às eleições presidenciais de 2006."
Mas não foi ele que também disse que não seria candidato à Presidência, para não dividir a esquerda...

O mais engraçado é ver uns palermoides, que de tão excitados com a possível vitória do seu candidato, já julgam que tudo lhes é dirigido.
Cuidado, eles andam por ai...
Luís Pocinho disse…
(No intervalo do programa prós e contras)
Caro Carlos Esperança:
Gostava de saber em que partido ou coligação votou nas eleições legislativas de 1985?

Cumprimentos,
LP
Luís Pocinho disse…
Peço desculpa pelo ponto de interrogação erradamente colocado.
el__sniper disse…
Sr. Carlos Esperança, uma vez que me chamaram palermóide pq acho que o post era dirigido a quem vota Alegre e o título diz a bom entendedor, pode dizer o que queria o post dizer... ...era para alertar dos perigos de Alegre ou de Cavaco?

ao Carlos Alberto:
tb Soares dizia q se reformava,
tb Santana se afastava da política,
tb Durão ia acabar o doutoramento,
tb...

mas quanto ao PA (Partido Alegre) tenho uma leitura clara. Se Alegre chegar à segunda volta e vencer Cavaco não existirá nenhum PA. Se não, se obtiver mais de 10% dos votos ganhe ou perca face a Soares, aí não sei o que poderá acontecer, talvez o PPA (Partido da Poesia Alegre).

Eu tenho uma ideia (muito própria) de como surgiu a candidatura de Alegre, partilho-a no pós-eleições.
el__sniper:

Claro que interpretou bem o meu texto.

Ao Sr. Luís Pocinho peço-lhe que não leve a mal que não declare onde votei.

Quanto ao ponto de interrogação escusava de se preocupar. Eu sou ortodactilograficamente um desastre. Pareço um prevaricador ortográfico.

É diferente da ignorância com que, por vezes, sou insultado.
Anónimo disse…
como eles lutam... como eles se insultam...
Pessoal, tenham calminha, deixem-se de palhaçadas...
O CAVACO JÁ GANHOU E O RESTO SÃO CANTIGAS...
Isto é democracia, "ora agora ganham uns, ora agora ganham outros", porque será que Esperança e companhia não percebem isso? que grandes democratas...
Anónimo disse…
"A ameaça de Deus paira de novo sobre a Europa. Os saprófitas da Providência vestem as sotainas e ensaiam o regresso ao poder. Os pregadores do ódio voltaram aos púlpitos."

Vamos lá a adivinhar... quem é o autor desta frase????

PS - Uma dica, é alguém que umas vezes diz uma coisa, outras vezes diz outra.
Outra dica, é uma pessoa que "pega de empurrão"
Anónimo das 1:23 AM:

A frase é de um texto do Expresso, da minha autoria.

A pulhice, a calúnia rasteira e a má educação são do cobarde que se esconde no anonimato.

P.S. O referido texto está publicado no Ponte Europa e no Diário Ateísta.
Anónimo disse…
Carlos Esperança, não ligue..
São putos... vamos em frente no nosso debate de ideias, nem sempre de acordo, mas na troca e partilha de ideias...
Só para esclarecer uma duvida.
Você é professor do ensino secundário? o meu filho teve um professor de nome Esperança
Fui professor do ensino primário de 1961/1971.

Depois disso trabalhei em Empresas privadas.
Anónimo disse…
ha ha ha ha

"o Prof. Dr. Manuel Antunes, como disse aqui no Ponte Europa um cavaquista, é o maior ficcionista que li em toda a vida."
Anónimo disse…
O General "Patilhas" Eanes é um exemplo claro e demonstrativo da malta que anda com e atrás de Cavaco.

Gente que não interesa para um futuro solidário, aberto e plural da sociedade portuguesa.

Gente do antigamente, saudosista, ... interprete da apologia dos Homens- Providência.

