Instabilidade partidária

«Nos próximos tempos é o PS que vai sofrer grandes tensões, depois é a vez do PSD com os militantes a hesitar entre Belém e a Rua de S. Caetano, à Lapa».

A eleição de Cavaco Silva, ainda antes da sua posse, já começa a causar perturbação nos aparelhos partidários.

Não é o futuro PR que está implicado, são as consequências da dinâmica de direita que um sector cavaquista quer capitalizar em seu proveito enquanto a esquerda rearruma as forças e lambe as feridas da derrota.


À direita a perturbação começa cedo:

- António Borges (V/ artigo da Visão) já se perfila para líder do PSD;

- Passos Coelho demite-se da direcção do PSD em Conselho Nacional tenso;

- No CDS, os doze deputados (número eventualmente inferior ao dos eleitores) são adversários do líder Ribeiro e Castro.

- A direita espera ordens de Belém e, para já, deixou de respeitar os líderes dos seus partidos.

Comentários

siracusa disse…
De facto a direita parece disposta a repartir com dificuldade a magra vitória que conseguiu contra a Esquerda em geral e especialmente contra Manuel Alegre.

Amanhã o PS reunirá e veremos se não aparecem uns figurões a fazer de conta que nada aconteceu e a assumirem pessoalmente a derrota,como aconteceu em Coimbra, em que Fausto Correia quer ser o único responsável ilibando a Distrital, a Concelhia e levando a responsabilidade para longe - Bruxelas.
Os responsáveis estão aqui,são bem conhecidos e já deveriam ter feito autocritica e discussão alargada quando o PS-Coimbra deixou o BE ter 10% dos votos nas legislativas.
Mas também aí nada aconteceu.
De vitória em vitória até ao fim com as rédeas do partido na mão e à frente o jerico.
Espectador das Conferências do Casino disse…
Mal vai o PS de Coimbra.

Muito mal, aliás.

Com Baptistas, Vilares,Faustos, Marinhos, Pintas Correias, etc, etc,e aquele colorido fantástico de fieis do "tacho" e outros à procura do tacho... porque a mama não se larga. Deita mais ou deita menos...

Que esperar deste PS?
Que é feito do PS Coimbra de referência, com nomes que marcavam a nivel nacional. Grandes lideres, grandes dirigentes, homemns com sentido da Politica. Não meros empregados e usufrutuários da politica.

Um descalabro. A que não será estraqnho o descalabro distrital.

Ou as coisas mudam ou o PS de Coimbra fica mudo,ie, perde o pio.

Uma sugestão: Qualidade não fidelidade subserviente.
Anónimo disse…
This is very interesting site... here

Mensagens populares deste blogue

Goldman Sachs, política e terrorismo financeiro

Miranda do Corvo, 11 de setembro

Maria Luís e a falta de vergonha desta direita