Prof. Dr. Manuel Antunes (3)


As referências feitas ao mandatário distrital de Cavaco Silva, a propósito do apelo ao voto, provocaram um enorme azedume e um ror de vitupérios. Já me vou habituando.

Houve até quem dissesse, na beata devoção, que o referido mandatário escrevia melhor do que José Saramago mas, tirando o dislate, não houve argumentação relevante.

Dizer que o referido senhor é um cirurgião excelente, um sofrível cidadão e um político medíocre, só peca por defeito.

Quanto ao folheto da sua autoria, aí está na sua confrangedora banalidade, rudimentar recorte literário e deficiente pontuação.

Vou só repetir duas ideias e acrescentar uma outra:

1 – O uso do título académico em questões de cidadania é medíocre, provinciano e obsoleto;

2 – A defesa do «Apartheid», da África do Sul, é racista, xenófoba e abominável;

3 – Dizer que Jorge Sampaio, antes de ser operado ao coração, só seria bem operado por ele, revelou falta de ética, insensibilidade para com o doente e violação grosseira de princípios deontológicos.

Comentários

el__sniper disse…
Li o folheto e deixe que lhe diga.

Falta umas vírgulas, mas de resto atinge o papel que lhe cabe, é directo e apela ao voto (as razões podem ser sofríveis, mas sabe, quando o candidato é mau não é fácil arranjar boas razões).

Depois os usos de títulos académicos é (infelizmente) regra em Portugal, na esquerda e na direita (só o BE e o PCP não o fazem, um ponto a favor deles).

Ainda me lembro da última campanha do Machado que o Professor Doutor Agostinho Almeida Santos era mandatário, e lá estavam as palavras P. e D.. Tb era o Professor Sousa Franco e não o Sousa Franco, logo...

...defender o apartheid é capaz de valer mais uns votos do PNR em Cavaco.
Carlos Esperança disse…
el__sniper:

Sou obrigado a dar-lhe razão mas não diminui a razão que me assiste.

Não acha?
el__sniper disse…
Quanto ao uso do título, sim.
Quanto à defesa do apartheid , sim.
Quanto à falta de ética, sim, mas ele defendeu tb os HUC e Coimbra, pois em LX nem sabem o centro de excelência que se criou em Coimbra na área da saúde.
Quanto às vírgulas, sim, mas tb Saramago não as usa.
Quanto ao mau recorte literário, convenhamos aqui para nós, que ninguém nos ouve (qt muito podem ler): a matéria prima sobre a qual fala e mázinha... ...logo sem ovos não se fazem...
«...mas ele defendeu tb os HUC e Coimbra, pois em LX nem sabem o centro de excelência que se criou em Coimbra na área da saúde».

Resposta: Confirmo com aplauso. E sei do que falo.

Essa é indiscutivelmente uma qualidade enorme do sofrível cidadão e medíocre político.
Vitor Manuel disse…
Mais uma vez me vou meter nesta questão, reafirmando que em nada simpatizo com Cavaco Silva.
Recebi na minha caixa do correio um panfleto do mandatário do Dr. Mário Soares para Coimbra, fiquei a saber que o Sr. cujo nome não me recordo era médico, portanto nesta questão estão empatados.
Relativamente à questão da África do Sul não encontro nenhuma diferença entre este regime e o outro, ambos são condenáveis (que o digam as famílias dos 360 portugueses assassinados). Acabou-se com um regime odioso, mas não se acabou com o ódio. Julgo portanto que a afirmação do Dr. Manuel Antunes vai nesse sentido.
Mas como o meu voto vai direito para a contagem dos em branco, os políticos do sistema que se entendam entre eles. Entre a esquerda e a direita que venha o Diabo e escolha, fujo deles com o Carlos Esperança foge da cruz.
Anónimo disse…
Estou consigo Esperança e por favor não se deixe abater por este meiozinho acanhado de Coimbra. Estou á vontade para dizer isto. Nasci em Coimbra, aqui cresci, andei por outras bandas e aqui voltei. Amo a cidade, mas desde há muito que me parece ocupada e não consegue respirar !
Cónego D. Frederico disse…
O texto do mandatário de Acabado Silva é, realmente, muito fraco. Não, não é só por ausência de vírgulas ou de pontuação mal colocada; é porque diz muito pouco sobre o candidato. Apenas prolonga o pendor profético a que, lamentavelemnte, temos vindo a assistir.
Eu, por mim, quando vejo a sua figura sinistra e empedernida, lembro-me logo de um padre. Um padre qualquer!
Os seus gestos não são emotivos, são rectílineos, a sua cara zangada é a de um padre, arrogante, cioso dos seus igréjios valores. Cioso da sua superioridade moral, incomoda-o as questões que considera atrevidas, porque a elas não sabe, não quer ou não pode (por hipocrisia sem estilo) responder.
Que ganhe Alegre ou Soares!
Mano 69 disse…
É o desespero meu Deus!
Mano 69 disse…
«(...)medíocre, provinciano e obsoleto.» é utilizar a foice e o martelo quando já existe o "Black and Decker"!
Cónego D. Frederico... disse…
Para mano 69
Engana-se, se é que foi para mim o seu comentário quanto à foice e ao martelo, pois detesto comunistas.
Paz disse…
Vale mais o Dr. Manuel Antunes calado que todos os candidatos juntos a grasnar.
Se conhecessem bem o Dr.Manuel Antunes estavam caladinhos e limitava~-se a admirar a sua obra.
Senhor Paz:

Mas é mentira o que diz o texto quanto à África do Sul e relativamente a Jorge Sampaio?

O Prof. Dr. Manuel Antunes, sob o ponto de vista cívico, está a grande distância da sua categoria profissional.
Filósofo do Mondego disse…
Ó Esperança, ó Esperança!
Deixe-me dizer-lhe: você é um medíocre crítico literário.
Começou por escrever que o texto era "abaixo de cão" e agora refugia-se na falta de vírgulas.
Está farto de escrever sobre este tema (o que lhe agradeço, como apoiante de Cavaco Silva), mas AINDA NÃO INDICOU UM ÚNICO EXEMPLO do que afirma.
Também quanto à África do Sul e à operação de Jorge Sampaio NÃO APRESENTOU UMA ÚNICA PROVA.
Pensa você, Esperança, que aquilo que lhe vem à cabeça é verdade.
Olhe que não, olhe que não.
Filósofo do Mondego:

Pergunte a qualquer médico de Coimbra sobre o caso Sampaio e o processo disciplinar que muitos exigiram na Ordem dos Médicos.

Quanto à defesa do sistema racista é melhor perguntar ao próprio ou consultar as revistas do Expresso onde ele deu a entrevista.
Filósofo do Mondego disse…
Pronto, "obrigou-me" a falar com o Prof. Manuel Antunes.
Fi-lo ontem, quando ele visitou a minha terra, no Alto Distrito.

Disse-me textualmente, sobre o assunto do "apartheid", o seguinte:
- É falso! Nunca afirmei isso.

Pronto, está esclarecido.
Compete-lhes agora, Esperança e Cª., provarem a afirmação que fizeram.
(Pessoalmente, acredito que - mais uma vez! - não o irão fazer. É a triste sina de muitos socialistas...)
Filósofo do Mondego:

A entrevista que o Prof. Dr. Manuel Antunes deu ao «Expresso», foi há anos. Foi muito comentada na altura. Admira-me que um Prof. Dr. seja capaz de enganar um «filósofo do mondego» ou que não tenha coragem de assumir o que disse.

Quanto ao que se passou com Jorge Sampaio, o facto foi vergonhoso e, como lhe disse, qualquer médico se lembrará. Basta perguntar a dois ou três, para a hipótese de haver quem tenha falta de memória.
Filósofo do Mondego disse…
Já estava à espera.
Você escreve "de ouvido".
Ponto final; não volto a este blog.
Só farei uma excepção: domingo à noite, para comentar o resultado eleitoral de Mário Soares e o valioso contributo de C. Esperança para a campanha soarista.
Carlos Esperança disse…
Filósofo do Cavaco, digo, do Mondego:

Não escrevo de ouvido. Li. Percebe a diferença?

Já agora pergunte ao Prof, Dr. o que pensa do antigo regime da àfrica do Sul.

Quanto ao seu regresso na noite das eleições, quem não sabe perder não merece ganhar.

Mensagens populares deste blogue

Goldman Sachs, política e terrorismo financeiro

Miranda do Corvo, 11 de setembro

Maria Luís e a falta de vergonha desta direita