Tal como o Eanes dos maus velhos exemplos (interventor; destituidor de Governos; Governos de inicitiva presidencial, etc e golpismos vários...)é isto que Cvaco atem para nos oferecer de 2006 para a frente.
Isto é: se ganha-se as presidenciais!!!

Para mais, pq é que um Ex-Presidente da República, sem rasgo nem marca intelectual, se coloca na posição subserviente e aduladora, de apoiar um tipo como Cavaco?

Eanes naõ tem a inteliG~encia para se proteger, para se resguardar, para se dar ao respeito de quem ja foi o Mais Alto Magistrado da Nação???

Porque é que se dá ao ridiculo de andar a pegar na cauda do vestido da noiva cavaco??

Será que foi por imposição / missão da Opus Dei... que como sabamos alida a banca e alta finança são eminências pardas por detrás da Candidatura de Cavaco e do regresso do Cavaquismo totalitário e salteador.

Até dia 22 não vamos parar. Combater Cavaco e o retrocesso moral e ético da sociedade portuguesa.

Cavaco nunca mais!!
Ou como diz um curioso grafitti espalhado pelas paredes de Coimbra (por ex. na praça 8 de maio):

ANIBAL:
O PAÍS PRECISA DE TI...
LONGE DAQUI!

Cavaquismo nunca mais!!!!!
Alentejano disse…
Sr. Carlos Esperança

Perante este elenco de tão baixo nível, constituído por execráveis atentados contra a sua dignidade, permita-me que lhe deixe aqui o meu elogio.
Pela forma digna como sabe lidar com as ofensas provenientes de gente mal formada e com uma ideia muito curta daquilo que deve ser a convivência social e a democracia.
Pela elevação com que lida com os ataques à sua vida privada, profissional e opções políticas e "religiosas".
Por tudo isso, o Sr. é, certamente, um homem digno, vertical e tolerante.
É que a inveja, a desonestidade intelectual e má formação cívica, materializam-se através de atitudes e comportamentos nada digificantes para quem os pratica.
A dignidade, verticalidade e elevação moral, ficam com os inteligentes, honestos, dignos e tolerantes.

Um abraço.
cãorafeiro disse…
carlos, certemente não estás a comparar manuel alegre a ramalho eanes, pois não?
Luís Pocinho disse…
Caro Carlos Esperança:

Não lhe levo a mal que não me diga em quem votou em 1985. Está no seu direito. No entanto, para justificar a minha curiosidade, não deixo de lhe notar o seguinte: na primeira volta das eleições presidenciais de 1986, o senhor votou em Salgado Zenha, que era apoiado pelo PRD, que, poucos meses antes, tinha alcançado um magnífico resultado nas eleições legislativas de 1985, e pelo PCP.
Salgado Zenha foi um advogado e um político extraordinário, o que, no plano político que agora nos importa, não é relevante. O que é politicamente relevante é que o senhor esteve ao lado de Ramalho Eanes e dos seus sequazes, na primeira e na segunda volta das eleições presidenciais de 1986. É conveniente não esquecer que, na segunda volta dessas eleições, o PRD aconselhou o voto em Mário Soares. Também nesse ponto o seu comportamento não divergiu do comportamento do PRD.
Tudo isto para concluir o seguinte: ao acusar, da forma como o faz, Ramalho Eanes, o senhor não está a assumir as suas responsabilidades, o que é eticamente reprovável. O meu juízo, como é evidente, tem a ver com um comportamento seu, não com a sua pessoa.

Fora isto, uma última nota: o senhor criticou severamente a pontuação irregular do texto de Manuel Antunes que, ao longo dos últimos dias, foi chegando às nossas caixas de correio. Também aí julgo que foi infeliz, porque disparou ao lado. Não vamos mais longe: tanto a prosa de Nuno Moita como os textos de Carlos Cidade, ambos colaboradores deste blog, são péssimos exemplos de escrita. Quanto ao primeiro, o post que ontem mesmo inseriu é apenas um entre muitos exemplos de como não se deve escrever em português. Quanto a Carlos Cidade, é ver, por exemplo, o artigo hoje saído no Diário de Coimbra.
É o que faz ter telhados de vidro...
Anónimo disse…
Perguntem ao Amraro da Segurança Social: não foi ele do PRD?
Caro alentejano:
A solidariedade sabe sempre bem. Obrigado. Um abraço.
cãorafeiro:

Comparar Manuel Alegre com Ramalho Eanes era uma ofensa que não faria. Respeito e estimo demasiado Manuel Alegre para cometer semelhante afronta.

Quanto ao movimento que tem Manuel Alegre como referência, contra os partidos, contra o seu próprio partido, é uma reedição do PRD.

Espero que não seja uma vingança interna contra Sócrates. Como sabes, não estive nem estou no PS, razão pela qual desconheço muitas das guerras que podem passar-se no seu interior.

Lembro-me bem do entusiasmo que despertou o PRD, a que não fui alheio. À primeira quem quer cai...

O Sr. Luís Pocinho acertou na «mouche».

P.S. Em 1965 fui mandatário concelhio de Salgado Zenha na Lourinha. Como reprersália, segui para a tropa na incorporação imediata, estando adiado.
Anónimo disse…
Esperança disse:

"Em 1965 fui mandatário concelhio de Salgado Zenha na Lourinha. Como reprersália, segui para a tropa na incorporação imediata, estando adiado."

De facto, razão têm alguns que aqui dizem que és uma pessoa baixa e sem escrúpulos. Foste mandatário de Zenha, o que à partida nos leva a crer teres uma certa amizade e admiração por ele.
Depois da maneira baixa como Soares tratou Zenha (Fez agora precisamente o mesmo a Alegre), apareces agora a apoiar Soares...
De facto há pessoas que não têm memória... És uma pessoa baixa e destituída de qualquer valor moral
Anónimo disse…
Uma pergunta ao "inteligente" do esperança:

- Alguém que me elucide o que quer dizer "reprersália" -

Português não é, será um Esperantês??? ou Esperanto????
Cónego D. Frederico disse…
Como é que é Esperança?
Luís Pocinho disse…
"O Sr. Luís Pocinho acertou na «mouche».

Caro Carlos Esperança:
Não posso deixar de concluir que concorda inteiramente com tudo o que eu disse. Nada que eu não esperasse de si, num daqueles seus assomos de amor à verdade. Mas, sobretudo, fica para o conhecimento de todos.
Neste momento, é relativamente fácil estabelecer o seu percurso político, desde 1974 até agora. Apesar de o ver a si ainda mais à esquerda, não deixo de notar semelhanças profundas entre si e Medeiros Ferreira, que, além de ser agora apoiante de Mário Soares, é ex-tantas coisas, embora - pasme-se! - o senhor, como já o confessou aqui, não goste nada dele. Vá lá o diabo saber porquê.
Ricardo Alves disse…
Caro Carlos Esperança,
compreendo a intenção do artigo e o paralelo que é traçado, que no entanto tem as suas limitações: Alegre não parece querer fundar um partido, e é muito diferente de Eanes. A biografia política de Manuel Alegre não começa a 25 de Novembro.
Continuo a pensar que, no DOmingo, Alegre será uma aposta melhor e mais segura do que Soares para a esquerda moderada.
cãorafeiro disse…
carlos, creio que manuel alegre não está nem nunca esteve interessado em criar um novo partido.

nem creio que os seus apoiantes mais próximos estejam, já que se trata em larga medida de pessoas que são também militantes socialistas.

creio sim que este movimento de cidadãos pode ser muito importante para o próprio PS, assim o partido saiba tirar as devodas ilacções de péssima escolha que fez. nada tenho contr o mário soares, excepto o facto de se tratar de uma pessoa que já foi 2 vezes presidente, logo a sua candidatura é um sinal de debilidade da nossa democracia, pois parte do pressuposto de que a renovação não é possível.

já contra os apoiantes mais próximos de soares, tenho tudo contra. um basndo de aproveitadores que se comportaram sempre como vassalos, e sei do que falo, e que agora nem sequer t~em a dignidade de fazer uma campanha decente, deixando soares completamente desamparado. uma vergonha.

sobre o PRD, compreendo bem onde queres chegar e acho que tens razão, mas nem por isso devemos desistir de exigir do PS que seja mais do que um sucedâneo do PSD.

se o PS se comporta como a direita quando está no poder, devemos nós, sendo de esquerda, apoia-lo?
Salgado Zenha foi um dos homens mais verticais e a referência ética mais sólida da esquerda democrática.

À segunda volta pediu (os democratas não mandam) para votar Mário Soares.

Sou fiel ao legado ético e cívico de Salgado Zenha.

As diatribes que lhe foram dirigidas partiram de muitos que hoje apoiam Cavaco.

Em 1965 o PSD ainda não tinha encontrado necessidade de ser partido. Nessa altura só o PCP.

Antes do 25 de Abril só o PCP e o PS se formaram. Por que razão?
el__sniper disse…
Senhor carlos esperança:

Antes do 25 de Abril só o PCP e o PS se formaram. Por que razão?

É mentira, houve outros partidos (sem expressão actualmente) assim como os herdeiros do antigo regime que fundaram um partido de direita.
Mais informações aqui:
http://www.uc.pt/cd25a/wikka.php?wakka=histpar
Por exemplo o PSR é uma união da LCI com o PRT. A primeira é fundada em 1973 (e já nem falo do PCTP/MRPP).

O PSD existia, não formalmente, mas existia, era a ala liberal que queria democratizar o sistema por dentro (como depois sucedeu em Espanha).
Pode-se não gostar deles, mas não podemos negar a influência de Sá Carneiro e Mário Soares em defender a democracia portuguesa no pós-25 de Abril, não se pode é dizer que um que fundou um partido antes do 25 de Abril tem mais legitimidade que o outro.
el__sniper:

Tem razão quanto a pequenos partidos que desapareceram ou se transformaram.

Quanto ao MRPP prefiro não falar por causa de preconceitos que eventualmente tenha.

Quanto ao PSD, não existia mesmo.

Frequentei a SEDES de que era o principal responsável o Dr. Rui Vilar. Fui pela mão de um velho amigo, recentemente falecido, Afonso Moura Guedes, que viria a ser líder parlamentar do PSD e Governador Civil de Lisboa.

Mas o PSD não existia. Não lhe mingua legitimidade, assim como a qualquer partido que venha a existir.

Há-de compreender os meus preconceitos. Mesmo no assassinato de Ribeiro dos Santos (eu estive no funeral) não houve solidariedade dos que hoje se reclamam da social-democracia.

Acaso ou oportunismo?
Anónimo disse…
Que nojo!
Anonymous said...
Que nojo!

6:43 PM

Caro anónimo:

Já tinha posto a mesma inteligente observação no post anterior.

Apesar da qualidade do comentário, peço-lhe para não o repetir.

Claro que é bom o comentário, ao nível do melhor que sabe produzir, mas, como na história do embaixadoe espanhol, o problema está na reincidência.
Vitor Manuel disse…
Carlos Esperança said...
Fui professor do ensino primário de 1961/1971.

-----------------------------------
Deve ser por causa de professores destes que o ensino está tão mau.
Vítor manuel:

É possível.

Ninguém é bom juiz em causa própria.

Há pelo menos uma coisa que lhe posso garantir: o meu amor à liberdade e à democracia já eram profundos.

Pode o senhor dizer o mesmo?
E com que conhecimentos afirmou que eu teria sido um mau professor?
el__sniper disse…
Eu não tenho preconceitos para com o PCTP/MRPP, é só porque esse exemplo era tão óbvio que eu disse que nem valia a pena falar disso.
Anónimo disse…
Cavaco sempre!

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

Efeméride – 30 de outubro de 1975